Toyota Corolla: os novos equipamentos, preços e versões

A partir de R$ 90.990, versões agora oferecem controles de estabilidade e tração, 7 airbags e assistente de subidas

Cor marrom é uma das novidades da linha 2018 (divulgação/Toyota)

A Toyota acaba de apresentar o Corolla modelo 2018 no Brasil, confirmando o que já era esperado: a partir de agora, todas as versões serão equipadas com controle de estabilidade – principal crítica ao modelo até então.

Outros equipamentos como assistente para subidas e sete airbags também foram inclusos, além de uma leve reestilização, já ocorrida em outros mercados. E a versão XRS, com visual esportivado, também volta ao mercado.

O pacote de equipamentos de segurança, porém, tem seu preço. O GLi 1.8 CVT agora parte de R$ 90.990, contra os R$ 87.990 praticados anteriormente. O XEi 2.0 CVT passou de R$ 96.990 para R$ 99.990, enquanto o Altis 2.0 CVT foi de R$ 110.990 para R$ 114.990.

Antena ‘tubarão’ equipa as versões mais caras (divulgação/Toyota)

A versão esportivada fica abaixo da Altis: custa R$ 108.990. Além disso, continuarão a ser oferecidas as versões do GLi 1.8 para frotistas e portadores de deficiência, com câmbio manual (de seis marchas) ou CVT, ambas com o mesmo preço: R$ 69.990.

Reforma de estilo

O facelift se concentra na dianteira, que ganha um conjunto de grade e faróis mais afiados, criando uma impressão de maior largura. Os para-choques recebem novas aberturas laterais, com vincos aprofundados.

Rodas são de 17 polegadas nas versões XEi, XRS e Altis (divulgação/Toyota)

Os faróis são halógenos nas versões GLi e XEi e de leds (com nivelamento automático) nas versões XRS e Altis. Já as luzes diurnas de leds estão disponíveis a partir da versão XEi. Na traseira, as lanternas passam a ser de leds em todas as versões.

Acabamento translúcido e leds são as novidades nas lanternas (divulgação/Toyota)

A versão XRS ganha os tradicionais adereços esportivos, como spoiler traseiro, saias laterais e ponteira do escapamento cromado.

No XRS, aplique no para-choque traseiro imita extrator de ar (divulgação/Toyota)

Por dentro, poucas novidades. O painel de instrumentos das versões XEi, XRS e Altis ganha uma tela TFT colorida entre o conta-giros e o velocímetro e uma nova central multimídia com touchscreen LCD de sete polegadas. As saídas laterais de ar-condicionado foram arredondadas, e o tradicional relógio digital foi deslocado para o console central, do lado direito da tela.

Saídas de ar laterais agora são arredondadas (divulgação/Toyota)

A partir da XEi, as rodas agora são de aro 17. Segundo a Toyota, a suspensão foi elevada em 5 mm para manter o balanço entre conforto e estabilidade, com nova calibração nos amortecedores dianteiros e traseiros.

O isolamento acústico também promete melhoras, com a adição de uma camada de borracha no revestimento do painel corta-fogo e a instalação de feltros nos painéis das portas.

O conjunto mecânico não traz mudanças: motor 1.8 16V flex (com até 144 cv e 18,6 mkgf) nas versões GLi, e 2.0 16V flex (com até 154 cv e 20,7 mkgf) nas configurações XEi, XRS e Altis.

Há a opção de câmbio manual de seis marchas para o GLi mais básico (destinado para frotistas e portadores de necessidades especiais) e CVT com simulação de sete marchas nas versões restantes, com trocas por paddle shifts a partir da XEi.

Tela colorida no centro do painel é uma novidade do Corolla 2018 (divulgação/Toyota)

Por fim, os tão esperados controles eletrônicos de estabilidade e tração em todas as versões, coisas que os principais concorrentes já possuem faz tempo. Para temperar mais o cardápio de série, foram inclusos sete airbags (Civic e Cruze oferecem no máximo seis, menos nas versões de entrada) e assistente de rampa. Auxílios mais sofisticados presentes nos Honda e Chevrolet, porém, ficaram de fora, como os de pontos cegos, mudança de faixa e estacionamento semi-automático.

Durante a apresentação, tendo a versão XEi como exemplo, a Toyota fez questão de mostrar que os novos itens adicionados têm valor de R$ 7 mil, enquanto o aumento real de preço do modelo foi de R$ 3 mil.

(Péricles Malheiros/Quatro Rodas)

Confira abaixo os equipamentos que cada versão irá oferecer:

  • GLi (R$ 90.990): ar-condicionado manual, chave do tipo canivete, computador de bordo, direção eletrohidráulica, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, relógio digital (claro!), sistema de som com USB e Bluetooth, vidros e retrovisores elétricos, volante multifuncional, bancos de couro, 7 airbags, controles de estabilidade e tração, assistente para rampas.
  • XEi (R$ 99.990): tudo da GLi, mais ar-condicionado digital (uma zona), partida por botão, retrovisor interno fotocrômico, controle de velocidade de cruzeiro, faróis de neblina dianteiros, sensor crespuscular, computador de bordo com tela TFT colorida, sistema multimídia com tela de 7 polegadas, DVD, GPS, TV digital e câmera de ré, quatro alto-falantes e dois twetters.
  • XRS (R$ 108.990): acabamento interno na cor preta, aerofólio traseiro com luz de freio de leds, saias laterais, spoilers, ponteira do escapamento cromada, faróis de leds com ajuste de facho, rodas diamantadas aro 17.
  • Altis (R$ 114.990): tudo da XEi, mais ar-condicionado digital dual zone, sensor de chuva, banco do motorista com regulagens elétricas, revestimento de couro cor linho claro, retrovisores externos retráteis eletricamente, rodas diamantadas aro 17.

Curiosamente, quem entrar no configurador do site da Toyota verá que os preços divulgados para o novo Corolla são exatamente R$ 1,5 mil maiores que os divulgados no evento de lançamento (o GLi 1.8, por exemplo, aparece por R$ 92.440).

Segundo a própria Toyota, os valores menores exibidos no evento não são promocionais, nem temporários. A marca afirma que houve um erro na atualização do site, que será corrigido.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Parabéns A Toyota por este carro e sua evolução .
    Trabalho com seriedade e sem agrados.

  2. Andrea Almeida

    A versão GLI PCD é exclusiva para Pessoas com Deficiência Física que possuem Habilitação Especial, onde consta as adaptações necessárias no veículo para poder dirigir. Na maioria dos casos as exigências são câmbio automático e direção elétrica ou hidráulica. O Corolla GLI CVT OKM para PCD tem isenção dos impostos ICMS (12%) e IPI (11%), e seu custo fica por volta de R$ 54.000,00. No site da Isencar Isenções tem as doenças e mais informações de como fazer para conseguir o benefício. Vários outros carros também podem ser comprados com isenções. Ainda tem isenção de IPVA e dispensa do rodízio na cidade de São Paulo. Várias doenças podem dar direito ao benefício, inclusive cirurgias decorrentes de acidentes com implantes de próteses, placas, pinos, etc.

  3. Os analfabetos pirão!!!!!! 😂😂😂😂😂😂😂😂🤷‍♂️🤷‍♂️🤷‍♂️🤷‍♂️

  4. Daniel Louzada da Fonseca

    Tive esse Corolla XEI 2015 e foi um pesadelo por causa dos ruídos…Os bancos batem, o painel range e grila e o encosto do passageiro dianteiro sacode parecendo que não tem nada segurando-o…Depois de andar em outro de um amigo e verificar relatos na internet, constatei que era característica do modelo…Em certa ocasião, um proprietário desse Corolla me afirmou aqui nesse blog que o dele não possui tais ruídos, mas, talvez ele não seja exigente ou anda em pisos perfeitos..Comprei um Jetta confortline e o acho superior ao Corolla em tudo, inclusive custa muito menos…

  5. Diego Berlezi

    Mais de R$100.000,00 num sedã médio que há pouco mais de 1,5 anos não passava de R$ 80.000? Estão de brincadeira? Com esse valor, no México e nos EUA dá para comprar 2 carros! Que absurdo é esse? O que vai ser no ano que vem? Ford Ka custando R$ 80.000?

  6. Se a Toyota colocar o emblema dela numa caixa de sapato e cobrar 40mil, vai vender MUITO.
    “-Ah, mas é que o pós venda é imbatível!”
    É muito dinheiro para pouco carro!
    90 mil num 1.8 pelado e ultrapassado. Cruze dá de 10 a 0. (e anda mais que o poser XRS)
    115mil num 2.0 também ultrapassado e pouco equipado. (Civic e A3 o colocam no bolso), com mais 10mil vc leva um Fusion.

    A Toyota faz o brasileiro de bobo, usando a muleta do “pós venda imbatível”. Cobra absurdos em carros que não oferecem quase nada a seus consumidores se comparados à concorrência.
    Vide Hilux a 200mil (S10 e nova Frontier são muito melhores)
    Etios (que era para ser o Palio Fire da Toyota Indiana) de 50-70mil (Fit/City/HB20 dão de lavada)
    SW4 a 206mil, preço de Discovery! E o Land Rover é MUITO mais carro!

  7. Outro dia tive a curiosidade de acessar o site toyota.com para ver como eram os modelos vendidos no exterior. Fiquei triste ao ver um Camry, com motor equivalente ao vendido aqui por R$ 204.990, ser ofertado a partir de $ 31.370 em determinada versão. Daí pensei: O que é mais fácil, um cidadão que vive e trabalha nos Estados Unidos economizar $ 31 mil ou um que vive e trabalha no Brasil poupar R$ 204 mil? Ressalto que em nenhum momento tive a intenção de converter o valor em Dólar para o Real, mas sim refletir a realidade de quem deseja ter um carro mais completo em nosso país.

  8. Olha, vejo muita gente falando que não vai mais comprar carro zero. Concordo. No caso do ” Vovorolla” nem usado eu quero.

  9. A Toyota assim como precificar as melhorias do carro e ainda falar que está dando vantagem podia fazer uma tabela mostrando que a tecnologia emprega em 2014 já foi depreciada assim como o projeto e portanto as melhorias somadas quando muito se equivalem a depreciação do projeto. Como as centeios multimídia que no lançamento chegavam a 5.000 e hoje custa por volta de 2.000 muito melhores que as primeiras.

  10. Igor Hidalgo

    Parece meu avô usando um óculos esportivo de ciclista… esse chape quadradão com essa frente esportiva ficou muito fora de sintonia… acho que a nova geração já deve estar no forno, pq essa requentada no design ficou bem capenga…