O Renault Sandero R.S. é mesmo um carro esportivo?!

Convidamos dois pilotos que correram na F1 para fazer um test drive: Antonio Pizzonia e Tarso Marques contam o que acharam do carro

renault-sandero-post-1-2 renault-sandero-post-1-2

APRESENTADO POR RENAULT SPORT

Classificar um automóvel como esportivo pode ser muito fácil. Em tese, não há uma “legislação” que indique números específicos para tal termo, embora, na indústria automobilística, a relação “peso-potência” seja fundamental para determinar se uma máquina tem, de fato, o DNA esportivo.

Isso quer dizer que você não precisa ter um carro de 500 cavalos de potência (o equivalente a um carro de competição da Stock Car, por exemplo) para ter um esportivo. Um veículo equipado com motor 150 cavalos pode se enquadrar nesta categoria, mas precisa de uma série de requisitos que o diferenciem de outros concorrentes.

E o novo Renault Sandero R.S. 2.0, que tem esta potência com o motor 2.0 de 16V, cumpre de fato esta função.

Quem diz isso são os ex-pilotos de F1: Antonio Pizzonia e Tarso Marques. Os dois participam da websérie “Sandero R.S. Race” e aceleram até o limite o novo veículo em três dos melhores autódromos brasileiros: Capuava, Velo Città (ambos no interior de São Paulo) e Curitiba. Sem radares, multas e afins, a dupla chegou a atingir quase 200 km/h na maior reta do autódromo paranaense. Saiba quem fez a melhor volta no primeiro episódio abaixo.

 

“É um conceito diferente no Brasil. Esse é um esportivo com preço acessível e deve ser a porta de entrada para quem gosta de um motor que ande bem e tenha um visual de competição”, diz Tarso, citando como destaques as rápidas respostas do motor desenvolvido pela divisão Renault Sport, que utiliza o expertise acumulado por décadas de envolvimento em competições como a F1. “O volante e os pedais são como em carros de corrida e isso também traz um charme especial”, diz o ex-piloto da F1 e Indy.

Pizzonia destacou a estabilidade nas curvas. “Quando você coloca o carro no modo de direção esportiva (Sport+), ele se comporta como um modelo de competição. Tem estabilidade garantida por um bom conjunto de suspensão e o freio a disco nas 4 rodas também dá bastante segurança ao piloto na tocada esportiva, como fizemos nestes três autódromos”, diz o ex-piloto de F1 e atual competidor da Stock Car.

O custo-benefício também foi ressaltado pelos profissionais. “Pelo preço de R$ 58.880, não há um conjunto com esta potência e que seja tão divertido de guiar”, diz Tarso, com a concordância do colega. “É um carro que certamente vai instigar seu motorista a participar pelo menos de um dia de track day”, fala Pizzonia, citando os test drives oferecidos em pistas particulares para que os proprietários possam acelerar o carro em condições seguras, como em um autódromo.

Na galeria especial, veja os pilotos Tarso Marques e Antonio Pizzonia acelerando o novo Renault Sandero R.S. 2.0 em alguns dos momentos da websérie. Para assistir todos os episódios, acesse o site da Renault.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s