Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
NOTÍCIAS » Fabricantes
TEXTO  |RSS | Add to Google|
Hyundai deixará de vender carros no Japão, diz agência
Por Vitor Matsubara | 30/11/2009
Fracos resultados motivaram decisão dos sul-coreanos

A Hyundai Motor Co. deixará de vender automóveis de passeio no Japão após oito anos de presença no país.

Segundo informações da agência de notícias Automotive News, apesar de registrar crescimento em suas vendas globais, a montadora está sofrendo com a crise na Terra do Sol Nascente.

De acordo com Oles Gadacz, porta-voz da empresa, as 46 concessionárias da marca no Japão serão notificadas sobre o fim das operações na próxima terça-feira, 1º de dezembro.

“Se você não é uma empresa do porte de uma Gucci ou de uma BMW, as chances de sobreviver são pequenas aqui (no Japão). As grandes empresas dominam o mercado”, declarou Gadacz.

Desde que ingressou no mercado japonês, em 2001, a Hyundai acumula apenas 15.095 veículos de passeio vendidos. Para efeito de comparação, a Volkswagen – que hoje é a maior importadora de veículos do Japão – comercializou 61.996 unidades somente em 2008.

Curiosamente, os resultados da Hyundai contradizem o bom desempenho obtido pela montadora na maioria dos outros países. Em outubro deste ano, a marca registrou um crescimento de 7,2% em suas vendas globais, sendo que os resultados nos Estados Unidos apresentaram um aumento de 4%.

Apesar da decisão, a Hyundai deve permanecer no país por meio da comercialização de veículos comerciais. Por lá, a montadora vendeu 43 ônibus desde 2006.

Pedro (05/12/2009 @ 09:36)
Concordo com o Maco: também não compro de empresa com esta postura irresponsável e indiferente com os consumidores! E tem mais. Relato, para os que desconhecem, um caso pouquíssimo comentado nessas páginas (as publicações nos devem este relato mais profundo!!): uma dessas duas coreanas, a KIA, salvo engano, já usou da nossa boa fé (dos brasileiros!!) quanto firmou com o governo da BAHIA uma carta de compromisso para montar fábrica por lá (hoje da Ford). Durante um periodo obteve o direito de importar carros, a torto e a doidado, com isenção total de vários impostos; recebeu infra-estrutura total de portos, terreno com terraplanagem pronta para futura fábrica, e etc. Segundo eles esta fase inicial de importação seria necessária para 'firmar a marca junto ao consumidor' antes dos investimentos finais na fábrica definitiva. Como diz a moçada, era 'caô total', pois, acabado o interesse ocorreu o que todos sabemos: a empresa saiu de fininho deixando os trouxas com os micos nas mãos. Nas delegacias esta postura enganadora seria bem reconhecida por número com três dígitos. Para finalizar: quem trabalha com comercio e direito internacional como eu sabe que os coreanos não são lá um povo de muita confiança e palavra - especialmente em negócios.
masao hata (02/12/2009 @ 23:34)
Não é bem assim como Eduardo falou não. Para entender o mercado japonês tem que ser japonês. Não é por ter morado vários anos aqui que você aprende isso. Cuidado com suas conclusões.
Eduardo (02/12/2009 @ 15:26)
Morei vários anos no Japão e posso afirmar que o simples motivo pelo qual os carros coreanos não se dão bem lá é justamente pelo fato de não haver vantagens para o consumidor, deixar de comprar um carro japonês, com qualidade reconhecida e preço infinitamente inferior ao de um importado. Para efeito de comparação, o i30 mais equipado lá custa mais ou menos US$23,000, enquanto que pelo mesmo você compra um Corolla Auris 1.8 (versão hatchback do Corolla onde a versão top parte dos mesmos US$23,000) ou mesmo o Prius mais básico (US$22,00 mas bem mais equipado que o i30), sem falar em outros modelos como Subaru Impreza GT (US$ 1,000 mais caro, mas como o mesmo motor do WRX STI só que amansado em 250cv), Mazda Axela (que dizem que usa a mesma plataforma do Ford Focus, que tem uma versão 4WD 2.0 por US$ 21,000), entre outros, só pra ficar nos carros pequenos... Essa paridade aumenta ainda mais com os carros maiores. O Hyundai Grandeur (o Azerra tem esse nome lá), só na linha da Toyota tem pelo menos 4 carros similares: Mark X, Camry, Crown e Crown Majesta. Na Nissan tem outros 4, como o Bluebird, o Skyline, o Fuga e o Teana, na Honda tem o Accord (lá é vendido o modelo Europeu), o Inspire (o Accord americano que é vendido no BR) e o Legend... Ou seja, com um sedã grande eles tem que concorrer com pelos menos 3 ou 4 de cada montadora local, imagine com modelos menores, minivans ou SUV's. Simplesmente não tem como comparar o Tucson com os SUV's da Honda, Toyota, Mitsubishi e Nissan, que são referência no mundo todo. Há ainda outros aspectos... Não creio que haja rejeição à produtos coreanos pois há um grande mercado para produtos coreanos em outros setores, como alimentos, eletrodomésticos e mesmo eletrônicos, mas carro também, assim como no Brasil, no Japão tem relação com status e se for pra comprar um importado, só se for um alemão, inglês ou americano (lá tem muita gente que adora Hummer e as picapes da Dodge e Chevrolet). Carro francês lá não tem vez, assim como italiano (só tem aceitação se for Ferrari, Maserati ou Lamborghini). Custo benefício em modelo importado, lá, é como no Brasil, praticamente não existe, mas lá por causa da competitividade e qualidade dos produtos, então é lógico que nenhum japonês vai comprar um Kia ou Hyundai por isso. E outro fator que existe no Japão e só em alguns modelos e raramente a gente vê no Brasil é a fidelização da marca e do modelo... O Corolla existe há mais de 40 anos e conheço gente que só teve Corolla, o pai só teve Corolla e o avô só teve Corolla... No Brasil conheço gente que só teve Mille mas não porque o carro é bom mas sim porque é o único que dava pra comprar... Mas enfim, as marcas lá trabalham bastante esse aspecto, quando tem um recall, dependendo do reparo, a autorizada manda um técnico pra realizar a troca na casa do cliente, pois da mesma forma há pessoas que compram o mesmo carro há anos mas, por causa de um pormenor às vezes deixa de comprar aquele carro e mais ainda, deixa de comprar um carro daquela marca... Assim, pode ter certeza que, por causa disso, entre um i30 e um Corolla Auris, o japonês vai comprar o Toyota e, só vai deixar de comprar ele se for por um Golf MKVI, BMW série 1, Mercedes classe A ou B ou por um Audi A3, assim como acho que faríamos no Brasil se os carros nacionais fossem competitivos em preço e qualidade com os importados e os coreanos tivessem que concorrer em pé de igualdade entre os nacionais e demais importados...
Sebastian (02/12/2009 @ 10:55)
Kia é excelente custo-benefício. Hyundai idem. Me impressiona também os carros "esquecidos" da Subaru - e seu maravilhoso sistema de tração. Embora tenho visto cada vez mais estes carros circulando. Ainda bem. Agora vir falar em segurança de marcas ? Na Europa quase todas VW / Opel - braço da GM - receberam ajuda e incentivos. Nos EUA idem. Quem diria que uma GM estaria as portas da falência ? Quem diria que a Chrysler faliria ? (depois da entrada ao grupo FIAT a situação se agravou muito nos EUA - leiam aqui mesmo na 4R). Agora, dizer que um 300C, uma Caravan, Town&Country ou mesmo um PTCruiser é ruim ?? Brincadeira não ? O fato é que vivemos em um globo capitalista, e não há segurança em nenhum lugar, nem mesmo nos bancos. Mas que é inegável o volume de vendas das Coreanas. E se preparem para a invasão chinesa, e não falo da Effa, falo das grandes que virão, trazendo aquilo que queremos e merecemos, bons produtos a preços razoáveis. Este filme e choradeira são velhos: 1º os inimigos eram os alemães - nazistas etc e tal - hoje todos gostam de Mercedes/BMW/Audi, 2º depois os inimigos eram os japas - só miniaturizavam e reduziam preços - hoje "quase" todos gostam de Honda/Toyota, 3º - hoje - os "inimigos" são os coreanos - copiam design - mas muitos já gostam da dupla Kia/Hyundai , 4º amanhã os "inimigos" serão os chineses. É tudo historinha para criança dormir. Mas concordo que pagar o que pagamos pelas nossas carroças beira a irracionalidade. Muita saúde aos importados, pois é com a chegada deles que as "nossas" montadoras se mexerão. Já temos visto os volumes de investimentos prometidos. Mesmo no capitalismo é a concorrência que desinstala os acomodados, ou os esmaga. Quem viver, verá.
Sebastian (02/12/2009 @ 10:54)
Kia é excelente custo-benefício. Hyundai idem. Me impressiona também os carros "esquecidos" da Subaru - e seu maravilhoso sistema de tração. Embora tenho visto cada vez mais estes carros circulando. Ainda bem. Agora vir falar em segurança de marcas ? Na Europa quase todas VW / Opel - braço da GM - receberam ajuda e incentivos. Nos EUA idem. Quem diria que uma GM estaria as portas da falência ? Quem diria que a Chrysler faliria ? (depois da entrada ao grupo FIAT a situação se agravou muito nos EUA - leiam aqui mesmo na 4R). Agora, dizer que um 300C, uma Caravan, Town&Country ou mesmo um PTCruiser é ruim ?? Brincadeira não ? O fato é que vivemos em um globo capitalista, e não há segurança em nenhum lugar, nem mesmo nos bancos. Mas que é inegável o volume de vendas das Coreanas. E se preparem para a invasão chinesa, e não falo da Effa, falo das grandes que virão, trazendo aquilo que queremos e merecemos, bons produtos a preços razoáveis. Este filme e choradeira são velhos: 1º os inimigos eram os alemães - nazistas etc e tal - hoje todos gostam de Mercedes/BMW/Audi, 2º depois os inimigos eram os japas - só miniaturizavam e reduziam preços - hoje "quase" todos gostam de Honda/Toyota, 3º - hoje - os "inimigos" são os coreanos - copiam design - mas muitos já gostam da dupla Kia/Hyundai , 4º amanhã os "inimigos" serão os chineses. É tudo historinha para criança dormir. Mas concordo que pagar o que pagamos pelas nossas carroças beira a irracionalidade. Muita saúde aos importados, pois é com a chegada deles que as "nossas" montadoras se mexerão. Já temos visto os volumes de investimentos prometidos. Mesmo no capitalismo é a concorrência que desinstala os acomodados, ou os esmaga. Quem viver, verá.
Maco (a quem comentou o Ale Santos) (02/12/2009 @ 08:59)
Ao Carinha que comentou o post do Ale Santos: Caro. Pelo menos procure ser coerente, pois o teu post é totalmente incoerente. Primeiro vc sugere fazer as contas dos gastos com as outras marcas e até se valer de alguém que entenda do numerário. Depois fala que carro é deleite, que não tem isso de ver o custo, etc e tal. Meu. Além da tua incoerencia te digo que o que o Ale Santos alerta, apesar do tom messiânico, é ABSOLUTAMENTE factível pois a história mostra que a Hyundai (e a Kia também!) adota esta postura escapista sem a menor cerimônia sempre que interessa. Se elas, Kia e Hyundai, demonstram total desinteresse para com os consumidores do Japão - que, sabidamente, tem nível de exigência maior que o nosso -, não pensariam duas vezes se as coisas apertassem por aqui e fariam de novo!! Deixando os milhares de consumidores a ver navios. Por coerência pessoal e respeito próprio (coisa que brasileiro não costuma ter) eu JAMAIS compro carro de EMPRESA QUE PROCEDE ASSIM!!!!!!!!!!!!
Flavio - nos EUA Coreanas em franca expansão (01/12/2009 @ 19:04)
Chrysler despenca Quem também não teve um bom desempenho foi a Chrysler. Assim como foi visto em outubro, a montadora controlada pela Fiat registrou um recuo no seu volume de vendas em comparação com o mesmo período do ano passado. Com um total de 63.560 veículos vendidos neste mês, a retração na passagem anual foi de 25%. Vale destacar que, a partir de dezembro, a companhia passará a conceder incentivos para os consumidores adquirem seus veículos, incluindo o financiamento a juros de 0% em 60 meses. Asiáticas avançam Contudo, as montadoras asiáticas tiveram mais um mês positivo nos Estados Unidos. A Hyundai registrou um total de 28.045 veículos vendidos em novembro, o que mostra uma forte expansão de 46% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a companhia sul-coreana, a forte expansão ocorreu graças às vendas dos modelos que consomem menos combustível, como o Accent e o Elantra. O total de veículos comercializados pela Toyota mostrou uma expansão de 2,6% na mesma base comparativa, passando de 130.307 para 133.700 automóveis. Já as vendas da Nissan subiram 20,8% na passagem anual, aumentando de 46.605 veículos para 56.288 unidades. Por fim, as vendas da sul-coreana Kia Motors atingiram a marca de 17.955 veículos, evolução de 18,3% frente a novembro de 2008. Analisando o desempenho das marcas, a Rio mostrou expansão de 64,4%, ao passo que a Optima subiu 57,5%. A montadora também destacou que realizou em novembro a negociação de 4.044 veículos do seu novo modelo - o Forte. Somente Honda recua Contrabalanceando os números positivos das montadoras asiáticas, a Honda viu suas vendas declinarem 2,9% em novembro, passando de 76.223 para 74.003 veículos comercializados nos Estados Unidos. Apesar da expansão no volume de vendas de caminhões, o recuo no total de carros negociados ofuscou esse desempenho.
Ao Ale SAntos - Apóstolo do apocalipse (01/12/2009 @ 15:43)
Digníssimo foreiro. Como proprietários de dois modelos Hyundai, meu filho ainda possui um Kia, posso afirmar: "Não estamos nem aí para comentários como os seus". Hoje a diferença de preço é tão grande entre os veículos que possuímos e seus similares, que em cinco anos, mesmo que os vendêssemos ao preço simbólico de R$ 1,99 já teria valido a pena. Em média os carros similares custam cerca de 50mil a mais. O que implica em IPVA e seguros também maiores. Os 50 aplicados a juros de poupança 0,5% ao mês já dão uma diferença de =/- 4mil ao ano. SE puser na ponta do lápis: é melhor, do ponto de vista econômico, andar de AZERA, SANTA FÉ, VERA CRUZ, CERATO, MOHAVE, SPORTAGE e outros, e DOAR o carro após 5 anos, do que "investir" em Mondeo, Ômega, Fusion V6, Accord e Camry, e TENTAR vendê-los por tabela FIPE. Faça as contas, se não conseguir peça auxílio de um contador ou amigo que goste de investimentos. Tem mais: carro é deleite, se pensa em comprar um para revender, ou não lhe agradou, ou comprou algo que não pode manter. Enquanto o brasileiro pensar dessa maneira preconceituosa, continuaremos a ser "satisfeitos" com nossas carroças com preços de carros. Sugiro uma volta num modelo de luxo da Hyundai para sentir a diferença.
Observador (01/12/2009 @ 14:04)
Que ruim....... para os japoneses. Por aqui apenas o modelo Azera já vendeu cerca de 9000 uniddes este ano. E os números maiores estão com o Tucson, e em breve talvez com o I30. Esta saída é meramente estratégia entre dois povos que "não se bicam". Toyota e Honda nunca venderam bem nos mercados coreanos. Se alguém quiser vender um "mico" da Hyundai (como disseram), estou comprando..... Cordiais saudações
tetsuo (01/12/2009 @ 11:34)
pendenga centenária, rixa antiga, isso é que é, os coreanos não perdoaram os Japoneses pelas atrocidades da 2 guerra, e nem os japoneses vão muito com a cara dos coreanos, mas com certeza os coreanos estão com carros excelentes! não vendem por isso mesmo!
tetsuo (01/12/2009 @ 11:34)
pendenga centenária, rixa antiga, isso é que é, os coreanos não perdoaram os Japoneses pelas atrocidades da 2 guerra, e nem os japoneses vão muito com a cara dos coreanos, mas com certeza os coreanos estão com carros excelentes! não vendem por isso mesmo!
Ale Santos (01/12/2009 @ 10:55)
É senhores dono de Hyundai. Cuidado ! Num passado não muito distante nas terras tupiniquins, a mesma empresa se retirou e os donos de carros da marca se f******. Hoje as coisas estão boas por aqui, mas basta uma crise para ver o que acontecerá. O Japão, apesar da crise, é uma das maiores economias do mundo. E deve se recuperar no médio prazo. Agora aqui, quando tivemos uma crise, se preparem para não ficar com um mico na mão, se é que já não estão ...
vagner (01/12/2009 @ 09:56)
A Hyundai ao menos conseguiu vender alguma coisa lá, e a fiat? será que lá tem uno, plastico adventure, stilo, doblo? rs. Claro que não né, só no Brasil temos essas comédias.
IVO (01/12/2009 @ 09:21)
O JAPAO COM O PERDAO DA PALAVRA É APENAS UM ZÉ NINGUEM NO MERCADO MUNDIAL E SUA ATUAL CRISE DEMONSTRA COMO É UM PAIS EXTREMAMENTE FRACO QUE SEUS CARROS SÓ FAZEM SUCESSO NOS OUTROS PAISES DO MUNDO, PORQUE FAZEM CARROS COM EXELENTE MECANICA E CONFIABILIDADE POREM A NIVEL DE DIVERSAO E ESPORTIVIDADE DEIXAM MUITO A DESEJAR, PRINCIPALMENTE SE COMPARADOS COM OS ITALIANOS E ALEMAES, RESUMINDO SAO OTIMOS NO EXTERIOR POIS ELES MESMOS NAO PASSAM DE UM POVO IGNORANTE QUE TRATAM MAL QUEM OS VISITA E QUE QUANDO VEM AO BRASIL SAO EXTREMAMENTE BEM TRATADOS!!
IVO (01/12/2009 @ 09:20)
O JAPAO COM O PERDAO DA PALAVRA É APENAS UM ZÉ NINGUEM NO MERCADO MUNDIAL E SUA ATUAL CRISE DEMONSTRA COMO É UM PAIS EXTREMAMENTE FRACO QUE SEUS CARROS SÓ FAZEM SUCESSO NOS OUTROS PAISES DO MUNDO, PORQUE FAZEM CARROS COM EXELENTE MECANICA E CONFIABILIDADE POREM A NIVEL DE DIVERSAO E ESPORTIVIDADE DEIXAM MUITO A DESEJAR, PRINCIPALMENTE SE COMPARADOS COM OS ITALIANOS E ALEMAES, RESUMINDO SAO OTIMOS NO EXTERIOR POIS ELES MESMOS NAO PASSAM DE UM POVO IGNORANTE QUE TRATAM MAL QUEM OS VISITA E QUE QUANDO VEM AO BRASIL SAO EXTREMAMENTE BEM TRATADOS!!
IVO (01/12/2009 @ 09:20)
O JAPAO COM O PERDAO DA PALAVRA É APENAS UM ZÉ NINGUEM NO MERCADO MUNDIAL E SUA ATUAL CRISE DEMONSTRA COMO É UM PAIS EXTREMAMENTE FRACO QUE SEUS CARROS SÓ FAZEM SUCESSO NOS OUTROS PAISES DO MUNDO, PORQUE FAZEM CARROS COM EXELENTE MECANICA E CONFIABILIDADE POREM A NIVEL DE DIVERSAO E ESPORTIVIDADE DEIXAM MUITO A DESEJAR, PRINCIPALMENTE SE COMPARADOS COM OS ITALIANOS E ALEMAES, RESUMINDO SAO OTIMOS NO EXTERIOR POIS ELES MESMOS NAO PASSAM DE UM POVO IGNORANTE QUE TRATAM MAL QUEM OS VISITA E QUE QUANDO VEM AO BRASIL SAO EXTREMAMENTE BEM TRATADOS!!
Nakano (01/12/2009 @ 08:00)
Os japoneses tem um certo fetiche por carros alemães... PORSCHE, MERCEDES, BMW, AUDI... são nomes mágicos por lá. Portanto não é de surpreender que o VW seja o carro importado mais vendido no Japão. Isso sim eles acham que vale a pena pagar mais caro - afora impostos e despesas de importação, etc. Mas carros coreanos, americanos, chineses, não lhes dizem nada!... PARABÉNS VW!
Nakano (01/12/2009 @ 08:00)
Os japoneses tem um certo fetiche por carros alemães... PORSCHE, MERCEDES, BMW, AUDI... são nomes mágicos por lá. Portanto não é de surpreender que o VW seja o carro importado mais vendido no Japão. Isso sim eles acham que vale a pena pagar mais caro - afora impostos e despesas de importação, etc. Mas carros coreanos, americanos, chineses, não lhes dizem nada!... PARABÉNS VW!
Pascoal (01/12/2009 @ 01:58)
Somente quem conhece história vai entender o que o Eder quis dizer.. .... ... .. . PS:não há n° relativos as vendas de FORD, FIAT e GM por lá?
Alberto (01/12/2009 @ 01:56)
Morei no Japão entre 1990 e 2002 e estive em 2006 por lá também. Esses carros que as montadoras japonesas vendem por aqui como "de luxo", lá se enquadram em outra categoria: Sentra, Civic e Corolla são carros de frota de empresas, como o Gol aqui, o Fit é o segundo carro da família (o que serve para as donas-de-casa irem para o mercado) e esses esportivos com preços astronômicos são comprados lá por qualquer um. Tive um Mitsubishi Legnum (a versão Station Wagon do Gallant) que comprei 0 km pelo equivalente a US$ 25.000 financiado (paguei 5% de juros em 2 anos - cerca de US$ 1.250...), só para ter uma idéia da facilidade em comprar carros por lá. Os verdadeiros carrões de luxo do Japão nunca virão para cá...
Eder Kambara (30/11/2009 @ 23:56)
Não é surpresa a saída da Hyundai do Japão. Porém, vale lembrar que só este ano o Grupo Toyota começou a vender carros da marca Toyota na Coreia do Sul. Embora o grupo tenha entrado no mercado sul-coreano em 2000, desde então só vendia automóveis da divisão de luxo Lexus. A partir de outubro deste ano, a Toyota começou a comercializar o Camry, Prius e o RAV-4, em apenas 5 concessionárias espalhadas pelo país, três somente em Seoul. Segundo os seus executivos, a marca japonesa espera vender, mensalmente, apenas 500 unidades, com expectativa de, em 2010, vender 700 carros. Números mais que modestos, para a maior montadora do mundo (segundo alguns). Detalhe: Kia e Hyundai detêm 70% do mercado coreano. É a tal da reciprocidade. Os coreanos primam por produtos coreanos. Os japoneses, pelos japoneses. E, em ambos os casos, não sabem o que estão perdendo.
Telmo Ryoiti Kubo (30/11/2009 @ 21:55)
É um fato normal para mim a Hyundai deixar de vender seus carros no Japão. Afinal, ela começou fazendo carros cujos projetos originais eram da Mitsubishi. Isso é um fato que ela não tem como negar. O público japonês, quando quer um carro importado, quer mais é um veículo que venha da Europa. Afinal, foram eles, os europeus, que ensinaram os japoneses a fabricarem carros.
marcelo schmitz (30/11/2009 @ 21:37)
falta coerência à editoria da revista pois ao divulgar os dados retira do total(sic) os comerciais leves mas os menciona na listagem(sic) mas o dinheiro faz milagres... isso q não tô nem aí pra estas duas montadoras, meu C A R R O é novo focus.
jb (30/11/2009 @ 20:38)
os japoneses sabem o q e bom.eles nao nconseguem vender seus carros la e veem vender no brasil.carro e vw
Olavo (30/11/2009 @ 18:57)
O comércio mundial é imprevisível. Não sabia que a VW vendesse tantos carros no Japão. A VW parece que, a nível mundial, vai a todo vapor.
Marcelo Rodrigues Soares (30/11/2009 @ 18:54)
Engraçado como as falas da alta direção das empresas mudam com a necessidade do momento específico: “Se você não é uma empresa do porte de uma Gucci ou de uma BMW, as chances de sobreviver são pequenas aqui (no Japão). As grandes empresas dominam o mercado”, declarou Gadacz. Desse modo a Hyundai então não se considera tão grande quanto comenta em suas propagandas, como sendo maior que a Ford. Coisas do mundo moderno ....rsrsrsr
» TOPO