Nissan Kicks: pernas curtas para longas viagens

Após 1.000 km, Kicks de Longa encara nossa pista de testes. A rodagem também trouxe as primeiras impressões dos usuários

Nissan Kicks - Longa

A regra é clara: todo carro de Longa passa por uma completa bateria de testes em nosso campo de provas, aos 1.000 km e aos 60.000 km – ou seja, na chegada à frota e também na despedida.

Com a quilometragem exigida, o Kicks ganhou não apenas a missão de ir para a pista (veja resultado no quadro comparativo abaixo), mas também uma série de comentários por parte dos sete motoristas que se revezaram ao seu volante.

LEIA MAIS:

>> Longa Duração: a chegada e as primeiras impressões do Kicks

>> Comparativo: Kicks x HR-V x Renegade x Tracker x 2008

>> Longa Duração: o desmonte do Honda HR-V

Entre as críticas negativas, o editor Leo Nishihata e o piloto de testes Eduardo Campilongo – únicos da equipe com rodagem rodoviária no período – chegaram à mesma conclusão: o habitat do Kicks é, definitivamente, a cidade. “Sem piloto automático e apoio de braço central, as viagens ficam cansativas”, disse Edu.

“O tanque com apenas 41 litros – menos que o do Mobi! – confere baixa autonomia. Com quatro adultos, bagagem e ar-condicionado ligado, a situação piora. Chega a ser arriscado cair na estrada sem uma programação prévia das paradas para abastecimento”, comentou Leo, após encarar uma subida de serra até Campos do Jordão (SP).

Por padrão, os carros flex de Longa Duração são abastecidos somente com etanol, o que agrava ainda mais a questão da autonomia.

Nissan Kicks

O estagiário Guilherme Fontana também dirigiu o Kicks. “Personalizável e repleta de recursos, a central multimídia é intuitiva e fácil de operar, pois tem tela de alta definição, boa resposta tátil e botões físicos”, disse.

Com seis pessoas na equipe de QUATRO RODAS com filhos em idade de uso de cadeira infantil para carros, não faltaram comentários sobre o tema. “O tampão traseiro bipartido facilita o uso do terceiro ponto de fixação (Latch) da cadeirinha. Sem ele, seria necessário abrir a tampa do porta-malas para acessar o ponto de ancoragem traseiro”, diz o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros.

Teste (com etanol) – exemplares do Longa Duração
Nissan Kicks Honda HR-V Jeep Renegade
Aceleração de 0 a 100 km/h 12 s 10,7s 13,7 s
Retomada de 40 a 80 km/h (em D) 5,4 s 5 s 6,2 s

Retomada de 60 a 100 km/h (em D)

7,3 s 5,6 s 7,7 s
Retomada de 80 a 120 km/h (em D) 9,3 s 7,4 s 10,8 s
Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0 17 / 28,9 / 67,7 m 15 / 25,1 / 61,1 m 17,6 / 31,1 / 71,2 m
Consumo urbano 8,8 km/l 8,2 km/l 6,9 km/l
Consumo rodoviário 10,5 km/l 10,2 km/l 8,1 km/l
Ruído interno (neutro / RPM máximo) 41,4 / 72 dBA 39,4 / 71,3 dBA 44,7 / 69,2 dBA
Ruído interno (80 / 120 km/h) 63,2 / 69,6 dBA 61,5 / 67,4 dBA 59,7 / 67,4 dBA

Nissan Kicks – 1.738 KM
CONSUMO
No mês: 9,2 km/l com 24,9% de rodagem na cidade
Desde setembro de 2016: 9,2 km/l com 24,9% de rodagem na cidade
Combustível: etanol
GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 460
FICHA TÉCNICA
Versão: SL 1.6 16V
Motor: dianteiro, transversal, 4 cil., 1.598 cm³, flex, 114 cv a 5.600 rpm, 15,5 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: automático, CVT, tração dianteira
Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Daniel Louzada da Fonseca

    Dizer que o carro é urbano e se torna cansativo para viagens por não ter piloto automático e apoio de braço central é o cúmulo da frescuragem…Tenho um Jetta TSI e não ligo o tal piloto automático simplesmente porque é raro no país estradas livres e amplas para se usar isso em viagens…A todo momento temos de acelerar, frear, retomar etc, o que torna o PA desnecessário…O descanso de braço é até bom, mas, não pode ser considerado fator preponderante para afirmar que um carro é ou não é urbano…O importante no carro é ser seguro, silencioso, com desempenho justo pelo preço e prazeroso em dirigir…Tive um Up TSI que não possuía nada disso e viajava nele constantemente pelo prazer em dirigir um carro silencioso, que anda demais, que possui câmbio preciso etc…Agora, o problema da autonomia é brincadeira, ainda mais se abastecer com etanol, aí eu concordo…

  2. Stilgar Duna

    Onde foram parar os comentários que estavam aqui?

  3. Stilgar Duna

    Em primeiro lugar, penso que a capacidade do tanque de combustível deveria ser mesmo maior, com pelo menos 50 litros. Porém, levando-se em conta que não é recomendável dirigir mais do que 2 ou 3 horas sem uma parada para descansar e esticar as pernas, um tanque pequeno como o do Kicks só é problemas em regiões do Brasil pouco providas de postos de combustíveis. Claro que ele tem alguns outros “defeitos”, pelo menos para alguns, porém os seus concorrentes também tem seus “defeitos”. Assim, acredito que, na categoria, é questão de pesar o que é mais importante para quem deseja este tipo de veículo e se está disposto a pagar o preço que as montadoras pedem por cada um. Eu, particularmente, gostei do que vi no Kicks, mas sou sincero em falar que não tenho dinheiro para ter um, ainda mais que o Brasil perdeu a noção entre o preço dos produtos (não só carros) e da renda da maioria das pessoas. E isso não vai mudar tão cedo.

  4. Anuar Martins

    Ainda não fiz viagem longa em meu Kicks, porém o Piloto Automático é um item que prezo muito em minhas viagens de Morrinhos – GO para Palmas – TO. No Mercado Livre já há disponível um Piloto Automático para o KICKS da marca DALGAS no valor de R$ 1.850,00 (mais 200,00 para instalação), o mesmo oferecido pelas concessionárias de SP. O equipamento é plug and play, porém não obtive resposta da Nissan quanto a manutenção da garantia na eventual instalação deste acessório. O apoio de braços também está disponível no Mercado Livre por R$ 370,00. Este já instalei e ficou muito bom! Portanto, há condição de transformar o Kicks em um carro menos “urbano” através da instalação de acessórios.

  5. Martinho Franco

    Concordo integralmente com o comentário do Daniel Louzada.

  6. Angelo Spagnol

    “Por padrão, os carros flex de Longa Duração são abastecidos somente com etanol” … Já está na hora da editora abril rever isso. QUANTOS anos tem que a maioria dos leitores não põe etanol em seus tanques? Aqui em Brasilia é 3,49 a gasolina contra 3,29 do etanol. BH segue da mesma forma, RJ, BA, RS, SC, PR…. Só em SP que às vezes ainda se acha vantagem em por Etanol, às vezes.