Impressões: Maserati Levante, o tridente multiuso

A Maserati se rende ao segmento mais aquecido do mundo e pretende agitar os mares com o Levante, primeiro SUV da marca

Maserati Levante

Um Maserati para você jogar na terra sem medo (Divulgação/Maserati)

O clube de SUVs de alto luxo tem novos inscritos: recentemente deu boas-vindas ao Bentley Bentayga, Jaguar F-Pace e Mercedes GLE. Agora é a vez da Maserati entrar nesse grupo, que apresenta o Levante ao mundo. Antes de torcer o nariz para o recém-chegado, lembre-se do Cayenne. Os puristas se contorceram antes de seu lançamento, mas o utilitário rendeu alto volume de vendas e dinheiro – isso ninguém pode negar.

LEIA MAIS:

> Conheça o Stelvio, primeiro SUV da história da Alfa Romeo

> Impressões: Jaguar F-Pace, o gato de botas

> Teste: Audi Q7 3.0 Ambition, tratamento personalizado

A Maserati quer aproveitar os bons ventos com o Levante, sobretudo em novos mercados, como a Ásia, em especial a China. Não por menos, o nome do utilitário homenageia um vento do Mediterrâneo. O Viento de Levante sopra no oeste daquele oceano pelo Estreito de Gibraltar, direcionando nuvens e chuva para a região.

A produção ficou a cargo da fábrica de Mirafiori, perto de Turim. Para ter ideia da importância do SUV, a empresa espera vender 70.000 carros em 2018, ante os 5.000 que comercializou em 2006 – antes dos Quattroporte e Ghibli. No Brasil, o Levante foi exibido durante o Salão do Automóvel, e já está à venda por preços entre R$ 640.000 e R$ 740.000.

Suspensão a ar oferece seis níveis de altura

Suspensão a ar oferece seis níveis de altura (divulgação/Maserati)

Por fora, impressionam as proporções de coupé, com portas traseiras sem moldura e apurado coeficiente aerodinâmico (0,31), apesar da enorme área frontal. Parte desse resultado vem de uma cortina elétrica entre as tomadas de ar e o radiador, dotada de lâminas que abrem e fecham conforme a necessidade de refrigeração do motor ou redução de resistência ao ar.

Saídas duplas acompanham o motor V6. Em breve, um V8

Saídas duplas acompanham o motor V6. Em breve, um V8 (divulgação/Maserati)

Com 5 metros, o Levante é o maior de seu segmento. Tem entre-eixos até 10 cm maiores que os rivais. O interior do carrão conta com ares de lounge vip. E é ainda possível tornar a cabine mais aristocrática por meio da opção do couro bicolor personalizável.

Mas nem tudo é perfeito. Falta o head-up display (tecnologia que projeta informações no para-brisa) e o quadro de instrumentos é muito parecido com o do Ghibli, com retroiluminação branca. O clássico relógio analógico da Maserati está situado ao centro do painel e o acabamento interior é valorizado pelas molduras cromadas de alumínio.

O acabamento interior é valorizado pelas molduras cromadas de alumínio

Cabine ampla e bem construída traz alguns elementos comuns ao sedã Ghibli (divulgação/Maserati)

Como opcional, um jogo de bancos Comfort pode ser acrescido na versão top (Luxury), que conta com 12 opções de ajuste elétrico, capazes de alterar a inclinação do suporte lombar ou ângulo do assento, além de dispor de aquecedor e ventilação.

Bancos traseiros têm ajuste elétrico

Bancos traseiros possuem encosto ajustável (divulgação/Maserati)

Tecnicamente, o Levante tem como base a mesma plataforma do Ghibli (entre-eixos e largura são iguais), mas adaptada ao utilitário esportivo. No entanto, será difícil chamar esse italiano de luxo de aventureiro. Ele tem o menor vão livre entre os rivais (6,1 cm) e privilegia o conforto de rodagem, apesar de dispor de tração integral nas quatro rodas (item de série) e suspensão pneumática.

Além do sistema de tração AWD automático, o SUV conta com um recurso de vetorização de torque. Essa tecnologia redistribui a força para rodas externas de uma curva, ao mesmo tempo em que freia os pneus de dentro, aumentando sua estabilidade em curvas fechadas. Além disso, a divisão de peso entre os eixos está equilibrada em 50%/50%.

Relógio analógico no topo do painel é tradicional na marca

Relógio analógico no topo do painel é tradicional na marca (divulgação/Maserati)

O Levante dispõe de dois motores V6. A unidade 3.0 a gasolina, dotada de injeção direta e turbo, está disponível em duas versões com potências de 430 e 350 cv, enquanto a turbodiesel 3.0 é capaz de gerar 275 cv.

Todas as versões do Levante contam com uma transmissão automática de oito velocidades (da ZF), com quatro modos de condução: Normal, I.C.E. (que em geral conhecemos como Eco), Sport e Off-road. A distribuição da tração é de normalmente 100% para as rodas traseiras, podendo chegar a 50% para cada eixo em apenas 150 milésimos de segundo.

São quatro modos de condução: Normal, I.C.E (também conhecido como Eco), Sport e Off-road

Tela TFT no centro do painel mostra o modo de condução e a distribuição do torque entre os eixos (divulgação/Maserati)

Foi a primeira vez que a Maserati organizou um test-drive com percursos em trechos alagados, cobertos por lama e pedras soltas. E também é a primeira vez que vejo um carro dessa marca centenária vir equipado com gancho de reboque – acessório que permite puxar até 2,7 toneladas. Eu não esperava ver o tridente da Maserati sujo de barro, mas, assim como ocorreu com a Porsche, o logotipo azul e branco ganhou vida com um pouco de lama.

O porta-malas conta com 580 litros

Porta-malas acomoda 580 litros e traz uma bolsa com um jogo de ferramentas da marca (divulgação/Maserati)

No Brasil, apenas as duas versões a gasolina estão à venda. A configuração Luxury, com 350 cavalos, sai por R$ 640.000. Já a verão Sport com 450 cavalos chega a R$ 740.000. Os valores são intermediários entre o Porsche Cayenne S (R$ 476.000) e o Cayenne Turbo S (R$ 908.000), e sensivelmente acima do Jaguar F-Pace mais caro (R$ 406.000).

VEREDICTO

O Levante é o primeiro rival à altura do Cayenne. Oferece nível de luxo, exclusividade e desempenho compatíveis com a marca do tridente.

FICHA TÉCNICA

Motor gas., dianteiro, V6, 24V, 9,7:1; 2.979 cm3; 430 cv a 5.750 rpm, 59,1 mkgf entre 1.750 – 5.000 rpm
Câmbio automático, 8 marchas, AWD
Direção hidráulica
Suspensão triângulos sobrepostos (diant.) e multilink (tras.)
Freios discos ventilados
Pneus 265/50 R19 (diant.), 295/45 R19 (tras.)
Dimensões comprimento, 500,3 cm; altura, 167,9 cm; largura, 196,8 cm; entre-eixos, 300,4 cm; peso, 2.109 kg; tanque, 80 l; porta-malas, 580 l
Desempenho 0 a 100 km/h em 5,2 s; velocidade máxima de 264 km/h
Preço a partir de R$ 640.000
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. eu só acho que esse desenho dos faróis e lanternas já esta meio ultrapassado, pois o gran turismo já os usa a muito tempo, a marca deveria investir numa completa remodelação de seus atuais modelos.