breadcrumb

Webber vence na base da estratégia; Massa é 4º e Senna é 9º

08.07.12 - Por Carlos Eduardo Garcia
A tão esperada chuva, que atrapalhou os dois primeiros dias de atividades de pista em Silverstone, não apareceu hoje no GP da Inglaterra. E com uma estratégia bem definida para poupar pneus em uma pista pouco testada pelos pilotos, o australiano Mark Webber da Red Bull conquistou sua segunda vitória na temporada 2012, conquistando a posição do espanhol Fernando Alonso em uma ultrapassagem há 4 voltas do final da corrida.

Restou ao piloto da Ferrari, que já havia feito a pole position, a segunda posição e um lugar no pódio, que ainda teve a presença de Sebastian Vettel, o terceiro. Logo atrás deles chegou o brasileiro Felipe Massa, em quarto, sua melhor posição de chegada nesta temporada. O brasileiro defendeu-se dos ataques de Kimi Raikkonen na última volta e ajudou a Ferrari no mundial de construtores. O outro brasileiro na pista, Bruno Senna, foi o nono colocado após uma bela ultrapassagem sobre Nico Hulkenberg na penúltima volta.

Com o resultado o australiano Mark Webber fixou-se na vice-liderança do mundial 2012 de Fórmula 1 com 116 pontos, 13 a menos que o espanhol Fernando Alonso, o primeiro colocado, que tem 129. Em terceiro lugar está o alemão Sebastian Vettel e em quarto Lewis Hamilton. Com a quarta posição de hoje, Felipe Massa subiu para 13º com 23 pontos, duas posições à frente de Bruno Senna, que tem 18. Entre as equipes a Red Bull segue líder com 216 pontos contra 152 da Ferrari e 144 da Lotus.

A corrida

Com a ausência da chuva, a corrida foi menos movimentada do que se esperava, e contou com menos bons momentos do que se esperava, afinal os carros estavam acertados para condições de pista molhada e não estavam preparados para o seco. Outro fator de desequilíbrio poderia ser o fato de que alguns pilotos largaram com pneus duros, como foi o caso de Fernando Alonso, e outros com pneu macio, como foi o caso de Webber, Vettel e Massa.

Na largada Alonso defendeu a liderança com a vida, ao realizar uma manobra extremamente brusca para cima de Mark Webber. Assim sendo ele manteve a liderança, que seria ampliada nas primeiras voltas. Mais atrás Felipe Massa foi outro destaque, quando ganhou posição de Vettel, se defendeu bem de Raikkonen e ainda partiu pra cima de Schumacher para ser terceiro na 11ª volta depois de muita disputa. Senna também largou bem, pulando de 13º para 8º, embora tenha caído para 10º algumas voltas depois.

A partir daí da corrida se tornou cerebral. Guardando pneus macios para o final da prova, que claramente não eram a melhor opção, Alonso teria de abrir grande distância para Webber nos dois pit stops que viriam pela frente. Alonso parou nas voltas 14 e 38, Webber na 15 e na 34, com a diferença que partiria para a última janela com pneus duros. Mantendo com tranquilidade a segunda posição, viu Michael Schumacher perder rendimento em pista seca e perder algumas posições, enquanto Vettel passou Massa nos boxes e se firmou em terceiro.

Algumas disputas aconteciam na pista durante a corrida, como nos casos em que Hamilton assumiu a liderança enquanto ainda não havia parado nos boxes e foi batido por Alonso e também no caso em que Perez e Maldonado pararam nos boxes juntos e, quando o mexicano foi tentar a ultrapassagem na volta para a pista, por fora, foi tocado pelo venezuelano da Williams. Os dois rodaram e Perez abandonou muito bravo.

O brasileiro Bruno Senna também fez boa prova, onde esteve sempre próximo da zona de pontuação e ainda viveu bom duelo com Hulkenberg e Button no final da prova. Hulkenberg era o nono, Senna o décimo e Button o décimo-primeiro, quando na penúltima volta, em uma manobra que durou três curvas, Senna garantiu a melhor posição entre os três. Tentando se recuperar, Hulkenberg ainda escapou da pista e deixou caminho livre para Jenson pontuar em casa.

Outro incidente que chamou atenção foi o pit stop de Kobayashi na volta 38, quando o japonês perdeu o ponto de freada e atropelou três mecânicos da Sauber. Apenas um deles se feriu, com um corte na perna, mas sem gravidade.

Com Massa e Grosjean como pilotos mais rápidos na pista na parte final da prova, Alonso fez seu último pit stop na volta 38 e ainda voltou na liderança. Mas, seus pneus macios não eram a melhor opção e Webber era 1 segundo mais rápido por volta, até que na volta 48, faltando 4 para o fim, o espanhol não resistiu e perdeu a posição para o australiano da Red Bull. Ainda haveria espaço para Vettel conquistar a posição também caso houvesse mais algumas voltas, mas a diferença de 4 segundos não poderia mais ser batida sem muitos riscos. A última disputa da prova foi entre Raikkonen e Massa, quando Felipe se defendeu bem das investidas de Kimi na última volta e garantiu o quarto posto.

Foi a segunda vitória de Mark Webber em uma temporada muito equilibrada, onde ele se consolidou na segunda posição do mundial. Ele vai tentar diminuir a diferença no GP da Alemanha, no próximo dia 22 de julho as 9 da manhã, horário de Brasília. Será a décima etapa do mundial.

GP da Inglaterra - Resultado final


Comentários
Publicidade
Fotos
Notícias
    Publicidade