Top ten: o mesmo nome, identidade diferente

Movidos pela fama do passado, eles não pensaram duas vezes para assumir uma antiga identidade

PORSCHE 718

(Divulgação/Porsche)

O esportivo original era um modelo de corrida produzido entre 1957 e 1962. Como ele nunca fora esquecido pelos entusiastas da Porsche, em 2016, no 20° aniversário de lançamento do então Boxster, coube à marca resgatar o antigo nome.

Assim, o atual conversível passou a se chamar 718 Boxster. E sobrou até para a versão cupê, que virou 718 Cayman.

VW VOYAGE

(Divulgação/Volkswagen)

Apresentado por aqui em 1981, o Voyage (foto) era 100% nacional. Ganhou clones argentino (Gacel, Amazon e Senda), americano e canadense (Fox). Em 1995, saiu de cena para retornar apenas em 2008.

FORD ESCORT

(Divulgação/Ford)

Famoso na Europa e nos EUA, conquistou o Brasil em 1983: diversificou-se, foi o primeiro beneficiado da Autolatina, resistiu ao fim da parceria Ford/VW e sumiu em 2003. Até que foi ressuscitado na China (foto) em 2015.

CHEVROLET D20

(Divulgação/Chevrolet)

Nos seus 12 anos (1985-97), a D20 (foto)foi uma opção no nosso restrito mercado de utilitários. Acabou sendo substituída pela picape argentina Silverado, mas em 2000 foi rebatizada como Silverado D20.

MERCEDES CLASSE A

(Divulgação/Mercedes-Benz)

O monovolume veio em 1997 e aqui foi feito após dois anos, até morrer em 2005. Logo daria lugar à segunda geração, que durou até 2012, quando veio o atual Classe A (foto), agora com uma carroceria de hatch.

VW FUSCA

(Divulgação/Volkswagen)

Sucesso mundial nos anos 40, foi fabricado no Brasil de 1959 e 1986, mas voltou em 1993 até 1996. As linhas clássicas até estavam na segunda geração (1997-2011), mas o nome Fusca só retornaria em 2012.

CHEVROLET MALIBU

(Divulgação/Chevrolet)

Surgiu em 1964 como uma versão de luxo do Chevelle e, em 1978, ganhou vida própria até 1983. Voltou em 1997 com nova proposta: enfrentar Ford Taurus, Honda Accord e Toyota Camry. Está vivo até hoje (foto).

HONDA CITY

(Divulgação/Quatro Rodas)

O subcompacto, feito para Japão e Europa, nasceu em 1981 (foto) como modelo de entrada. Ganhou versão sedã e conversível e, desde a terceira geração, é só sedã, igual à quarta, que está entre nós desde 2009.

DODGE DART

(Divulgação/Dodge)

Ele foi um muscle car vendido sob a gestão da Chrysler nos anos 60 e 70. Bem diferente da versão lançada em 2014 pelo Grupo FCA, que usa plataforma Fiat (dividida com a Alfa Giulietta) para fazer um pacato sedã (foto).

VOLVO V40

(Divulgação/Volvo)

Em 1995, era a perua de entrada da Volvo (foto), mas reencarnou como hatch de quatro portas, que usa hoje a plataforma Global C, e numa só tacada tomou o lugar de C30, S40 e V50 – este, o substituto do V40.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s