Argentina tem imposto mais alto, mas preços menores que o Brasil

Apesar dos tributos argentinos serem maiores, custo de produção é mais baixo e margem de lucro é maior

Fiat Mobi Way

Sem impostos, Fiat Mobi custaria R$ 18.833 na Argentina (Divulgação/Fiat)

Os tributos sempre foram apontados – principalmente pelos próprios fabricantes – como o grande culpado pelo alto preço do automóvel no Brasil. Mas um estudo indica que há lugares bem próximos onde o imposto é ainda maior. Segundo dados das Adefa (associação de fabricantes da Argentina), a carga tributária do país hermano é a maior do mundo, partindo de 54,8%.

LEIA MAIS:

>> Como funciona o desconto para portadores de necessidades especiais?

>> As oportunidades e os riscos dos leilões de automóveis

>> Montadoras chinesas vieram para vencer – mas deu tudo errado

No Brasil, os impostos começam em 30,4% para carros a gasolina e 27,1% para carros flex. Neste valor estão inclusos IPI, ICMS e Pis/Cofins, mas a Anfavea (associação dos fabricantes no Brasil) diz que ainda há tributos embutidos na cadeia produtiva, como na alimentação dos funcionários e na iluminação de seus escritórios, que representariam mais 5 pontos percentuais nesta conta.

chevrolet_onix_activ_25

Onix aventureiro é fabricado em Gravataí (RS), mas custa quase o mesmo na Argentina já com impostos (Divulgação/Chevrolet)

No final, 32,5% do preço de um carro 1.0 flex é imposto e os 67,5% restantes correspondem ao custo do carro e lucro do fabricante e da revenda. Como comparação, na Europa o imposto de um carro zero km fica entre 16% e 18%. Já nos Estados Unidos, dependendo do estado, pode chegar a apenas 7,5%, como na Califórnia.

Vale lembrar que automóveis importados de fora do Mercosul pagam mais 35% de imposto de importação e estão sujeitoa a IPI majorado em 30 pontos percentuais, caso o fabricante não esteja homologado no Inovar Auto.

Onde os carros são mais caros?

E se subtraíssemos os impostos dos dois países para descobrir quem tem o carro mais caro sem os impostos? Para isso, selecionamos dois carros brasileiros, o Mobi e o Onix Activ, e um argentino, o Fluence.

 
Fiat Mobi 1.o Easy Chevrolet Onix Activ 1.4 MT Renault Fluence Privilege CVT
Preço Brasil R$ 36.340 (32,5% de imposto) R$ 57.490 (34,3% de imposto) R$ 103.600 (34,3% de imposto)
Preço Brasil s/imposto R$ 24.529 R$ 37.770 R$ 68.065
Preço Argentina R$ 41.664 (54,8% de imposto) R$ 57.330 (54,8% de imposto) R$ 93.072 (54,8% de imposto)
Preço Argentina s/imposto
R$ 18.833 R$ 25.913 R$ 42.068

A maioria dos carros vendidos no país vizinho são mais caros do que os brasileiros. Mas a situação muda quando tiramos o valor dos impostos. Mesmo fabricados no Brasil, Mobi e Onix tem valor menor na Argentina quando retirados os impostos. O Fluence (que está com preço bastante inflacionado no Brasil) sempre é mais barato na Argentina.

Renault Fluence

Preços do Fluence no Brasil estão fora da realidade: o Privilege custa r$ 103.600 (Divulgação/Renault)

Consultores afirmam que a diferença ocorre tanto pelo custo de produção argentino mais barato – o que inclui energia elétrica, mão de obra e alimentação – quanto por uma margem de lucro maior praticada pela indústria brasileira. “Só o fato de a mão de obra argentina ser mais barata já reduz muito o custo de produção”, diz Milad Neto, da Jato Consultoria.

Na prática, os argentinos ainda gastam proporcionalmente menos para ter um carro. Utilizando o PIB per capita como referência, o poder de compra do argentino é maior que o do brasileiro: em 2015, o PIB per capita do Brasil foi de US$ 15.518,77, enquanto o da Argentina foi de US$ 21.924,29.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Adriano Morais

    Comprar carro novo é bom, mas infelizmente somos penalizados com preços abusivos. Uma saída: compra carro novo e usa muito tempo, 4 a 6 anos. Vc faz o que gosta e ainda não dá tanta moleza aos fabricantes.

  2. Fernando Freitas

    Leonardo Leo.. vamos por partes pra ver se fica de mais fácil compreensão : 1 – chamar de idiota o cara que compra o carro novo, que será o carro que você comprará daqui a 2, 4 anos; e achar que não está colaborando com a indústria é pensar com um tapa-olho. Não te interessa, como pessoa, defender um argumento errado, fruto de um pensamento limitado, apenas para não assumir que errou. Pelo menos você tem de levar em consideração os fatos, e os fatos mostram que a imensa maioria da população que escolheu o carro como meio de transporte, de tempos em tempos realiza a troca deste veículo. Existem os que compram carros zero km, os que gostam de comprar com 1-2 anos de uso, os que podem comprar um pouco mais usado e sucessivamente. De forma que a pessoa que compra um carro com 10 anos de uso, está colaborando pra fila andar, até chegar ao zero km. Isso é MUITO básico.2 – Lei da oferta/procura > Olha os dados de vendas de veículos novos. A queda iniciada em 2013 derrubou tanto o número de carros zeros, que em 2015 voltamos ao nível de 2007. E aí? A indústria vendeu UM MILHÃO E TREZENTOS MIL CARROS A MENOS e o que aconteceu com os preços? SUBIRAM. Talvez seja hora de admitir que a escola que vc fez não te ensinou nada, então recomendo que vc não volte a ela. 3 – Qual é o problema em comparar o imposto daqui com os dos EUA?????? Por acaso você já foi até lá pra conferir como vivem mal os americanos? Ora.. pagamos muito mais e recebemos muito menos, É CLARO QUE EU VOU COMPARAR, porque o governo não merece R$ 1.00 do nosso imposto. Finalmente sobre a montana… bem.. entra lá no face da gm e pergunta pra eles.. pq tá perguntando pra mim? Você não é o sujeito que acha injusto? Vai lá e fala pra eles.

  3. Andre Oliveira

    A verdade Nua e Crua é

    Sim o Governo coloca impostos imorais, e dificulta a vida da empresa, porem toda via entretanto as montadoras se escondem atras disso pra praticar margens megalomaníacas, como podemos ver ai na em outro pais mesmo com mais imposto sobre eles, o preço é menor, claramente vemos que nao existe uma real competiçao por um produto de melhor qualidade pelo menor preço;

    PS. Ancap refutado por uma reportagem real, o Choro é livre, mas a margem das montadoras nao vai diminuir por suas lagrimas defendendo o suposto livre mercado.

  4. Claudio Hiroyuki Higuti

    Entre a briga de Leonardo Leo e Fernando Freitas… ponto para o Leonardo.

  5. alexandre ferreira da silva

    as margens de lucro das cc e das montadoras são as responsaveis por preços tão altos

  6. Depois ainda tem gente que coloca culpa no “governo”. Todo mundo é culpado, os únicos inocentes são os consumidores que pagam um valor absurdo por um carro meia boca. Da-lhe Brasil!

  7. Aqui os carros custam caros por uma questão simples: Brasileiro paga… e se o brasileiro paga o preço que as fábricas pedem, pra que elas vão baixar os mesmos???