Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
REPORTAGENS
Mudança de ares
Julho 2012

Mudança de ares

Brasil atinge padrão mundial em emissões de poluentes veiculares

Por Isadora Carvalho
Lista de matÉrias por data:

TAMANHO DA LETRA  

Na esteira da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que aconteceu em junho no Rio de Janeiro, a boa nova é que o Brasil começa a se aproximar dos padrões internacionais de emissões veiculares. Entre 1995 e 2012, o Brasil reduziu a média de emissões de poluentes da frota nacional de 3,8 para 0,4 g/km, valor equiparável aos padrões internacionais. Segundo a Anfavea, esses números se justificam por uma legislação ambiental mais rigorosa no país.

Em 1988, houve a adoção do Proconve, programa que controla as emissões de poluentes para comercializar veículos. "Ele já está em sua quinta fase e, em comum acordo com as montadoras, tornou-se mais exigente", diz Marcelo Bales, gerente da Cetesb, órgão de controle ambiental do estado de São Paulo. Para Francisco Satkunas, consultor da SAE, "as montadoras investiram em novas tecnologias de motores, reduzindo o consumo e as emissões de poluentes". O Brasil teve redução de um terço nas emissões de CO2, principal responsável pelo efeito estufa. A chegada da tecnologia flex a partir de 2003 foi decisiva: o etanol neutraliza os gases de efeito estufa a partir do cultivo da cana. Em 2010, 40% da frota era de carros flex: 15 milhões de unidades de um total de 32,5 milhões. A previsão para 2017 é aumentar o consumo de biocombustíveis. Em relação a 2008, o etanol aumentará sua participação de 17,9% para 31,4%, e a da gasolina se reduzirá para 12,8%.

Para se adequar à legislação nacional e aos planos de redução de emissões internacionais, algumas montadoras já estabeleceram sua "agenda verde". A Honda assume o compromisso global de diminuir as emissões em 30% até 2020, tomando como base seus níveis medidos no ano de 2000, e de zerá-las até 2050. Para a Mercedes-Benz, o objetivo é a redução de CO2 para 125 g/km até 2016, o que equivale a uma diminuição de 30% em comparação a 2007. A Ford estabelece um prazo mais longo, prometendo para 2025 amenizar em 30% a emissão de CO2. A Toyota é mais contida nesses objetivos e se compromete em diminuir apenas 5% os poluentes até 2015.

 





» FOTOS


Publicidade