Porsche Cayenne S E-Hybrid: a exceção da regra

O Porsche Cayenne S E-Hybrid é mais barato que a versão a gasolina. E mais legal

É impossível não notar as pinças de freio verdes

É impossível não notar as pinças de freio verdes (João Mantovani/Quatro Rodas)

Híbridos já não são obrigatoriamente feios, lentos e absurdamente mais caros. Não todos, pois há exceções como o Porsche Cayenne S E-Hybrid. É bonito, rápido e custa R$ 432.000. Não é barato, mas custa exatamente R$ 68.000 a menos do que o Porsche Cayenne S convencional, mais nocivo aos ursos-polares e que sai por R$ 500.000.

A diferença nos preços é obra de lei que faz com que híbridos paguem imposto de importação mais baixo. Em vez dos 35% usuais, são taxados em até 7%, dependendo do tamanho do motor e do quanto ele é eficiente.
O motor não pode ultrapassar os 3 litros – ótima notícia para o V6 3.0 Turbo do Cayenne E-Hybrid.

Comum nos Audi, esse motor entrega 333 cv e 44,9 mkgf de torque, e seu parceiro elétrico apoia a causa sustentável com seus 95 cv e 31,6 mkgf. Quando trabalham juntos, vem a potência máxima de 416 cv e 60,2 mkgf de torque. Com motor V6 3.6 Turbo, o Cayenne S convencional gera 420 cv e 56 mkgf de torque.

Motor híbrido fica escondido sob as capas plásticas

Motor híbrido fica escondido sob as capas plásticas (João Mantovani/Quatro Rodas)

Além de custar um Honda City a menos, o Cayenne E-Hybrid leva vantagem por poder rodar por até 36 km, no ciclo urbano, sem precisar acordar o quatro cilindros a gasolina. O motor elétrico ainda dá conta de levar sozinho o enorme SUV de 2.350 kg (265 kg a mais que a versão a gasolina) a até 125 km/h. E o mais impressionante: sua bateria consegue sustentar essa velocidade por 18 km. Basta selecionar o modo E-Power no console.

Nesse modo, o pedal do acelerador passa a ter dois níveis: o primeiro limita os esforços ao motor elétrico, mas um pouco mais de força no pé o leva ao segundo estágio, que acorda o motor V6.

Há um marcador que funciona como uma espécie de econômetro: mostra quando o motor elétrico está atuando para recarregar a bateria, para mover o carro ou quando o motor V6 está em ação.

As costuras verdes são exclusivas do E-Hybrid

As costuras verdes são exclusivas do E-Hybrid (João Mantovani/Quatro Rodas)

O modo Sport, combinado à suspensão pneumática em Sport Plus (que enrijece e reduz a altura da suspensão), revela outra face do E-Hybrid. O torque de 31,4 mkgf do motor elétrico surge de imediato quando você crava o pé no acelerador, enquanto o motor a gasolina respira fundo para finalizar o golpe nas suas costelas e arremessar o Cayenne para a frente. Em 6,3 segundos, ele estará a 100 km/h, e o tal econômetro estará sobre a faixa vermelha (Boost).

O sistema híbrido pode mostrar seu modo de funcionamento instantâneo, basta selecionar a tela no computador de bordo ou na central multimídia. Mostra a força saindo de cada motor, passando pelo câmbio Tiptronic de oito marchas e chegando às rodas e também quando o motor está operando no modo E-Charge, ou os freios regenerativos recarregam a bateria.

É tão lúdico que você corre o risco de se pegar dirigindo em função do sistema, para só usar o motor elétrico ou para repor a energia da bateria e ter maior autonomia elétrica.

Por fora, é quase igual ao Cayenne S convencional

Por fora, é quase igual ao Cayenne S convencional (João Mantovani/Quatro Rodas)

O melhor a fazer é chegar em casa e ligar o carro na tomada da garagem. O carregador vem com o E-Hybrid e repõe a energia entre cinco e dez horas, dependendo da tensão da tomada – é mais rápido nas de 220 V. Nada impede que você use só o motor a gasolina, mas deixe-o trabalhar em conjunto com o elétrico para apreciar um belo consumo urbano de 17,1 km/l.

Veredicto

É como qualquer outro Cayenne: grande, luxuoso e confortável. Mas tem tecnologia híbrida de ponta e cobra menos por isso. Parece negócio da China, mas é alemão…

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h:  6,3 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 25,8 s – 204,3 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 3,8 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 4,3 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 5,4 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 17,4 / 28,6 / 63,6 m
  • Consumo urbano: 17,1 km/l
  • Consumo rodoviário: 15,1 km/l

Ficha técnica – Porsche Cayenne S E-Hybrid

  • Preço: R$ 432.000
  • Motor: gasolina, diant., longit., 6 cil. em V, 2.995 cm3; 24V, turbo, inj. direta, 333 cv a 5.500 rpm, 44,9 mkgf a 3.000 rpm. Elétrico, diant., 95 cv a 2.200-2.600 rpm, 31,6 mkgf até 1.700 rpm. Combinado: 416 cv a 5.500 rpm, 60,2 mkgf a 1.250- 4.000 rpm.
  • Câmbio: aut., 8 marchas, tração integral
  • Suspensão: duplo A (diant.) e multilink (tras.)
  • Freios: discos ventilados
  • Direção: hidráulica, 11,9 m (diâmetro de giro)
  • Rodas e pneus: liga leve, 295/35 R21
  • Dimensões: compr., 485,5 cm; altura, 170,5 cm; largura, 193,9 cm; entre-eixos, 289,5 cm; peso, 2.350 kg; tanque, 80 l
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Martins Pessôa Regis Júnior

    A única incoerência dos carros híbridos e elétricos é que eles são inacessíveis a quem se importa com o consumo de combustível…