Suzuki revela quarta geração do Swift no Japão

Hatch ficou mais leve e rígido com nova plataforma; versão global será apresentada no Salão de Genebra

Suzuki Swift em posição 3x4 de frente

Faróis e para-choques são novidades no visual do Swift (Divulgação/Suzuki)

A Suzuki aproveitou os últimos dias de 2016 para revelar o novo Swift. O modelo exibido nas fotos é o que será vendido no Japão a partir de janeiro, nas versões híbrida e 1.0 turbo. A comercialização do compacto na Europa também está confirmada, sendo que sua apresentação acontecerá durante o Salão de Genebra, em março.

Suzuki Swift cabine

Interior traz visual mais esportivo com volante de base reta (Divulgação/Suzuki)

Com novidades no visual, o hatch agora tem novos faróis, para-choques e grade dianteira redesenhados. Na lateral, há linhas mais arredondadas e as maçanetas das portas traseiras ficam escondidas na coluna “C” (uma solução de estilo presente também em outros modelos, como o Nissan Kicks), enquanto que, na traseira, as lanternas ficaram mais largas — abandonando o desenho com recortes da terceira geração.

Suzuki Swift cabine

Espaço interno é bem aproveitado (Divulgação/Suzuki)

As mudanças mais significativas estão do lado de dentro, com painel redesenhado, saídas de ar centrais redondas, volante com base reta, painel de instrumentos mais esportivo com dois copos separados (um para o velocímetro e o outro para o conta-giros) e central multimídia com tela maior.

Suzuki Swift plataforma

Plataforma “Heartect” deixou hatch mais leve (Divulgação/Suzuki)

Outra novidade é a plataforma “Heartect”, que, segundo a Suzuki, é mais leve e rígida em comparação à anterior. A marca japonesa não detalhou as especificações técnicas, mas adiantou que o Swift RS terá um motor 1.0 turbo com injeção direta e transmissão automática de seis marchas.

Suzuki Swift em posição 3x4 de frente

versão RS adota spoilers para ficar mais esportivo (Divulgação/Suzuki)

O novo Swift pode ser equipado com um sistema de frenagem de emergência chamado Dual Sensor Brake Support (DSBS), que pode evitar possíveis colisões por meio de sensores instalados no para-brisa — também utilizados no piloto automático adaptativo.

Suzuki Swift em posição 3x4 de traseira

Coluna “C” esconde maçaneta, enquanto as lanternas ficaram maiores (Divulgação/Suzuki)

Haverá ainda uma configuração híbrida equipada com um motor 1.2 (provavelmente o mesmo do Ignis), dotado de um sistema híbrido chamado SHVs, no qual há um gerador de motor de arranque integrado (ISG) acionado por correia, juntamente com uma compacta bateria de íon-lítio. O sistema promete reduzir o consumo de combustível, melhorar as acelerações e recuperar energia pela frenagem.

Veja também
Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Frente de Jaguar, laterais de Nissan (incluindo desenho das rodas) e traseira de Peugeot RCZ. Não estou desmerecendo! O conjunto ficou muito bonito…