Correio Técnico: o mesmo carro pode ter dois tamanhos de porta-malas?

Diferenças nos métodos de medição e até a alteração de equipamentos alteram o índice volumétrico

Medir o porta-malas é como colocar centenas de pequenas bagagens

Medir o porta-malas é como colocar centenas de pequenas bagagens (Divulgação/Chevrolet)

O tamanho do porta-malas é para muita gente um índice essencial na compra de um carro, sobretudo se o uso será familiar. No entanto, às vezes um mesmo modelo pode ter diferentes capacidades.

E não se sinta enganado: dois números podem estar certos, cada um à sua maneira.

O principal motivo para a discrepância se dá pela forma como a fabricante mede o tamanho do porta-malas de seus veículos, já que há diferentes formas de fazer isso. Atualmente há dois conceitos mais comuns adotados pela indústria.

SAE vs. VDA

Blocos imaginários são usados na medição digital do porta-malas

Blocos imaginários são usados na medição digital do porta-malas (Divulgação/Mercedes-Benz)

Normalmente o compartimento de carga dos veículos é medido colocando blocos padronizados dentro do porta-malas. Mas os dois métodos mais comuns se diferem exatamente neste ponto.

O conceito mais comum adotado pelas fabricantes europeias (e, por consequência, as brasileiras) é o VDA, sigla para União das Indústrias Automotivas.

Ele usa blocos com 1 litro de volume sempre com as mesmas medidas: 20 cm x 10 cm x 5 cm. Esse método foi posteriormente incorporado à norma ISO 3832, que inclui outros três tipos de blocos.

Já o padrão SAE J1100 é adotado pelas montadoras norte-americanas. A principal diferença é que seus blocos têm diferentes tipos de tamanho e volume, indo de 67 litros até 5,6 litros.

Há, inclusive, um bloco que simula o formato de uma bolsa para tacos de golf, alta e estreita.

Como o método SAE possui blocos de tamanhos diferentes, é possível preencher as diferentes reentrâncias dentro de um porta-malas de uma forma mais eficaz.

Esse é um dos motivos pelo qual um carro tem um porta-malas com volume maior do que usando o padrão VDA.

Lego virtual

O método SAE usa diversos tipos de blocos para medir o porta-malas

O método SAE usa diversos tipos de blocos para medir o porta-malas (Divulgação/Mercedes-Benz)

Antigamente a medição do porta-malas era feita, literalmente, colocando os blocos, geralmente feito de plástico, dentro do carro.

Além da natural demora desse procedimento, o desgaste dos blocos por conta do atrito exige que a fabricante reponha as peças frequentemente.

Esses motivos fizeram com que as fabricantes passassem a mensurar o porta-malas de maneira digital, usando programas de computador capazes de simular as melhores disposições de blocos dentro do compartimento.

Também é possível saber qual será o volume ainda na fase de desenvolvimento, abrindo caminho para que a empresa encontre as melhores soluções para obter o máximo de espaço no porta-malas.

Isso aconteceu, inclusive, com o Jeep Renegade, mas após seu lançamento. Para ampliar o acanhado porta-malas de 260 litros, a FCA alterou os revestimentos do compartimento para ganhar 16 litros extras.

O maior ganho, porém, veio com a adição de estepe temporário, que ampliou o volume do local para 320 litros.

A diferença é o diferencial

O porta-malas com apenas 273 litros é o menor do comparativo O porta-malas do Renegade começou com 273 litros…

O porta-malas do Renegade começou com 273 litros… (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Às vezes um mesmo carro pode capacidades diferentes de porta-malas dependendo da versão.

O Renault Duster, por exemplo, perde 75 litros nas versões 4×4 por conta do diferencial traseiro e suspensão independente, que ocupam mais espaço e deixam o porta-malas menor.

…e chegou a 320 litros com estepe mais fino e acabamentos diferentes

…e chegou a 320 litros com estepe mais fino e acabamentos diferentes (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Honda HR-V Touring passa por um problema parecido por conta de seu motor 1.5 turbo. A marca optou por usar na versão um escapamento com dupla saída. Como o abafador do conjunto é maior, ele reduziu o porta-malas em 44 litros.

Até mesmo a simplicidade de uma versão pode ser vantagem nessa hora. O tampão de porta-malas flexível do Chevrolet Joy fez com que ele ficasse com um porta-malas cinco litros maior que o antigo Onix LT/LTZ, com cobertura rígida.

Tem outras dúvidas? Envie sua pergunta para correiotecnico@abril.com.br!

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s