Conheça os carros mais insanos (e inusitados) do Rally Dakar 2017

De SUV compacto a modelos que não nasceram para a terra, o rali mais difícil do mundo reúne veículos de todos os tipos

Desde 2008 realizada na América do Sul, a edição 2017 do Rally Dakar terá início no próximo dia 2 de janeiro em Assunção, no Paraguai, percorrendo aproximadamente 9 mil quilômetros de trilhas inóspitas e encarando os 3.660 metros de altitude de La Paz (Bolívia) até chegar à capital argentina Buenos Aires em 14 de janeiro.

Nem os inúmeros perigos da prova (que já fez 70 vítimas fatais, entre competidores, espectadores e vítimas de acidentes fora do percurso da prova impede que pilotos e navegadores de todas as partes do mundo se aventurem no Dakar, a bordo de veículos de todos os tipos – e para todos os gostos.

 

Peugeot 3008 DKR

sloeb_peugeot_3008_dkr_01-1200x800

Atual campeã entre os automóveis, a Peugeot trocou a carenagem de sua estrela: sai o 2008, entra o recém-apresentado 3008. De resto, o veículo preserva as qualidades do projeto bem-acertado, incluindo o motor 3.0 V6 biturbo movido a diesel, instalado em posição central, com 345 cavalos e impressionantes 81,6 mkgf de torque.

Assim como em 2015, a marca do leão terá um time bastante forte no Dakar, formado por nomes consagrados no mundo do rali, como os multicampeões Carlos Sainz, Stephane Peterhansel e Cyril Despres, além de nada menos que Sebastien Loeb, o maior vencedor da história do WRC.

 

SC1 Gordini

Veículo foi totalmente projetado pela equipe de Gordon

Veículo foi totalmente projetado pela equipe de Gordon (divulgação/)

Participante de longa data do Dakar, Robby Gordon ficou famoso por construir seus próprios veículos. Nesta edição, o norte-americano enfrentará o rali novamente com o Gordini, um protótipo idealizado exclusivamente para provas deste tipo – e que não tem relação alguma com a tradicional marca de propriedade da Renault.

Movido por um motor V8 de origem Chevrolet, o carro tem tração traseira (diferente da maioria dos concorrentes, que apostam na tração integral), plataforma baseada no antigo Hummer H2 e diversos componentes projetados especialmente para suportar as dificuldades do deserto. Resta saber se o projeto assinado pela Team Speed Energy será capaz de encarar os protótipos de Peugeot e MINI em pé de igualdade.

Ford Ranger e F-150 Raptor

Famosa na América do Sul, Ranger terá dois veículos participando da edição 2017

Famosa na América do Sul, Ranger terá dois veículos participando da edição 2017 (foto ilustrativa) (divulgação/)

Duas das picapes mais famosas da Ford estarão representadas no Dakar. A Ranger será utilizada por duas duplas (o espanhol Xavier Pons e o argentino Ricardo Torlaschi e os chilenos Daniel Valdes e Juan Pablo Latrach), enquanto a única Raptor inscrita na prova será pilotada por Gianni Luca Tassi, ao lado dos navegadores Massimiliano Catarsi e Alessandro Casotto, todos nascidos na Itália.

Vale lembrar, como na maioria dos casos citados aqui, que os carros preparados para o Dakar possuem muito pouco em comum com os modelos de produção. As Ranger que venceram a última edição do Rally dos Sertões, por exemplo, eram bólidos feitos na África do Sul, com estrutura tubular e motores V8 de 5,0 litros.

Ford F-150 Raptor T1

Ford F-150 Raptor T1 tem motor V8 de 5,0 litros do Mustang

Já a chamada F-150 Raptor T1 tem tração integral e também aposta no motor V8 de 5,0 litros do Ford Mustang.

 

Renault Duster

SUV é preparado com assistência da Renault Sport

SUV é preparado com assistência da Renault Sport (divulgação/)

Já que os argentinos são um dos povos mais aficionados por rali do planeta, a Renault (uma das marcas mais prestigiadas por lá) resolveu pegar carona no Dakar botando seu SUV compacto para encarar a prova mais temida do planeta.

Preparado com o auxílio da Renault Sport (a divisão de competição da marca francesa), o modelo é impulsionado por um motor V8 de origem Nissan com 387 cv e tem tração nas quatro rodas – ou seja, de Duster mesmo só a casca.

 

Toyota Hilux

Adoção da tração traseira em vez da 4x4 é grande novidade da Hilux

Adoção da tração traseira em vez da 4×4 é grande novidade da Hilux (divulgação/)

Aproveitando a fama de “indestrutível” adquirida pela picape ao longo dos anos, a Toyota se aliou à Gazoo Racing para preparar a Hilux para o rali mais difícil do mundo.

Ao contrário do veículo utilizado em 2016 (que tinha tração nas quatro rodas), a picape vai encarar a prova apenas com tração traseira – a mudança ocorreu porque o regulamento do rali ficou mais flexível para veículos 2WD.

Movida por um motor 5.0 V8 aspirado (que não teve suas especificações reveladas pela Toyota), a picape também está significativamente mais leve, caindo dos antigos 1.915 kg para menos de 1.300 kg.

 

Foton Sauvana

Até hoje, a Foton foi a única marca chinesa a terminar um Dakar

Até hoje, a Foton foi a única marca chinesa a terminar um Dakar (divulgação/)

Embora estejam presentes em alguns dos maiores mercados da indústria automotiva no mundo, as montadoras chinesas ainda não investem pesado nas competições. A Foton é uma grata exceção, participando do Dakar desde 2014. Neste ano, a marca correrá a prova com o utilitário esportivo Sauvana, pilotada pelos chilenos Rodrigo Javier e Moreno Piazzoli.

 

MINI John Cooper Works

Preparado pela John Cooper Works, Countryman é forte candidato ao título

Preparado pela John Cooper Works, Countryman é forte candidato ao título (divulgação/)

Vencedores do Dakar de 2012 a 2015, os bólidos da MINI estão mais leves e com melhor aerodinâmica do que antes. Desenvolvidos em conjunto com a X-Raid, os protótipos utilizam a carroceria do Countryman e os conhecidos motores 3.0 de seis cilindros em linha da BMW, com 345 cv a 3.250 rpm e incríveis 81,6 mkgf de torque máximo. Doze duplas representarão a marca britânica no Dakar.

 

Suzuki Swift GTI e Volvo V40 (sem fotos divulgadas)

As maiores surpresas da lista de inscritos não são exatamente o que você está pensando. Apenas os motores são fabricados por Suzuki e Volvo: as carrocerias seguem as linhas de protótipos que lembram bugues anabolizados.

O holandês Ebert Dollevoet parte para sua sétima participação no rali a bordo de um protótipo com motor de V40, enquanto seu compatriota Tom Colonel escolheu uma motorização Suzuki de 224 cv para impulsionar os 760 quilos de seu veículo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s