Segredo: novos Kia Picanto e Rio já rodam no Brasil

Lançamentos dependem da futura política de cotas de importação

Estilo agressivo, com direito à versão GT

Estilo agressivo, com direito à versão GT (divulgação/Kia)

Mesmo com as limitações impostas aos importadores, a Kia segue renovando sua linha. A próxima novidade será o compacto Picanto, na terceira geração, que foi apresentado em março no Salão de Genebra.

A previsão é de que o modelo desembarque por aqui até o final do ano. A data de estreia dependerá do número de carros comercializados pela marca dentro do volume de cotas permitido pelo governo com isenção de impostos – uma das medidas do programa InovarAuto, que expira ainda este ano, sem confirmação de renovação ou mudanças.

Lanternas têm formato de colchete (divulgação/Kia)

Interior mantém o refinamento acima da média do segmento

Interior mantém o refinamento acima da média do segmento (divulgação/Kia)

Hoje, a cota é limitada a 4.800 unidades por ano. Estando fora desse limite, o pagamento dos tributos encareceria demais o carro. Atualmente, o Picanto custa R$ 40.990 com oferta generosa de equipamentos. A tendência é que a nova geração fique naturalmente mais cara em razão de melhorias que trará.

Dois Picanto de nova geração foram fotografados próximos de Campos do Jordão

Dois Picanto de nova geração foram fotografados próximos de Campos do Jordão (Caio Patrick Manoel e Marcel Rodrigo de Almeida/Quatro Rodas)

A terceira geração do Picanto ganhou visual mais agressivo e maior distância entre-eixos, ampliando o espaço interno. Lá fora, os motores 1.0 e 1.2 de três cilindros oferecem de 65 a 85 cv, e um turbinado com 125 cv está previsto para o futuro. O carro já foi flagrado rodando no Brasil (acima), assim como outro lançamento esperado até o fim do ano, o Rio (fotos abaixo).

(René Grespan/Quatro Rodas)

(René Grespan/Quatro Rodas)

Produzido na fábrica do México, o Rio deve chegar aqui em duas versões, hatch e sedã, sempre equipado com motor 1.6 16V de 121 cv e câmbio automático de seis marchas. No Brasil, seu tamanho seria intermediário entre os hatches compactos (como Fiesta e Peugeot 208) e os médios (Golf e Focus).

(divulgação/Kia)

Na lista de espera, há ainda os novos Cerato hatch, o SUV KX3 e o Optima Turbo, se as cotas permitirem. O Cerato hatch é derivado da nova geração do sedã, já à venda por aqui.

O KX3 tem dimensões compactas, próximas às de um Honda HR-V, com 2,59 metros de distância entre-eixos. E o Optima Turbo será um modelo de nicho restrito, concorrente de Hyundai Azera e Ford Fusion.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Igor Pricandi

    Não fossem as cotas e os impostos, o picanto já teria enterrado os pés-de-boi up e mobi. Não é porque é carro urbano e pequeno que tem que ser pelado e com opcionais a preços exorbitantes.