Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Usado do mês
Fiat Idea
Outubro 2009

Fiat Idea

Compacta e fácil de revender, ela agrada pela mecânica simples, mas bebe muito

Por Fernando Garcia
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

A família exige um carro com espaço interno, o dia a dia no trânsito urbano recomenda um veículo compacto por fora – e o motorista não quer ter dor de cabeça com manutenção. Para contentar a todos, procure uma minivan Fiat Idea. A alegria do seu dono também se estende na hora da compra (possui grande oferta no mercado) e da revenda (oferece alta liquidez). Por menos de 30000 reais*, é possível encontrar uma 1.8 flex HLX 2006 com ar, direção, trio elétrico e rodas de liga.

O que também encanta muito gente são suas conveniências, como espelho para ver a criançada no banco de trás, encosto traseiro bipartido e mesinha tipo avião (esta é opcional). Mas não esqueça que sua grande vantagem mesmo é compartilhar a mecânica com a família Palio, o que na prática quer dizer peças baratas e fáceis de encontrar.

A Idea surgiu por aqui em 2005, como modelo 2006, nas versões ELX, com motor Fire 1.4 flex (81/80 cv), e HLX, com motor Powertrain 1.8 (114/112 cv), o mesmo da Meriva. De série, têm trava e vidros dianteiros elétricos, direção hidráulica, banco do motorista com regulagem de altura e computador de bordo. Como opcional, havia ar-condicionado (evite a compra se não tiver), CD player com MP3, airbags laterais (só na HLX), viva-voz Bluetooth, espelho eletrocrômico e sensores de estacionamento, farol e chuva. Se a Idea tiver o teto solar panorâmico Skydome (que é uma peça única, e não várias lâminas, como o Sky Window do Stilo), ela pode custar até 10% mais.

Em 2006 veio a Adventure 1.8, que ostentava visual off-road, pneus para uso misto 205/70 R15, rack no teto, estepe na traseira, piscas no retrovisores e duplos faróis auxiliares. Por dentro, a bússola e os dois inclinômetros eram a novidade. Entre opcionais, freios ABS, bancos de couro e subwoofer.

A mecânica simples fez dela um sucesso entre taxistas. Pena que é beberrona. São comuns as reclamações de donos da versão 1.4, que conseguem um consumo de até 6,5 a 7 km/l na cidade, no álcool. Por isso, muitos dão preferência à versão 1.8, que custa e bebe quase o mesmo que a 1.4, porém oferece desempenho superior para empurrar seus 1 230 kg.

 



FUJA DA ROUBADA

Evite as Idea equipadas com GNV, solução que alguns donos encontram para driblar o alto consumo do 1.4. Isso pode significar que o veículo tenha sido usado como táxi.

 

 



NÓS DISSEMOS
Setembro de 2006

 



“As diferenças entre as Idea HLX e Adventure não são apenas visuais. Uma volta rápida com cada uma delas e tem-se a certeza de que, apesar de serem irmãs, têm temperamentos bem distintos. A HLX é dócil, roda com mais suavidade e apresenta direção leve. A Adventure é mais rude, transmite mais as vibrações do piso para a cabine e exige mais força do motorista nas manobras. (...) A Idea Adventure traz o mesmo motor 1.8 flex de 114 cv, com álcool, que equipa a Idea HLX. (...) Na prática, o conjunto motor-câmbio se revelou adequado para a Idea, que se mostrou ágil em nosso test-drive, apresentando boas respostas no trânsito, nas estradas de asfalto e em trilhas leves no meio do mato.”

 



PREÇO DOS USADOS (EM MÉDIA)*

ELX 1.4 flex
2005: 30846
2006: 31800
2007: 33500
2008: 36000

Adventure 1.8 flex
2005: -
2006: 41031
2007: 42300
2008: 44800

FONTE: MOLICAR

PREÇO DAS PEÇAS

Para-choque dianteiro
Original: 495
Paralelo: 260

Farol completo (cada um)
Original: 415
Paralelo: 294

Disco de freio (cada um)
Original: 130
Paralelo: 80

Retrovisor (cada um)
Original: 190
Paralelo: 117

Amortecedor diant./tras. (cada um)
Original: 220/170
Parelelo: 173/124

 

* preços médios de mercado no fechamento desta reportagem, em setembro de 2009



PENSE TAMBÉM EM UM...

Chevrolet Meriva

 



Velha conhecida dos brasileiros, o design da Meriva está praticamente intocado desde quando foi lançada, em 2002. A minivan da GM leva a melhor no espaço interno, apesar de seu porta-malas ser apenas um pouco maior, com 390 litros de capacidade, ou 10 litros a mais em relação à concorrente da Fiat. Vale também ressaltar seu nível superior de conforto, graças à calibragem mais macia da suspensão. Em compensação, ela perde na lista de equipamentos de série, na desvalorização e no custo de manutenção ligeiramente maior.

 



ONDE O BICHO PEGA

 



Rádio: Não é difícil encontrar o aparelho com as inscrições dos botões descascadas. A solução é comprar um kit de adesivos (vendido em lojas de acessórios automotivos) para restauração e manutenção da linha Fiat. Custa 40 reais a cartela.

Portas: O acúmulo de água nas portas é uma antiga reclamação de seus proprietários. Para escoá-la, basta abrir a porta e soltar umas tampinhas de borracha na parte de baixo. Segundo os donos, isso ocorre devido ao entupimento dos drenos.

Luz no painel: Se a luz do reservatório de partida a frio não apagar após a partida, é sinal de que a boia do reservatório está danificada. A solução é trocar por uma nova, que vai custar 50 reais.

Para-choque: As versões ELX e HLX têm um anteparo de borracha preso ao para-choque dianteiro que, dependendo de onde se estacionar, pode enroscar e quebrar-se ou até trincar a peça inteira. O anteparo custa 160 reais, enquanto um para-choque novo sai por 495.

Recall: Cuidado com carro fabricado em julho de 2007 (chassi 2058986 a 2060405). Veja se foi feita a substituição da bomba da direção hidráulica, que em caso de problema pode enrijecer a direção.

Embreagem: Já se constataram, em carros com baixa quilometragem, problemas cujo sintoma mais comum é a trepidação no sistema. A troca do kit vai custar 900 reais se o carro não estiver na garantia.

 



A VOZ DO DONO

 



“Adoro minha Idea por ter uma posição privilegiada na direção, com postura de guiar mais alta que a média dos outros carros. Além do mais, tem o teto solar Skydome, que é uma delícia. Gosto também dos diversos porta-objetos espalhados pelo interior do carro e do bom acabamento para um veículo do seu preço.”
Andreza Cardoso, 32 anos, tradutora, São Paulo (SP)

O QUE EU ADORO

“Minha ELX 2007 tem espaço para todos e as longas viagens se tornam uma terapia a bordo dela. E, além de tudo, tem um desenho muito bonito.”
Eduardo Pelosi, 48 anos, servidor público federal, Rio de Janeiro (RJ)

O QUE EU ODEIO

“O 1.4 é fraco para o tamanho do carro, pois só responde bem quando o regime de giros está alto. Mas aí o consumo acaba aumentando.”
Deborah Leão, 25 anos, advogada, Belo Horizonte (MG)






Publicidade