Jaguar XKR-S

O esportivo reúne a essência da marca em doses generosas de desempenho, dirigibilidade, conforto e imponência

testes

Quando se trata de dirigir bons carros, não tenho queixas da vida. Posso dizer que boa parte dos chamados carros de sonho passaram pelas minhas mãos. É bom deixar claro que devo isso quase que exclusivamente às minhas aptidões vocacionais – se dependesse do saldo no banco, minha lista seria bem mais modesta. E entre os carros que me proporcionaram maior prazer ao volante, bem posicionado no alto da lista, está o Jaguar E-Type. Dirigi um 1970, em 2011, por ocasião das comemorações de 50 anos do modelo, que estreou em 1961. A boa lembrança voltou diante da oportunidade de pilotar o Jaguar XKR-S. Esse modelo não nasceu como um tributo ao lendário E-Type, mas representa o papel que um dia já foi dele, o de superesportivo da linha.

O velho E-Type ficaria orgulhoso de seu neto. O XKR-S oferece uma posição de dirigir envolvente, o banco apoia bem o corpo do motorista, próximo ao piso (há regulagem de altura, mas procurei não elevar demais o assento). Como o antepassado, o XKR-S é um 2+2, portanto, o banco de trás é apenas decorativo. A alavanca de câmbio desapareceu. Em seu lugar, surgiu um seletor rotatório para o acionamento do sistema nos modos automáticos, D (drive) e S (esportivo), com as mudanças feitas em rotações maiores. Mas existe também a opção das trocas manuais, por meio de aletas localizadas atrás do volante – modernidade que eu adoro.

Em relação ao motor do XKR-S, você pode ter uma ideia de seu desempenho olhando a ficha técnica ao fim do teste. Resumidamente, o V8 5.0 gera 550 cv de potência e 69,4 mkgf de torque e, segundo a fábrica, é capaz de levar o carro aos 300 km/h de velocidade máxima eletronicamente limitada. Para a aceleração de 0 a 100 km/h, a Jaguar anuncia o tempo de 4,4 segundos. Na vida real, e com combustível nacional, extraímos a marca de 4,7 segundos. Nada mau… E, não bastasse a competência do motor em catapultar os 1 753 kg, ele ainda consegue cumprir a função de um competente DJ ao animar a pista com um som absolutamente arrebatador, afinado para proporcionar ao motorista comum momentos de catarse reservados a pilotos de máquinas especiais, um verdadeiro gerador de adrenalina. As arrancadas foram feitas com o controle de estabilidade acionado, uma vez que, sem essa assistência, as rodas traseiras patinavam ao sair. Pode ser divertido ter de corrigir a traseira querendo passar a dianteira, mas o tempo gasto nessa manobra piora a marca.

A suspensão é caso à parte. Existem muitas suspensões macias, mas nenhuma como a de um Jaguar. Não sei o que os engenheiros ingleses fazem, mas eles conseguem uma calibração de tal modo refinada que o carro roda com suavidade sem, no entanto, transformar o motorista em um passageiro do banco de trás. O conforto não atua como antídoto da dirigibilidade. Uma prova disso é que demorei para perceber como o XKR-S se comporta em curvas em alta velocidade. Quem me deu a pista foi o controle de estabilidade, que freava a roda dianteira externa à curva quando o Jaguar ameaçava escapar. Ou seja: naquele momento, o carro tendia a sair de traseira (freando a frente, o sistema provocava o realinhamento da traseira). Para levar o carro ao limite, acionei o modo Adaptive Dynamics do sistema Jaguar Drive Control, que regula o comportamento da direção e da suspensão de acordo com o estilo de condução, deixando a direção mais firme e o amortecimento mais rígido, em alta velocidade.

A Jaguar diz que o XKR-S é um superesportivo que pode ser usado no dia a dia, sem cansar o motorista. É verdade. O cuidado necessário nas ruas é uma atenção especial a obstáculos como valetas e tartarugas, uma vez que a frente do Jaguar é baixa e raspa ao menor descuido. Mas, se o motorista comprar o Jaguar só para deixá-lo na garagem, ainda assim, o retorno do investimento poderá vir em forma de deleite estético. A propósito: o XKR-S custa 620 000 reais, é vendido sob encomenda e a entrega leva cerca de três meses.

O XKR-S tem estilo agressivo. Visto de frente, com a grade oval ladeada pelas entradas de ar, no capô, e o para-choque com tomadas de ar verticais, ele lembra um felino selvagem, pronto para atacar sua presa, o asfalto. As rodas pretas são as garras. E o aerofólio traseiro, com a fibra de carbono exposta (como na saída dianteira e no difusor traseiro), completa o visual rebelde. A carroceria é de alumínio, mas não há frisos cromados. O único brilho ficou reservado para o gato saltador, símbolo da marca, na traseira, e para os emblemas de identificação do modelo. Os puristas vão dizer que a cor do XKR-S deveria ser sempre a verde típica dos carros de corrida ingleses: British Racing Green. Mas o menos discreto azul francês, French Racing Blue, lhe caiu muito bem. Além de verde e azul, há vermelho (Italian Racing Red), preto (Ultimate Black), branco (Polaris White) e cinza (Stratus Grey). A cabine é revestida de couro preto (material usado até no forro do teto). Mas a costura dos bancos acompanha a cor da carroceria. Os bancos recebem ainda apliques de couro com textura de fibra de carbono, e o painel tem partes de alumínio texturizado. No console, a tela da central multimídia é touch e o painel de instrumentos tem tela LCD ao lado de mostradores analógicos. O XKR-S não tem opcionais. E precisa?

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO

A suspensão concilia conforto e dirigibilidade. A direção é progressiva. Os freios param de modo exemplar.

★★★★★

MOTOR E CÂMBIO

O motor é moderno, mas o câmbio poderia ter uma ou duas marchas a mais, para acompanhar a concorrência alemã.

★★★★

CARROCERIA

O design da carroceria de alumínio, que já era carismático na versão XK, ganhou ainda mais expressividade com as mudanças realizadas.

★★★★★

VIDA A BORDO

O Jaguar é um superesportivo que oferece conforto para duas pessoas.

★★★★☆

SEGURANÇA

Não faz mais do que a obrigação ao trazer airbags e ESP de série.

★★★

SEU BOLSO

A Jaguar oferece três anos de garantia, enquanto a concorrência para em dois. A empresa está ampliando a rede, que este ano já passou de três para oito endereços no país.

★★★★

OS RIVAIS

Aston Martin Vantage

642_jaguar_13.jpg

Na mesma faixa de preço, este conterrâneo é menor nas dimensões, mas tem motor V8 e acabamento primoroso.

Maserati GT MC Stradale

642_jaguar_14.jpg

Fruto da escola italiana de automóveis, este rival é igualmente belo e rebelde. Seu V8 gera 450 cv.

VEREDICTO

O XKR-S é um autêntico representante do clã dos Jaguar. Além de bonito e bem equipado, ele tem acabamento luxuoso e desempenho superior. Seu preço é interessante, diante de outras opções no mesmo segmento.

>> Confira a Ficha Técnica do carro

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s