Clique e assine por apenas 5,90/mês

Correio Técnico: a medição de consumo para o Inmetro usa qual gasolina?

Órgão tem padrões rígidos para obter os números oficiais de eficiência energética de cada veículo

Por Rodrigo Ribeiro - Atualizado em 2 set 2019, 08h52 - Publicado em 2 set 2019, 07h00
A medição de consumo é feita em um dinamômetro de chassi Divulgação/Chevrolet

Os números de consumo do Inmetro/Conpet do Honda Civic Touring são obtidos com gasolina premium?, Francisco Mendes, por e-mail

Não, são feitos com gasolina comum, assim como todos os outros veículos. A norma técnica 6601 define todos os padrões que os combustíveis usados nas aferições devem atender.

É verdade que alguns fabricantes recomendam o uso de combustível com maior número de octanas (como a Podium, da Petrobras, ou a Racing, da Shell), mas isso é para elevar a performance, sem impacto em outros parâmetros.

A medição do consumo de combustível para o Inmetro é feita pelas próprias fábricas, em dinamômetro regulamentado, que passa por aferições periódicas e sem aviso prévio, para garantir a idoneidade dos testes.

O ciclo de consumo inclui o teste com o motor frio (quando o consumo é maior) e simula paradas e retomadas, típicas do trânsito urbano.

Haja paciência

A aferição do consumo não pode ser feita usando máquinas no lugar do motorista Divulgação/Ford

A medição do consumo atende a uma série de normas técnicas (NBR), com destaque para a 7024. Ela exige que o motorista acelere e reduza a velocidade do carro em um dinamômetro em intervalos específicos de tempo.

A padronização também demanda a temperatura do combustível e até o tempo que o carro deve ficar desligado para permitir o equilíbrio térmico do motor.

Além disso, o programa de etiquetagem (PBE) adota um fator de correção para aproximar os índices obtidos em laboratório do que o carro entrega “na vida real”.

Tem outras dúvidas? Envie sua pergunta para correiotecnico@abril.com.br!

Continua após a publicidade
Publicidade