Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Usado do mês
Toyota Corolla
Fevereiro 2007

Toyota Corolla

Sua fama de inquebrável faz dele a preferência para quem não quer dor de cabeça com manutenção

Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Alexandre Ule Ramos | Fotos: Marco de Bari, Ivan Shupikov e Marcelo Spatafora

Tem aquele tipo de motorista que opta por um carro novo só para não ter preocupação com manutenção, pois morre de medo de ver um usado começar a dar problema. Pois o Corolla é um remédio infalível contra esse mal. Sua qualidade de construção e o projeto simples e confiável fazem dele um carro quase à prova de quebras.

Lançada em junho de 2003, já como modelo 2004, a atual geração não sofreu nenhuma mudança de lá para cá. O que significa que um veículo com quase quatro anos de uso ainda tem cara de zero - e, com três anos de garantia, essa tranqüilidade torna-se maior ainda. Apesar da renovação recente de seus concorrentes, ele é líder de vendas, o que faz com que seu valor de revenda seja um de seus pontos altos, mesmo com uma reestilização prevista para 2008.

As versões do Corolla também não foram alteradas ao longo dos anos. Há a básica XLi, com ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico e um motor 1.6 16V, com comando variável VVT-i de 110 cv. A intermediária XEi agrega rodas de liga leve e airbag duplo e tem motor 1.8 16V, também VVT-i, com 136 cv. Ambas têm câmbio automático como opcional.

A versão top é a SE-G, com ar-condicionado automático, CD player para seis discos no painel, freios ABS com EBD e bancos de couro. E é disponível só com câmbio automático - equipamento que no Corolla apresenta excelente valor de revenda.

Suspensão equilibrada, motor competente e bom nível de equipamentos fizeram com que todas as versões sejam bem valorizadas, em especial a XEi 1.8, que oferece a melhor relação custo-benefício. É a mais procurada, tem melhor oferta e apresenta um motor que não sofre da falta de fôlego do 1.6.

Defeitos? Aí está algo difícil de achar nesse veículo. À exceção do acabamento interno simples, é difícil arrancar reclamações dos donos do Corolla.


Fuja da roubada

Quase nada inviabiliza a compra de um Corolla. Mas, como tem três anos de garantia, não compre um carro abaixo dessa idade se todas as revisões não constarem no manual.


A voz do dono

"Gosto muito do Corolla, pois tem bom preço de compra, não quebra, oferece excelente estabilidade, é econômico e anda muito bem. Acima de tudo, tem ótimo mercado entre os usados na revenda. Fora o status para quem tem. Afirmo que é o melhor carro que já tive. Não consigo ver nada que me desagrade nesse veículo. Quando chegar a nova geração, serei um dos primeiros a comprá-la."
Elvis Cleber Fernandes, 25 anos, administrador, São Caetano do Sul (SP)

O que eu adoro

"Ele não dá nenhum problema mais sério. É muito simples e robusto. Outra vantagem são os comandos fáceis de usar. Você não demora a se adaptar ao carro."
João Carlos de Almeida Santos, Publicitário, 33 anos, Curitiba (PR)

O que eu odeio

"Eu acho que ele não oferece muita comodidade no uso diário. Faltam itens que você pode encontrar em modelos mais baratos, como um computador de bordo, por exemplo."
Salete Pereira Geoff, 35 anos, comerciante, Porto Alegre (RS)


Nós dissemos

Dezembro de 2005

"O Corolla bebe menos e anda mais. Comparar ao Vectra abastecido com gasolina seria covardia - o carro da Chevrolet é 2 segundos mais lento no 0 a 100 km/h. Com álcool, ele perde por meio segundo na aceleração (12,7 contra 13,2). E não se trata apenas do quanto se anda, mas como. O Corolla ganha velocidade com desembaraço, fazendo o motorista esquecer que está num carro automático de apenas quatro marchas. Funciona sem trancos e está sempre disposto, em baixa ou média velocidade. (...) O Vectra é novo, espaçoso e chama atenção. Mas o Corolla traz de série equipamentos importantes (airbag, ABS, CD player) que o Vectra vende num pacote de 8?000 reais. E o carro da Toyota é mais agradável de dirigir. Melhor em motor, freios e suspensão."


Onde o bicho pega

Vidros
Quando estão parcialmente abertos, os vidros das portas podem apresentar ruídos causados por defeitos nas calhas por onde passam. Esse é outro problema que foi alvo de reparo nas concessionárias, quando apontado pelos proprietários.

Faróis
Defeito relativamente comum está na entrada de água nos faróis. O problema é percebido principalmente após a lavagem em postos ou chuvas muito fortes, pois a água acaba evaporando e embaçando a lente.

Suspensão
Ruídos na dianteira podem ser indício de problemas nas buchas de suspensão ou nos amortecedores.

Coxins
Se os ruídos na dianteira não forem da suspensão, a segunda hipótese mais comum são os coxins do motor. Para resolver, só trocando.

Bancos
Com o decorrer do tempo, podem surgir barulhos nos bancos dianteiros, na junção com os trilhos. O ruído é percebido mesmo em pisos menos acidentados, ouvindo-se uma espécie de "nhec-nhec" bem característico.


Preço dos usados (em média)*

2004
XLi 1.6- 36 000
XEi 1.8- 39 000
SE-G 1.8 - 46 600

2005
XLi 1.6- 39 700
XEi 1.8- 43 000
SE-G 1.8 - 55 900

2006
XLi 1.6- 43 300
XEi 1.8- 48 800
SE-G 1.8 - 60 800

FONTE: Molicar
*Valores em reais, coletados em janeiro


Preço das peças

ORIGINAL
Pára-choque dianteiro - 498
Farol dianteiro completo - 574
Retrovisor esquerdo completo - 325
Lanterna traseira esquerda - 209
Amortecedor dianteiro - 195

PARALELO
Pára-choque dianteiro - 500
Farol dianteiro completo - 350
Retrovisor esquerdo completo - 300
Lanterna traseira esquerda - 200
Amortecedor dianteiro - 150


Pense também em um...

Honda Civic
Ele é o rival direto do Corolla no mercado de usados. O proprietário que gosta de um deles automaticamente se sente satisfeito com o outro. Modelo igualmente robusto, confiável, de ótimo valor de revenda e que também já vem bem equipado na maioria das versões. Em geral a escolha entre um dos dois sedãs japoneses se dá mais pela preferência de design, pois do ponto de vista mecânico suas qualidades são bem similares.

* Reportagem publicada na edição de fevereiro de 2007 da revista QUATRO RODAS





» FOTOS

Publicidade