O galpão dos sonhos escondido em um autódromo em São Paulo

Acervo localizado no interior de São Paulo abriga raridades japonesas e raros veículos fora de série nacionais

Quem corre no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), nem faz ideia das raridades escondidas a poucos metros dali. Formada por 30 veículos, uma coleção combina clássicos japoneses com símbolos da época dos fora de série nacionais.

O acervo é dominado por veículos Mitsubishi e Suzuki, mas há uma ala dedicada aos veículos transformados pela SR Veículos Especiais, divisão do grupo de revendas Souza Ramos fundada em 1979.

Uma das criações é o Del Rey Executivo, uma versão alongada do sedã da Ford em 35 cm com telefone, frigobar e ar-condicionado.

Limousine era baseada no Del Rey e tinha até telefone a bordo (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

No fim de 1983, a SR aproveitou o sucesso da Lotus na Fórmula 1 para lançar o Escort JPS. A versão especial do Escort XR3 tinha pintura preta com detalhes dourados (como no bólido pilotado por Ayrton Senna), faróis escamoteáveis e um aerofólio duplo imitando o Escort Cosworth europeu. O motor 1.6 CHT recebia uma turbina Garrett, que aumentava a potência dos 83 cv originais para 100 cv.

Série especial feita pela Souza Ramos usava as cores da Lotus de Ayrton Senna (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

Curiosamente, dois dos projetos mais famosos nasceram antes da fundação da SR. O primeiro nasceu em 1957: uma bela perua baseada no Volvo P445, produzido de 1949 a 1953.

Perua baseada no Volvo P445 foi feita de forma praticamente artesanal (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

A outra criação foi uma perua Maverick. A partir da versão sedã, a empresa fazia uma nova traseira de fibra de vidro e reforços estruturais. De tão bom, o projeto recebeu aval da própria Ford para ser produzido. Pena que ela não conseguiu atingir o sucesso esperado: o modelo saiu de linha depois de menos de 100 unidades produzidas.

Produzida pela Souza Ramos, a perua Maverick foi aprovada até pela Ford (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

No espaço dos japoneses, destaque para o Suzuki Jimny LJ20 ano 1975. Em sua primeira geração (lançada em 1970), o jipinho tinha um motor de 360 cm3 com 28 cv, quase tão pequeno quanto seus 2,99 m de comprimento.

O Jimny 1975 é o único exemplar existente no Brasil (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

A ala da Mitsubishi tem SUVs, minivans e sedãs. Quem gosta de velocidade provavelmente já pensou no Lancer Evo. O mito  está bem representado na coleção com dois exemplares totalmente distintos.

Lançado em 1973, o Lancer 1600 GSR (que já apareceu nas páginas de QUATRO RODAS) tinha um motor 1.6 de 100 cv e logo deu sinais de que seria um campeão dos ralis ao vencer logo na estreia o Safari Rally, disputado no Quênia.

O Lancer Evo IX estreou no Salão de Tóquio de 2005. Baseado na mesma plataforma das gerações VII e VIII, o modelo tinha o mesmo motor 4G63 (286 cv) de seu antecessor, mas com novos anéis de pistões, uma correia de sincronização mais reforçada e sistema de variação do comando de válvulas. O sedã tinha sistema de tração integral e câmbio manual de cinco marchas.

A nona geração do Lancer Evo tinha muitas semelhanças com as gerações anteriores (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

Não poderia faltar um dos símbolos da marca: a picape L200. Entre os vários exemplares nacionais e importados, há uma cabine simples fabricada no Japão em 1992. O motor 2.4 a diesel produzia modestos 72 cv e torque máximo de 15 mkgf.

Primeira geração da L200 foi vendida no Brasil, mas apenas com carroceria de cabine dupla (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

Mas é uma dupla de esportivos cobiçados nos anos 90 é que chamam atenção. Equipado com um motor 2.0 turbo de 213 cv, o Eclipse GS 1995 virou celebridade mundial graças ao filme “Velozes e Furiosos” (2002), no qual o ator Paul Walker usa um modelo verde para participar dos rachas.

O Eclipse voltou à cena no começo dos anos 2000, quando o filme “Velozes e Furiosos” explodiu nos cinemas do mundo todo (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

Já o 3000 GT VR-4 extrapolou as fronteiras do Japão e foi vendido até nos Estados Unidos como Dodge Stealth.  O exemplar da coleção tem um motor 3.0 biturbo com intercooler, entregando 325 cv e torque máximo de 43,6 mkgf a 2.500 rpm.

Mitsubishi 3000GT (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

A boa notícia é que, ao contrário de outras coleções, o acervo pode ser visitado, desde que você seja convidado a um dos eventos realizados pela Mitsubishi ou Suzuki.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Allan Pereira Guimaraes

    Infelizmente esses JPS sumiram do mercado. Eram belíssimos, salvo o arranjo dos piscas dianteiros – se bem que acho que desse pretinho com dourado foram adaptados.