Reestilizado, Honda Fit ganha itens de segurança inéditos nos EUA

Pacote tecnológico inclui piloto automático adaptativo e aviso de mudança de faixa involuntária

Lançamento da versão Sport é uma das novidades do Fit nos EUA (divulgação/Honda)

Depois de revelar o facelift do Fit realizado no Japão, a Honda repaginou o design do modelo nos Estados Unidos. Juntamente com a mudança visual (que deve ser replicada no Brasil ainda neste ano), a marca japonesa lançou uma nova versão chamada Sport e adicionou vários sistemas de segurança.

As alterações estéticas são extremamente sutis – e menos agressivas do que as promovidas pela Honda japonesa. A nova grade dianteira combina acabamento preto com cromado em duas barras horizontais, acompanhadas de um logotipo maior. O para-choque frontal também foi redesenhado e ganhou novos faróis de neblina e spoiler maior. Na traseira, o Fit traz novas lanternas e para-choque.

Versão Sport ganha um defletor na traseira (divulgação/Honda)

Posicionado entre as versões LX e EX, o Fit Sport tem spoiler dianteiro com acabamento na cor laranja, rodas de liga leve aro 16 tingidas de preto, difusor de ar traseiro com detalhes laranjas, ponteira de escapamento com acabamento cromado e um logotipo Sport. Duas novas cores em tons vibrantes (Amarelo Helios Pearl e Laranja Fury) completam a gama.

Os itens de segurança vêm de fábrica nas versões EX e EX-L (acima) (divulgação/Honda)

O Fit evoluiu na segurança com a oferta do pacote Honda Sensing, que inclui piloto automático adaptativo, frenagem de emergência, assistente de permanência na faixa de rolagem, identificação de objetos nos arredores da estrada e aviso de mudança de faixa involuntária. Estes itens podem equipar o modelo nas versões LX e Sport e vêm de fábrica na EX.

Piloto automático adaptativo com frenagem de emergência é o destaque entre os novos equipamentos (divulgação/Honda)

É difícil, porém, imaginar que tais equipamentos cheguem por aqui – enquanto o Fit americano traz controles de estabilidade e tração de série em todas as versões, no brasileiro eles não são oferecidos nem como opcionais.

Outra diferença está na motorização um pouco diferente: por lá, o motor 1.5 de quatro cilindros tem injeção direta de combustível, rendendo 132 cv e 16,8 mkgf de torque máximo, contra 116 cv e 15,3 mkgf do modelo nacional.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Pablo Sanchez

    Para a Honda a Vida de um Americano Vale mais que a vida de um Brasileiro, pois oferecer o FIT no Brasil sem controle de estabilidade e/ou tração é expor o motorista e passageiros a sérios riscos de vida…

  2. parabéns honda, mais uma cagada ! sem controle de estabilidade e tração, povo brasileiro agradece.

  3. rones vargas

    enquanto tive quem compre …vai continuar sem nada no Brasil. Parem de comprar e aguardem…