Mercedes CLA 200 x Mercedes C 200: a guerra das estrelas

Custando quase o mesmo, os Mercedes Classe C e CLA têm suas próprias armas. Mas qual dos dois, de fato, tem a Força?

Classe C (à esq.) e CLA têm a estrela de três pontas na grade, mas em pacotes diferentes

Classe C (à esq.) e CLA têm a estrela de três pontas na grade, mas em pacotes diferentes (Leo Sposito)

A saga Star Wars e a gama da Mercedes-Benz guardam mais semelhanças do que se pode imaginar. O filme O Império Contra-Ataca, de 1980, é conhecido pela cena mais marcante da história da série, onde o vilão Darth Vader revela ser o pai de Luke Skywalker.

Mais do que a semelhança entre a relação familiar de Classe C e CLA, a Mercedes estabeleceu, após o lançamento das atuais gerações de CLS e Classe S, duas linhas bem distintas – ou, como idealizado por George Lucas, duas forças opostas.

CLA e CLS poderiam pertencer ao lado sombrio da Força, com emoção e poder vindos da vocação esportiva de cada um. Classe C e Classe S, por sua vez, seguiriam o lado da luz, com harmonia e serenidade pela proposta de sofisticação. Assim, com lados muito, muito distantes, mas preços próximos, está formada a guerra das estrelas entre CLA e Classe C.

O CLA chegou à linha 2017 com novidades em visual (faróis e lanternas) e preço. Agora, o sedã compacto custa quase o mesmo do sedã médio da marca. É o caso das versões testadas CLA 200 Vision (R$ 183.900) e C 200Avantgarde (R$ 186.900). E é no tamanho que vem a primeira diferença.

O compacto CLA agrada pelo visual com toque esportivo

O compacto CLA agrada pelo visual com toque esportivo (Leo Sposito)

É verdade que o CLA é apenas 3,4 cm menor que o C, porém o mais importante é que ele também tem 15 cm a menos de entre-eixo – e isso se reflete no interior. Só o Classe C leva três pessoas sem aperto, inclusive com mais folga para os joelhos. Já no porta-malas, há quase um empate com 470 litros contra 480 do sedã médio.

Outra diferenciação está no estilo. O Mer­cedes menor investe em aparência esportiva, com vincos marcantes, teto panorâmico, rodas aro 18 com desenho AMG e conjunto óptico mais agressivo. Já o C 200 aposta em linhas mais clássicas, rodas de 17 polegadas mais conservadoras, além do conjunto de iluminação semelhante ao do luxuoso topo de linha Classe S.

Linhas clássicas marcam o sedã médio Classe C

Linhas clássicas marcam o sedã médio Classe C (Leo Sposito)

Nos dois, faróis e lanternas são full led, mas com regulagem automática da intensidade das luzes traseiras (condução diurna, noturna e parada noturna) no CLA e faróis adaptativos no C 200 (curva, esquina, neblina e estrada).

As listas de equipamentos são (muito) parecidas. Ambos têm ar automático bizona, seletor de modos de direção, teto solar elétrico (panorâmico para o CLA), banco do motorista com ajustes elétricos e memórias, piloto automático, limitador de velocidade, monitoramento da pressão de pneu, assistente de sonolência, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, câmera de ré, freio de estacionamento elétrico, controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas e multimídia (sem tela touch) com Bluetooth, USB, GPS e Apple CarPlay.

O C 200 sai na frente com airbags de cortina (frontais e laterais são de série nos dois), touchpad para manuseio do sistema multimídia, retrovisores com rebatimento elétrico, modo Sport+ e volante com regulagem elétrica, que ainda se ergue para a saída ou entrada do motorista, evitando que ele raspe as pernas.

Acabamento é superior no C 200

Acabamento é superior no C 200 (Leo Sposito)

O acabamento também é semelhante, assim como a tela no topo do painel, mas não é difícil notar a superioridade do Classe C.

Enquanto o CLA tem banco esportivo (com apoio de cabeça integrado) e revestido de tecido, o do C 200 tem desenho convencional (com apoio ajustável) e forração de couro. O painel do carro menor traz materiais de boa qualidade e encaixes precisos, mas seus plásticos têm aparência e toque menos sofisticados do que o C, que adiciona partes e comandos em aço escovado e um console central em piano black (que risca facilmente).

Painel tem variação de texturas

Painel do CLA tem variação de texturas (Leo Sposito)

No dia a dia, cada um agrada a um público diferente – desde que os respectivos proprietários se acostumem com o câmbio instalado na alavanca direita atrás do volante. No comportamento dinâmico, o CLA 200 reforça sua vocação esportiva com um rodar mais duro pelo acerto rígido da suspensão e pelos pneus de perfil baixo (225/40), que deixam passar, de forma nada suave, grande parte das imperfeições do solo.

O motor 1.6 turbo flex de 156 cv e 25,5 mkgf garantiu bons números de pista ao compacto, que foi de 0 a 100 km/h em 8,7 segundos e fez a retomada de 80 a 120 km/h em 6,9. Testado com gasolina, o sedã mais barato fez as médias de 10,6/14,9 km/l em ciclo urbano/rodoviário.

Como esperado, o C 200 foi ainda melhor com o 2.0 turbo a gasolina com 184 cv e 30,6 mkgf. Mesmo levando apenas 7,7 segundos para chegar aos 100 km/h e 4,9 na retomada de 80 a 120 km/h, suas médias de consumo conseguiram ser menores do que as conquistadas pelo caçula CLA, com as marcas de 10,9 km/l em circuito urbano e 16,3 km/l no rodoviário.

Como se esperava, sendo 35 kg mais pesado, o Classe C demorou mais para parar de 120 km/h a 0: 65,6 metros. O câmbio é o mesmo de sete marchas, mas com uma grande diferença: tração traseira no C 200 e dianteira no CLA 200.

Apesar disso, percebe-se claramente que o sedã maior foi feito para quem não quer ter pressa. O perfil mais alto dos pneus (225/50) e a calibragem menos rígida dão mais conforto aos passageiros (e ao motorista, é claro). A suavidade do conjunto, típica de um Mercedes-Benz, também merece destaque.

Para evocar o lado “do mal” do Classe C, porém, basta selecionar o modo Sport+. A direção fica mais pesada, o câmbio faz trocas mais rápidas e o motor fala mais alto (só não espere o ronco de um AMG).

Assim como em Star Wars e na divisão dos lados opostos da Força lembrada no início do comparativo, a luz triunfou sobre as trevas. Ou seja, o C 200 Avantgarde venceu a guerra das estrelas sobre o CLA 200 Vision por compensar os meros R$ 3.000 a mais com maior nível de equipamentos, acabamento, conforto, espaço, desempenho e consumo.

VEREDICTO

Mais bem equipado, mais sofisticado e dono de um conjunto mecânico superior, o C 200 Avantgarde ganha com folga o comparativo.

 

Teste de pista (com gasolina)

CLA 200 Vision C 200 Avantgarde
Aceleração de 0 a 100 km/h 8,7 s 7,7 s
Aceleração de 0 a 1.000 m 29,8 s – 177,5 km/h 28,1 s – 190,8 km/h
Retomada de 40 a 80 km/h (em D) 4,2 s 3,1 s
Retomada de 60 a 100 km/h (em D) 5,3 s 4 s
Retomada de 80 a 120 km/h (em D) 6,9 s 4,9 s
Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0 14,7 / 26,5 / 61,6 s 16,6 / 28 / 65,6 s
Consumo urbano 10,6 km/l 10,9 km/l
Consumo rodoviário 14,9 km/l 16,3 km/l
 
CLA 200 C 200
Motor flex, diant., transv., turbo, 4 cil., 1.595 cm3, 16V, 156 cv a 5.300 rpm, 25,5 mkgf a 1.250 rpm gasol., diant., transv., 4 cil., 1.991 cm3, 16V, 184 cv a 5.500 rpm, 30,6 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio automático, 7 marchas, tração dianteira automático, 7 marchas, tração traseira
Suspensão McPherson (diant.) / multilink (tras.) duplo A (diant.) / multilink (tras.)
Freios discos ventilados disco ventilado (diant.) / sólido (tras.)
Direção elétrica elétrica
Rodas e pneus liga leve, 225/40 R18 liga leve, 225/50 R17
Dimensões comprimento, 464 cm; altura, 143,2 cm; largura, 203,2 cm; entre-eixos, 269,9 cm; peso, 1.430 kg; tanque, 50 l; porta-malas, 470 l comprimento, 468,6 cm; altura, 144,2 cm; largura, 202 cm; entre-eixos, 284 cm; peso, 1.465 kg; tanque, 66 l; porta-malas, 480 l
Equipamentos de série airbags laterais, assistente de estacionamento, câmera de ré, faróis full led, monitoramento de pressão dos pneus, teto solar elétrico panorâmico airbags laterais e de cortina, assistente de estacionamento, assistente de atenção, câmera de ré, faróis full led, rodas aro 17
Preço R$ 183.900 R$ 186.900

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. ÁLVARO COSTA NETO

    Na minha opinião este câmbio instalado na alavanca direita atrás do volante, matou o carro. Atrapalha demais, principalmente quando o condutor coloca em modo manual para passar as marchas. Me lembra os carros antigos. Prefiro a alavanca do cambio atomático na parte do console, como os carros da Audi e BMW utilizam. Bem melhor, mais prático, e mais seguro.

  2. Marcus Vinicius

    Com a nacionalização do CLA 200 talvez fosse possível bater de frente com A3 sedan !

  3. Marco Antonio Cardoso Andrade

    Só de levar três atrás decentemente eu ficaria com o C200…

  4. sem duvidas prefiro o classe C, esse CLA nunca fui com a cara dele mesmo quando lançou, e só de olhar os numeros do classe C em consumo e performance é mais motivo ainda pra ignorar o cla, apenas acho as rodas muito caretas pra versão 200.