Novo Audi RS 5 ganha o motor do Porsche Panamera

60 kg mais leve e com 17,3 mkgf a mais em relação ao anterior, o modelo é mais veloz que o "primo" da Porsche

Carroceria foi alargada, realçando os músculos

Carroceria foi alargada, realçando os músculos do novo RS 5

A Audi apostou nos extremos para o Salão de Genebra. Além do conceito Q8 Sport, que antecipa a versão esportiva do futuro SUV homônimo, a marca apresentou a configuração mais poderosa do recente A5: o RS 5. Com vendas previstas para serem iniciadas em junho na Europa, o modelo deve chegar ao Brasil em 2018.

Se as configurações convencionais da nova geração do A5 já tendem à esportividade, o RS 5 deixa clara sua vocação ainda mais agressiva, aproximando-se visualmente da idéia de um muscle car europeu.

Detalhes cromados foram trocados por aço escovado e black piano

Detalhes cromados foram trocados por aço escovado e black piano

A carroceria foi alargada, com caixas de roda maiores (capazes de abrigar rodas aro 20) interligadas por um vinco lateral. Os para-choques tiveram de ser modificados, com aberturas e fendas para a entrada e saída de ar. Até os faróis ficaram mais largos, acentuando sua cara de mau. E todos os cromados foram substituídos por aço escovado e piano black.

O mais bonito Audi da atualidade? Provavelmente

O mais bonito Audi da atualidade? Provavelmente

Por dentro, além da aparência do painel e do quadro de instrumentos típicos dos Audi, há diversos apliques em fibra de carbono e volante revestido em Alcantara. Apesar da carroceria cupê duas portas, o espaço no banco traseiro é confortável para dois passageiros.

Painel é dominado pelo Virtual Cockpit, padrão nos Audi mais luxuosos

Painel é dominado pelo Virtual Cockpit, padrão nos Audi mais luxuosos

Bancos traseiros são individuais

Bancos traseiros são individuais

Já a mecânica é tão agressiva quanto o visual. O motor V6 2.9 biturbo é o mesmo do Porsche Panamera 4S, com 450 cv e 61,2 mkgf (17,3 a mais em relação ao RS 5 anterior).

Em conjunto com o câmbio automático de oito marchas e a tração integral, o superesportivo vai de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos e atinge a velocidade máxima (limitada eletronicamente) de 280 km/h – com um consumo médio de 11,5 km/l. No Porsche, o 0 a 100 é feito em 4,2. Os números são da Audi.

Quem também colabora para uma boa dinâmica é o novo conjunto de suspensão traseira, que abandona o esquema multilink trapezoidal em favor de um multilink com cinco braços – segundo a Audi, além de melhorar a agilidade e estabilidade, a nova arquitetura proporciona mais conforto em momentos de calma condução.

Geometria de suspensão é nova, melhorando a dirigibilidade

Geometria de suspensão é nova, melhorando a dirigibilidade

Por falar nos modos de direção, eles modificam as respostas de motor, câmbio, suspensão e tração integral Quattro. O peso também foi reduzido em 60 kg, o equivalente a um passageiro leve.

Como opcionais para o RS 5, a Audi oferecerá um diferencial traseiro com controle eletrônico, além de freios de cerâmica e o Dynamic Ride Control, capaz de alterar os ajustes da suspensão em movimento.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. não canso de me impressionar com esses motores cada vez mais potentes, e mesmo assim tão econômicos quanto um carro 1.0

  2. Como assim mesmo motor do Porsche?