Bilionário compra LaFerrari e reclama do… peso das portas

Marshall Pruett disse que precisou chamar polícia para conseguir abrir as portas por dentro e sair do carro

Cotada em no mínimo US$ 1,4 milhão nos Estados Unidos, a LaFerrari é um dos projetos mais avançados da história da Ferrari. Além de ser o primeiro modelo híbrido da marca, a macchina incorpora diversas tecnologias de ponta.

Mas parece que os engenheiros italianos se esqueceram de uma característica bastante banal: o peso das portas. Pelo menos é o que afirma Preston Henn, um bilionário da Flórida que precisou chamar a polícia para sair de dentro do veículo.

“Pode ser difícil de acreditar, mas comprei uma LaFerrari… e eu não gostei dela. Entrei no carro e não consegui mais sair, pois não percebi que a porta era tão pesada como de fato é. Precisei chamar a polícia para me ajudar a sair de lá sem problemas. Definitivamente não é um carro confortável”, afirmou Henn, em depoimento à revista Road & Track.

Apesar de a reclamação ter uma explicação física – enquanto do lado de fora é possível utilizar a força do corpo inteiro para abrir as portas, do lado de dentro é preciso utilizar apenas a força do braço esquerdo para levantá-la – o caso tem um contexto mais polêmico do que parece.

Tudo começou quando Henn procurou os italianos para comprar uma LaFerrari Aperta (versão conversível do híbrido), enviando uma carta com um cheque de US$ 1 milhão assinado por ele mesmo como sinal da compra. Segundo Henn, o CEO da Fiat Chrysler Automobiles (então responsável pela marca Ferrari), Sergio Marchionne, ignorou a oferta e devolveu o cheque poucos dias depois.

Contrariado, o bilionário abriu um processo contra a Ferrari por difamação, alegando que a recusa foi “um desrespeito e o expôs ao ridículo”.

Preston, porém, desistiu da ação legal (que pedia uma indenização de US$ 75 mil) tanto pelos altos custos quanto pelas poucas chances de vencer o processo. Diante disso, o empresário convocou seus advogados para pensar em uma alternativa para processar a empresa de Maranello – e aparentemente foi daí que nasceu a queixa sobre o peso das portas.

Dono de inúmeras raridades (incluindo uma Ferrari 275 GTB/C avaliada em US$ 80 milhões), Henn poderia facilmente comprar uma LaFerrari Aperta. No entanto, ele diz que o “relacionamento” de 50 anos com a marca italiana chegou ao fim. Tanto é que ele já encontrou um novo amor: o Acura NSX.

“Acabei de mandar uma carta (para a Acura) elogiando o NSX. É o melhor carro que eu já tive na vida. É inacreditável. Estamos falando de um carro muito, muito bom que custa US$ 200 mil contra… bem, a última Ferrari que comprei (e não estou falando da LaFerrari) custou US$ 750 mil”.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Emir J. S. Bezerra

    Em suma, está fazendo graça…

  2. Jose Paulo Pereira Lima

    Matéria sem pé nem cabeça… afinal, as portas são pesadas ou não?

  3. Paulo Rogerio Gaeta

    Esse bilionário possui um longo histórico como “casca de ferida”.

  4. Este Henn (85) é um colecionador de carros que já comprou 17 ferraris ao longo da vida, tem modelos raros e tal. Ele foi tentar comprar o carro na concessionária mas foi considerado inelegível (Ferrari tem essa lenga lenga de analisar os compradores de modelos especiais) e aí ele mandou uma carta para um executivo da marca junto com o cheque de 1mi.
    bilionario mimado, Ferrari arrogante… eles que se entendam, única coisa certa foi que disse que não compra mais Ferrari, certo ele.

  5. Samir França

    É ASSIM QUE SE DESCOBRE REPORTAGENS MENTIROSAS.
    No título da reportagem, diz-se que quem comprou o carro foi Marshall Pruett, mas já no desenrolar do texto, no segundo parágrafo, diz-se que foi Preston Henn quem comprou o esportivo.
    Não dá pra entender.

  6. EDUARDO MARTINS DOS REIS

    Isso o que dá vender um carro com porta pesada para o Sr. Burns