Teste: Jeep Compass Longitude 2.0 diesel 4×4

Precisa de um SUV a diesel? Então olhe com carinho para o Jeep Compass

Só as versões a diesel têm tração 4x4

Só as versões a diesel têm tração 4×4 (Pedro Bicudo/Quatro Rodas)

Se o velho ditado diz que a primeira impressão é que fica, o Compass parece ter começado com o pé direito. Moderno e bem equipado, o SUV também agradou no preço: as versões flex partem de R$ 101.990 e as opções movidas a diesel começam em R$ 134.990. Parece muito, mas está abaixo da concorrência, como veremos a seguir.

A versão Longitude a diesel (acima dela, há a Trailhawk, por R$ 151.990) sai de fábrica sempre equipada com tração 4×4. O carro se comportou com desenvoltura na cidade, graças ao bom desempenho do motor 2.0 de 170 cv associado ao câmbio automático de nove marchas – mesmo conjunto do Renegade. O novato é mais dócil de guiar e tem uma suspensão mais macia, capaz de filtrar melhor as irregularidades.

Traseira lembra muito o Grand Crerokee

Traseira lembra muito o Grand Crerokee (Pedro Bicudo)

Houve um equilíbrio entre os SUVs na pista de testes: o Compass foi em média 0,5 segundo mais lento nas acelerações e ficou quase 1 segundo abaixo do Renegade (que é 43 kg mais leve) nas retomadas de 60 a 100 km/h e 80 a 120 km/h. A disparidade foi ligeiramente maior nas frenagens, a favor do Renegade.

Já nas medições de consumo houve um empate técnico: enquanto o SUV menor fez 11,9 km/l na cidade e 14,5 km/l na estrada, o Compass registrou 11,7 km/l e 15,1 km/l, respectivamente. Outra igualdade ocorreu nas medições de ruído, contrariando a sensação que tivemos anteriormente de o Compass ser mais silencioso.

Mesmo sendo bastante confortável para o uso urbano, o Compass não declina um convite para sair do asfalto. Aí entra em ação a tração 4×4, com quatro ajustes de condução. Nem é preciso contar com os acessórios da Trailhawk: o carro vence a maioria dos obstáculos sem dificuldades.

Interior tem acabamento bem cuidado

Interior tem acabamento bem cuidado (Pedro Bicudo)

Sem concorrentes diretos na mesma faixa de preço (R$ 134.990), o Compass é competitivo mesmo contra modelos mais caros. Considerando apenas os SUVs movidos a diesel, o rival mais próximo é a Chevrolet Trailblazer LTZ, recheada de equipamentos, mas que sai por R$ 199.990 – uma diferença de nada menos que R$ 64.200.

Tração 4x4 tem quatro modos de condução

Tração 4×4 tem quatro modos de condução (Pedro Bicudo)

Já o Audi Q3 Attraction 1.4 TFSI parte de R$ 142.990 e tem porte semelhante, mas bebe apenas gasolina e oferece uma lista bem menor de equipamentos de série. Sendo assim, seu grande inimigo pode ser justamente o Compass Longitude Flex.

Se você não faz questão de dirigir um SUV a diesel e dispensa a tração 4×4, não há motivos para bancar a diferença de R$ 26.000 que separa dois modelos recheados com os mesmos equipamentos. Mas se a autonomia do diesel e as aptidões off-road forem um diferencial importante, a escolha está feita.

Motor 2.0 tem calibragem mais suave que no Renegade

Motor 2.0 tem calibragem mais suave que no Renegade (Pedro Bicudo)

VEREDICTO

Gostoso de dirigir, o Compass é uma das melhores opções do segmento: é bonito, encara trilhas, anda bem e ainda bebe pouco.

 

Teste (com diesel)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h: 11,4 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 33 s – 155 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h: 5,1 s (em D)
  • Retomada de 60 a 100 km/h: 6,8 s (em D)
  • Retomada de 80 a 120 km/h: 8,9 s (em D)
  • Frenagens de 60/80/120 km/h a 0: 17,4/30/69 m
  • Consumo urbano: 11,7 km/l
  • Consumo rodoviário: 15,1 km/l

 

Ficha técnica

  • Preço: R$ 134.990
  • Motor: diesel, diant., transv., 4 cil., 1.956 cm3; 16V, 170 cv a 3.750 rpm, 35,7 mkgf a 1.750 rpm
  • Câmbio: automático, 9 marchas, 4×4
  • Suspensão: McPherson (diant. e tras.)
  • Freios: discos ventilados (diant.)/sólidos (tras.)
  • Direção: elétrica, 11,3 m (diâmetro de giro)
  • Rodas e pneus: liga leve, 215/65 R16
  • Dimensões: comprimento, 441,6 cm; altura, 164,4 cm; largura, 182 cm; entre-eixos, 263,6 cm; peso, 1.717 kg; tanque, 60 l
  • Equipamentos de série: ar-digital bizona, central multimídia, ESP, piloto automático
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Djalma Andretta

    Me desculpem mas não dá para comparar Jeep com Audi. Já começa que nào existe SUV Audi com dois airbags, além disso a construção é muito mais refinada e os motores são mais modernos.

  2. O mais impressionante é que é um carro com design clássico, o motor é bom , mas não revolucionário, acabamento sóbrio, entretanto virou de pernas pro ar vários segmentos baseados no tamanho. É o carro do ano!

  3. Preço agradou??? os americanos dão risada quando descobrem que pagamos 50 mil dolares em um jeep

  4. Darlan Nunes

    A matéria contém alguns erros, mas o mais claro aparece quando citam Trailblazer LT, configuração que não existe no Brasil, agora só LTZ R$ 159.900 3.6 v6 gasolina ou R$ 189.900 2.8 turbo diesel, e ambas as versões são bem mais equipadas que o Compass. Na versão Trailhawk o Compass e a Trailblazer podem se equiparar, tanto em equipamentos como em preço, porque os itens de série da Trailblazer são quase todos opcionais (caros) no Compass. Na questão de beleza vai de cada um, eu prefiro o Compass, e vejo um esmero maior no acabamento interno também, e como não preciso de 7 lugares é outro ponto pro Compass.
    Enfim são dois veículos de categorias diferentes, feitos com muito mais atrativos e qualidade, que os líderes de seus segmentos, mas pelo que vejo do nosso povo, ainda teremos muitos hr-v e sw4 sendo vendidos a preço de ouro por aí!

  5. Marco Aurélio Souza Alves

    Se querem vender carro tem que abaixar mais o preço 132.000 reais logo de cara não vai vende principalmente a nossa situação financeira como está . Começando a vender a partir de 80.000 é bom preço.

  6. Pablo Ramalho

    Acabei de comprar um trailhawk o carro é fantástico ! Tinha um Renegade longitude excelente também , mas aproveitei um consócio . Carro muito gostoso de dirigir e bem resolvido na questão conforto / espaço / ecomomia . Nota 9,5 !

  7. Marco Antonio Cardoso Andrade

    Agradou no preço! Sério! 132 mil reais!

  8. Carros Com Isenção

    [ + de 50% dos Brasileiros Tem Direito e NÃO SABE ]
    Seu carro 0km com 30% de desconto e livre de IPVA

    Você sabia que mais de 50% dos brasileiros tem DIREITO a comprar carros com 30% DE DESCONTO e livre de IPVA ?

    Você tem tendinite ? Hepatite ? Sabia que poderia estar economizando uma GRANA ao comprar um carro novo ?

    São mais de 30 patologias que dão direito ao benefício. Listamos abaixo as mais comuns:
    – Artodese
    – Escoliose
    – Artrite Reumatóide
    – Hérnia de Disco
    – Parkinson
    – Artrose
    – Derrame
    – Vários tipos de câncer
    – Próteses internas e externas
    – Bursite
    – Tendinite
    – LER

    Doenças como Síndrome de Down e Autismo também dão direito como Não condutor.

    Apesar da isenção de impostos ser prevista em lei, muitos brasileiros não sabem que possuem esse direito, e os que sabem não fazem a menor idéia de como conseguir.

    Diversas doenças estão classificadas entre as que dão direito e são mais comuns do que se imagina. É o caso da hérnia de disco e da tendinite.

    A população brasileira gira em torno de 200 milhões, e conforme informado por Rodrigo Rosso, presidente da ABRIDEF e Diretor da Revista Reação, 50% do brasileiros tem o direito e não sabem.

    O guia “Carro Com Isenção” é totalmente baseado nas atuais leis e com todas as armas para que o cliente fuja da burocracia.

    Acesse e Saiba Mais >> http://mon.net.br/b885

  9. Martins Pessôa Regis Júnior

    Qual seria o motivo para preferir um modelo flex em lugar do modelo a diesel? Só a mentalidade beberrona que o brasileiro tem, copiada dos norte-americanos dos anos 1960, para pensar assim. Melhor do que os modelos a diesel, somente os híbridos ou elétricos.