Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
REPORTAGENS
Entrega técnica
Abril 2012

Entrega técnica

Veja o que você deveria saber ao receber o carro novo na revenda

Por Eduardo Hiroshi | foto: André Bortolloto
Lista de matÉrias por data:

TAMANHO DA LETRA  

Encantado pelo estilo do Veloster, o advogado Carlos Eduardo de Souza procurou uma revenda Hyundai e foi bem atendido. "O vendedor me ligava informando cada passo, do faturamento na fábrica ao desembarque no Brasil." No dia da retirada, tudo mudou. "O atendente do pós-venda me entregou o carro, perguntou se eu sabia dirigir um automático e fez uma rápida explicação. E só." Carlos saiu decepcionado com a entrega técnica. "Muita coisa ainda estou descobrindo. Os botões no volante, por exemplo, não sabia o que eram. Tive que procurar no manual." Infelizmente o caso ilustra como muitas concessionárias dão pouca atenção à entrega técnica, a hora em que a autorizada explica ao novo dono o funcionamento geral do veículo. Por isso, elaboramos um guia com os principais recursos e equipamentos que todo vendedor deveria mostrar ao dono antes de entregar o carro zero.

Global closing


É o recurso que fecha todas as janelas (e, quando há, o teto solar) pela chave, comum em carros com vidro elétrico com função um-toque. Em geral, basta manter apertado o botão de travamento até que todas as janelas estejam fechadas. Alarmes vendidos em lojas fazem isso com apenas um toque do botão na chave.

Desligamento do airbag

Na maioria dos casos, o airbag do passageiro pode ser desativado com a chave de ignição, girando uma fechadura geralmente no batente da porta direita. Carros mais caros fazem isso automaticamente, com sensores de presença no banco. Independentemente do sistema, o motorista precisa saber que o airbag direito precisa ser desativado ao transportar crianças pequenas ou bebês na cadeirinha, quando não puderem ficar no banco de trás.

Trava do câmbio automático


Projetos mais antigos da Honda, Toyota e Nissan oferecem um orifício protegido por uma tampa removível, com a inscrição "shift lock". Serve para destravar o câmbio em situações de emergência. Para isso, abra a tampa que protege o acesso e insira a chave de ignição para soltar o câmbio. Em seguida, volte a alavanca para as posições P ou N e dê a partida. Uma vez destravado, ele volta a funcionar normalmente. Como o travamento é raro, modelos mais modernos não possuem o dispositivo.

Vidros elétricos


Boa parte dos veículos tem o chamado "vidro expresso", outro nome para o sistema um-toque. Nos GM, por exemplo, a função é ativada se o usuário mantiver o dedo no botão. Nos Volkswagen é o contrário: a função é ativada automaticamente. Para anulá-la, é preciso manter o dedo na tecla.

Temporizador dos faróis


Vários carros da Fiat e a maioria dos importados de luxo possuem esse dispositivo, que, ao ser acionado, deixa os faróis baixos acesos durante um período que pode chegar a 1 minuto, o suficiente para que um motorista numa garagem escura consiga chegar até a porta de casa. Pelo computador de bordo, em geral é possível desabilitar o sistema ou escolher o tempo de acionamento.

Câmbio automatizado

Opção mais barata ao câmbio automático, ele usa a caixa de marchas manual, mas substitui pedal de embreagem e alavanca de marchas por atuadores eletrônicos. A maior queixa dos motoristas desses modelos é o tranco na passagem das marchas, muito maior que nos automáticos. A dica: aprenda a reconhecer, usando o conta-giros e os ouvidos, o momento no qual o câmbio fará a troca. Nessa hora, tire o pé do acelerador brevemente e o tranco será bem menor, assim como você faz no câmbio manual.

Rádio e Bluetooth

O Bluetooth permite a troca de dados entre dois dispositivos eletrônicos. É muito útil para utilizer como viva-voz, evitando multas, mas também permite a execução de músicas. Em tese, deveria ser uma linguagem universal entre aparelhos, mas o pareamento (sincronização) pode falhar em alguns equipamentos. Não há uma explicação única para o problema, mas em geral o problema é de compatibilidade do celular. Vale fazer um teste na loja antes. Vendedores dizem que os aparelhos que mais dão problema de pareamento sãos os da Nextel, mas há alguns relatos de dificuldade com o iPhone. O radio pode ainda controlar aparelhos auxiliares somente se a conexão for feita pelo cabo USB. Como cada carro usa um sistema diferente, é preciso ler o manual para saber de que forma é possível controlar os dispositivos (mudar pastas, escolher músicas etc.). Conexões via cabo P2 (o mesmo do fone de ouvido) não permitem o controle das funções - o rádio do carro e os alto-falantes serão meros coadjuvantes passivos. Aqui, fique atento: se um vendedor disser que o rádio é compatível com iPod e iPhone, mas não houver porta USB, significa que a entrada do áudio será por um cabo P2. Faça o teste antes da compra e cheque se o carro não traz o cabo de fábrica ou como opcional na revenda.

Limitador ou alerta de velocidade

Dispositivos que, acionados, podem disparar um alarme sonoro ou bloquear a aceleração quando se chega à velocidade programada. Os importados da Citroën e da Peugeot possuem o bloqueio, enquanto alguns Fiat têm o alerta sonoro. Há casos de motoristas que esquecem o bloqueador ligado e vão à concessionária reclamar que o carro não acelera de jeito nenhum.

Travamentos

Há pelo menos dois dispositivos de segurança para crianças. Um deles é a chamada "trava de criança", que em geral fica na lateral da porta aberta, junto ao trinco, e que evita que ela seja aberta mesmo que se use a maçaneta interna. O outro é acionado pelo motorista, num botão perto das teclas dos vidros elétricos, e impede o funcionamento das janelas traseiras. Os sistemas variam, mas nos Honda e Toyota a trava de vidro bloqueia também a porta do passageiro dianteiro. Há ainda veículos cujo travamento automatic das portas pode ser ligado ou desligado, caso do Nissan Versa.

Funções do câmbio automático

Câmbios mais modernos têm o sistema sequencial, que permite a troca manual das marchas pela alavanca. Quase todo automatic não sequencial possui o botão O/D, de overdrive, ou sobremarcha. Nos mais antigos, esse sistema desacoplava o diferencial original e acoplava outro, com relação mais longa - o oposto da reduzida nos jipes. Hoje, ao se apertar o botão, o carro engata só até a penúltima marcha, ganhando agilidade. Outra função pouco conhecida é o botão S (Sport), que faz as trocas de marcha em rotações mais altas.





» FOTOS


Publicidade