QUATRO RODAS - Kia Sportage
Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Usado do mês
Kia Sportage
Fevereiro 2005

Kia Sportage

É um bom carro para o dia-a-dia e ainda é um bom 4x4 na trilha

Por Alexandre Ramos
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Para um 4x4 importado, o Sportage até que é um sucesso. Vendeu no Brasil, entre 1995 e 2003, cerca de 15300 unidades. Entre os modelos da Kia, só perde para a Besta, com 50000 unidades. Seus donos sempre elogiaram dois pontos: a excelente relação custo/benefício - foi o modelo a diesel mais barato do mercado por muito tempo - e a robustez mecânica, ainda mais no off-road. O Sportage foi lançado na Coréia em 1994 e um ano depois desembarcava por aqui, na versão DLX, com motor a diesel 2.2, aspirado, com parcos 65,3 cavalos. Pouco para um carro de 1531 quilos. De série tinha direção hidráulica e coluna da direção e banco do motorista com regulagem de altura. Ar-condicionado, roda de liga leve, quebra-mato, suporte para estepe e faróis de neblina eram opcionais, apesar de presente na maioria dos modelos. Em 1996 chega o 2.0 16V a gasolina, de 128 cavalos - com opção de câmbio automático. Em 1999 traz um turbodiesel 2.0 de 87 cavalos, no lugar do antigo aspirado, além de incorporar o ar-condicionado e alterações na grade, pára-choque dianteiro e painel de instrumentos. É lançada também a versão vitaminada Grand Sportage, cujo porta-malas cresceu de 384 para 520 litros.

Tanto o diesel como o gasolina são boas compras para quem quer unir conforto e espaço de um automóvel com o desempenho off-road de um jipe. Afinal, onde mais você acharia um veículo que atenda essa exigência a partir de 23600 reais? Em geral a maioria dos donos se diz satisfeita e vários até gostariam de trocá-lo por outro mais novo. As ressalvas ficam por conta do desempenho, principalmente nas versões a diesel aspiradas, e do acabamento interno, pobre demais para um importado.


Onde o bicho pega

MOTOR

Verifique se há vazamento de óleo, ainda mais na versão diesel. Cheque as juntas e desconfie de motores lavados recentemente

VENTOINHA

Em certos casos, a ventoinha não funciona direito. Analise se a temperatura de funcionamento do motor fica estável, de preferência em trânsito pesado

FARÓIS DE NEBLINA

Soltam-se com facilidade. A solução de alguns donos foi usar presilhas extras, de metal. O defeito é mais comum nas versões a diesel, que apresentam maior vibração

MANGUEIRAS

Confira se as mangueiras do acionamento da tração 4x4, que é a vácuo, e do sistema de alimentação estão ressecadas ou remendadas

ACABAMENTO INTERNO

Veja se o plástico do painel e das portas tem rachaduras. Às vezes as costuras dos bancos também se soltam. Nas portas, pode haver deformações nos revestimentos de carros de regiões muito quentes

MAÇANETAS

Cheque as quatro portas, pois não é raro uma delas estar quebrada

SUPORTE DE ESTEPE

Às vezes o motorista erra na baliza e lá vai o suporte tomar pancada. Portanto cheque se há amassados na fixação junto à lataria


A voz do dono

"Quando comprei meu Sportage 2.0 16V 1998 usado, queria um veículo mais resistente para ir ao sítio. Ele vem cumprindo bem sua missão. É robusto e muito econômico. Só tenho duas queixas: por causa do baixo desempenho, nas ultrapassagens é bom pensar duas vezes, ainda mais se a rodovia for de pistas simples. O acabamento também é ruim. No geral estou satisfeito com o carro, e já estou pensando em trocá-lo por outro mais novo."

Cassio Alves de Lima, 33 anos, empresário, Porto Alegre (RS)


Nós dissemos

"A verdadeira vocação do Sportage, porém, surge quando ele se encontra em uma estrada de terra - ou de lama. Em tais condições, o conjunto da suspensão, de construção simples mas eficiente, cumpre seu papel. (...) Com a tração 4x4, reduzida, aliada aos bons ângulos de entrada e saída em rampas, o Sportage venceu com facilidade todas as situações off-road a que foi submetido. E sem sacolejar, pois sua suspensão isola muito bem."

QUATRO RODAS, junho de 1995


Preço de peças*

Original
Pára-choque dianteiro - 930
Farol dianteiro - 510
Espelho externo - 510
Lanterna traseira - 200
Amortecedor dianteiro (cada) - 235
Pastilhas dianteiras - 250

Paralelo
Pára-choque dianteiro - 450
Farol dianteiro - 250
Espelho externo - 280
Lanterna traseira - 230
Amortecedor dianteiro (cada) - 180
Pastilhas dianteiras - 150


O peso do estigma

Um dos principais temores de quem vai comprar um Sportage - ou qualquer coreano usado - é a qualidade de construção. A verdade é que o acabamento dos coreanos realmente não pode ser classificado entre os melhores. O uso intensivo de tecidos e plásticos de qualidade duvidosa acaba fazendo com que o consumidor tenha uma má impressão dos veículos. Situação diferente da qualidade de construção mecânica, que tem se mostrado robusta e confiável, especialmente nos modelos mais recentes. A verdade é que os coreanos tendem a apresentar poucos problemas. "Os defeitos encontrados são sempre os mesmos dentro de cada modelo", diz o mecânico José Carlos Ferreira, que já foi consultor técnico da Kia. "No caso do Sportage, por exemplo, os defeitos são sempre nas mangueiras, ventoinha, maçanetas, mas não necessariamente todos no mesmo carro."


Preços médios dos usados (em reais)*

1996

DLX gas. - 19700
DLX diesel - 28000
2.0 Turbodiesel - -
Grand DLX dies. - -
Grand DLX gas. - -

1997

DLX gas. - 21500
DLX diesel - 29800
2.0 Turbodiesel - -
Grand DLX dies. - -
Grand DLX gas. - -

1998

DLX gas. - 23850
DLX diesel - 31700
2.0 Turbodiesel - -
Grand DLX dies. - -
Grand DLX gas. - 24500

1999

DLX gas. - 26500
DLX diesel - 33700
2.0 Turbodiesel - 37800
Grand DLX dies. - 37000
Grand DLX gas. - 27200

2000

DLX gas. - 32000
DLX diesel - 33700
2.0 Turbodiesel - 42000
Grand DLX dies. - 40400
Grand DLX gas. - 33500

2001

DLX gas. - 39500
DLX diesel - -
2.0 Turbodiesel - 46800
Grand DLX dies. - 44500
Grand DLX gas. - 41000

2002

DLX gas. - -
DLX diesel - -
2.0 Turbodiesel -
Grand DLX dies. - 49500
Grand DLX gas. - -

Fonte: Molicar
* Valores apurados em fevereiro

* Reportagem publicada na edição de fevereiro de 2005 da revista QUATRO RODAS





» FOTOS


Publicidade