Top Ten: lendas urbanas do universo automotivo

Os dez principais mitos - verdadeiros ou não - do mundo do carro

Citroën DS

Diz a lenda que quem conseguisse capotar um Citroën DS ganhava um novo da fábrica

1. GP ou Jeep?

Off-road Jeep da Willys ,modelo 4x4 testado pela revista Quatro Rodas

Jeep Willys

Há duas versões para a origem do nome Jeep. A mais aceita é que seria a pronúncia em inglês de GP (General Purpose, uso geral). A outra viria do desenho Popeye, que contracenava com Eugene, the Jeep, um animal capaz de se teletransportar de um lugar para outro. Quase como o 4×4.

2. Grátis para Ferrari 

Seguranças vigiando as Ferrari Enzo no estande da marca, antes da abertura do Sa

Ferrari Enzo no Salão do Automóvel

A Ferrari não paga para expor no Salão do Automóvel de São Paulo. Ao menos era a lenda até 2012, quando ela não assinou o cheque e perdeu lugar no Anhembi. A Fiat não pensou duas vezes: aproveitou a deixa e virou atração ao colocar uma 458 Italia no estande.

3. Transporte de valores

Pagani Zonda S 7

Pagani Zonda

Poucos esportivos são tão exclusivos e valorizados como os Pagani. Talvez por isso o boato de que, quando o dono ia buscá-lo após a longa fila de espera, ele estaria valendo mais do que no ato da compra.

4. Carro de botas

Dacia Logan

Dacia Logan

O Logan é um projeto Dacia, marca da Romênia. Quando surgiu, havia quem dissesse que ele tinha espaço interno generoso porque uma diretriz do projeto previa que o sedã deveria abrigar atrás um romeno calçado com suas enormes botas de frio.

5. Vira, vira, vira…

Citroën DS

Citroën DS

O Citroën DS, de 1955, tinha entre tantas inovações a suspensão hidropneumática, o que o deixava estável como nunca se viu. Daí surgiu o mito, nunca confirmado, de que a marca daria um DS novo para quem conseguisse capotá-lo.

6. Fiat da Volks

Fiat 147 GL

Fiat 147

Quando o Fiat 147 foi lançado no Brasil, conta-se que a Volks comprou centenas de unidades do hatch e mandou seus funcionários  deixarem na rua os carrinhos encostados com o capô aberto, sugerindo que eles sempre apresentavam problemas.

7. Raspadinha premiada

Mercedes-Benz W196

Mercedes-Benz W196

Este é caso verídico: nos anos 30, a Mercedes raspou a pintura branca de dois W25 de corrida para reduzir o peso, deixando-os na lata, prateados. Surgia o mito das Flechas Prateadas, como o W196 da foto.

8. À prova de falhas

Rolls Royce Silver Shadow

Rolls Royce Silver Shadow

A lenda não confirmada pela Rolls-Royce é que um dono ligou um dia para agradecer o serviço de socorro prestado pela marca. Ouviu do funcionário que o reparo nunca existiu porque os Rolls-Royce nunca quebram. 

9. O cliente tem sempre razão

Lamborghini 350 GT

Lamborghini 350 GT

A história conta que Ferruccio Lamborghini não estava feliz com sua Ferrari e foi reclamar com o dono. Enzo Ferrari mandou ele construir o próprio carro, já que era só um fabricante de tratores. Ferruccio foi à forra e criou o Lambo esportivo, o 350 GT (foto).

10. Esse cavalo é um avião

Ford Mustang

Ford Mustang

Mustang é uma espécie de cavalo selvagem. Há quem diga que um designer sugeriu batizar o Ford com o nome do avião P-51 Mustang. Outra história é que o presidente Lee Iacocca batizou o carro ao ver jogar um time de futebol americano de mesmo nome.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Nogueira Marmontel

    Sobre a última, nome do Mustang, na autobiografia de Lee Iacocca ele confirma que o nome veio mesmo do P-51