Detran apreende Peugeot com mais de R$ 9 milhões em multas

Picape Hoggar acumula 1.833 infrações e deve ir a leilão para ajudar a pagar a dívida do proprietário

Peugeot Hoggar com mais de R$ 9 milhões em multas

Policiais da equipe de busca e apreensão do Detran de São Paulo apreenderam na tarde de sexta-feira (18/11) uma picape Peugeot Hoggar ano 2011 que deve mais que muita empresa: exatos R$ 9.114.975,27 em pendências acumuladas entre multas e impostos.

LEIA MAIS:

> Som alto agora é multa mesmo sem medição de decibéis

> Notificação de multa pela internet vai render 40% de desconto

> Hábitos comuns que podem lhe render multa e pontos na CNH

Ao volante da picape, o dono – e outros eventuais motoristas – cometeu assustadoras 1.833 infrações municipais, a maioria por excesso de velocidade, avanço de sinal vermelho, conversão proibida e circulação em faixa exclusiva de ônibus.

Peugeot Hoggar com mais de R$ 9 milhões em multasPeugeot Hoggar com mais de R$ 9 milhões em multas

O carro, registrado em Guarulhos – a placa e a identidade do proprietário não foram divulgados – foi apreendido durante uma fiscalização na marginal Tietê, próximo à ponte da Casa Verde, na zona norte da cidade.

O destino da picape provavelmente será algum leilão, com o valor arrecadado descontado do total da milionária dívida do proprietário. Não deve ajudar muito: na versão Escapade 1.6 16v flex, com os apliques e reforços visuais típicos dos aventureiros, a Hoggar 2011 é tabelada em R$ 24.268.

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Erick Yu Mikami

    Tá estranho, R$ 9.114.975,27 dividido por 1833 multas, dá uma média de R$4972, 70 por multa, isso sem considerar os impostos que deve, mas mesmo considerando que ele nunca pagou IPVA, Licenciamento e etc, é um valor muito alto por multa não é?!

  2. Ricardo Soares

    Tbm to achando estranho o valor. Ta muito alto, fazendo as contas por cima, da praticamente uma multa por dia, com média de R$4972 por multa… meio impossível isso, não?

  3. Bruno Pereira Macedo

    detram deve tá na maior felicidade….

  4. Fernando Vidal

    Pra quem não entendeu o valor o que acontece é o seguinte. Se o veículo é registrado em nome de pessoa jurídica, a sanção da pontuação na Carteira Nacional de Habilitação não existe, mas nem tudo são flores, em contrapartida, a empresa poderá receber uma nova infração do mesmo valor da multa inicial caso não indique o condutor, além da multa original.
    Se, por acaso, o mesmo veículo for autuado novamente no período de 12 meses, pela mesma infração, a nova infração por não indicar o condutor terá o valor de sua multa multiplicada por 02 e assim sucessivamente.
    Imagina quantas multas esse carro levou e foi dobrando e dobrando o valor das multas.

  5. Fábio Almeida Silva

    Se o carro tiver registrado em CNPJ e não foi identificado o condutor as multas vão sendo multiplicadas a cada reencidêcia.

  6. ucavalcante

    Caros, a divisão simples do valor total pela quantidade de multas dá um número questionável por não levar em consideração alguns fatores. A maioria das multas registradas está relacionada a infrações gravíssimas, com multiplicador que triplica o valor individual. Segundo: carros registrados em nomes de pessoas jurídicas têm a penalização dobrada pela não indicação de condutor. A falta de pagamento de multas também incorre em juros – e isso precisa ser considerado.