Honda Accord perde motor V6 e ganha câmbio de dez marchas

Décima geração passou a usar os mesmos motores das versões esportivas do Civic

Faróis em led foram redesenhados na nova geração. Friso cromado se estende de ponta a ponta na dianteira (Divulgação/Honda)

A Honda mostrou nesta sexta (14) a décima geração do Accord, um dos carros mais vendidos da marca no mundo. O sedã médio-grande agora adota o mesmo design do Civic, com uma traseira curta similar a de um cupê.

O conjunto mecânico também passou por uma grande revolução, com destaque para a saída do V6 3.6 e a estreia do câmbio automático de dez marchas já adotado na minivan Odissey.

Bancos posicionados em posição mais baixa permitiram que o teto fosse rebaixado (Divulgação/Honda)

A carroceria passou por alterações em todas as medidas. Após ter perdido 2,5 cm na geração anterior, o novo Accord voltou a ganhar espaço no entre-eixos. Neste quesito o aumento foi de 5,5 cm, totalizando 2,83 m.

O modelo também ficou mais baixo (-1,5 cm), com bitolas maiores (2,5 cm no eixo dianteiro e 2,0 cm no traseiro) e mais curto (- 1 cm). O motorista agora dirige mais próximo do assoalho e a distância entre as fileiras de bancos foi ampliada.

Lanternas em formato de C repetem o design do novo Civic (Divulgação/Honda)

Todas as motorizações oferecidas para o Accord neste primeiro momento serão quatro-cilindros. A versão de entrada usa o mesmo 1.5 turbo do Civic Touring e da versão esportiva Si, recalibrado para 194 cv e 26,5 mkgf.

Para este motor estarão disponíveis um câmbio manual de seis marchas ou o automático CVT. Já o modelo mais potente adota o 2.0 turbo do Type R, mas com 255 cv e 37,7 mkgf.

A Honda passou a adotar o conceito de “tela flutuante” no interior do Accord (Divulgação/Honda)

O novo conjunto tem menos potência, mas supera o torque do antigo seis-cilindros (280 cv e 34,6 mkgf). Ao contrário do que ocorre com o Civic no Brasil, o Accord mais apimentado também terá opção de câmbio manual, além do automático de dez marchas.

A Honda antecipou que o modelo terá uma versão híbrida com motor 2.0 de ciclo Atkinson, mas não deu detalhes técnicos do modelo.

Controle do câmbio por botões tem se popularizado em diversos segmentos (Divulgação/Honda)

A lista de equipamentos é longa e pode incluir controlador de velocidade adaptativo com frenagem autônoma de emergência (de série em todas as versões), projeção de informações no para-brisas (HUD), carregamento de celular por indução e bancos de couro com ajuste elétrico, ventilação e aquecimento.

Mas a maior novidade na cabine é o controle do câmbio automático, que passou a adotar apenas botões, como nos Fiat Mobi e Uno automatizados.

A previsão é que o novo Accord comece a ser vendido nos Estados Unidos ainda em 2017, mas não há informações sobre quando e se o modelo será vendido no Brasil.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Em breve na Cleptocracia imunda por R$ 400 mil; reservem suas unidades! Os ladrões de Brasília já estão reservando os deles, com o seu dinheiro…