QUATRO RODAS - Fiat Strada*
Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Usado do mês
Fiat Strada*
Janeiro 2003

Fiat Strada*

Você não precisa de mais do que dois lugares, quer distância dos motores 1.0 e está com o dinheiro curto? Já pensou numa picape?

Por André Ciasca / fotos: Marco de Bari
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Se você se encaixa no perfil acime, é hora de pensar numa picape. Com os mesmos 15000 reais pagos por um Chevrolet Celta ou por um Ford Ka 1.0 novos, é possível encontrar um carro com dois anos de vida, só que mais leve, mais potente e com equipamentos como direção hidráulica e teto solar.

Para ajudá-lo, fizemos a pesquisa e escolhemos a Fiat Strada nas versões Working 1.5 ou LX 1.6. As razões são simples. Primeiro: são as picapes leves mais baratas entre as principais concorrentes com até três anos de uso* - uma Ford Courier XL 1.6 sai por 16900 reais e a VW Saveiro 1.6 Mi custa 14300 reais. Segundo: são dois dos modelos mais encontrados no mercado. Por último, a Strada é a única com opção de cabine estendida original de fábrica. Vai dizer que não é uma bela vantagem se você precisar levar pequenas compras ou uma mala em dia de chuva?

Se os 92 cavalos do motor 1.5 não forem suficientes para sua sede de asfalto, a LX 1.6 com 106 cavalos passa a ser sua melhor opção. Em setembro de 2001, a Working 1.5 cabine estendida foi eleita pela QUATRO RODAS como o melhor utilitário para se comprar até 20000 reais e a LX 1.6 ficou com o segundo lugar entre as picapes de até 30000 reais.

O primeiro passo para não levar um mico é tentar identificar o antigo proprietário. As picapes leves possuem um público muito específico. Em geral são solteiros, casais ou profissionais que levam cargas menos pesadas. Estes últimos merecem atenção especial. "Quando é pra trabalho a gente percebe fácil", afirma Jorge dos Santos Junior, vendedor de usados da concessionária Fiat Ventuno, em São Paulo.
Para identificar esse tipo de proprietário, vá direto à caçamba e confira se o assoalho não tem arranhões ou rachaduras, sinais claros de maus tratos ou excesso de peso. Amassados na tampa traseira também denunciam o usuário descuidado.

Mesmo que a picape não seja usada para transportar cargas que danifiquem a caçamba ou que ultrapassem os 705 quilos que a Strada suporta, suspensão e freios traseiros são tradicionais pontos críticos e fonte de gastos extras. "As molas e os amortecedores da Strada arriam facilmente", afirma Frederico Silva, avaliador da concessionária Projeto 4, em São Paulo. Um jogo de pastilhas sai em média por 83 reais. Cada feixe de molas traseiro vai custar 158 reais e cada amortecedor não sai por menos de 68 reais. Portanto, faça um test drive e fique atento a falta de estabilidade ou ruídos fora do comum. Um mecânico amigo pode ser útil nessas horas. Como o resto da mecânica da Strada é a mesma do Palio, o custo da manutenção não é motivo para sustos.
Se a caçamba estiver em ordem e não houver nenhum indício de maus tratos, é provável que o proprietário seja de outro grupo. De acordo com uma pesquisa que a Fiat realiza anualmente com os primeiros donos da Strada, 79% são universitários, 57% têm até 39 anos e 78% são homens. É o perfil de quem adora dar uma incrementada no visual e ainda por cima gosta de cuidar do carro.

É o caso de Cesar Alan Silveira, um economista paulista de 28 anos e dono da Strada Working 1.5 cabine estendida da foto na página ao lado. "Só estou vendendo porque agora tenho esposa e um filho", afirma o economista. O carro está inteiraço e, de acordo com Silveira, nunca deu nenhum problema.

Um dos itens mais procurados na Strada é a direção hidráulica. É difícil achar uma com direção, mas se tiver é venda rápida. Ar-condicionado é mais raro ainda, pois só era instalado fora da fábrica. Se encontrar, sorte sua. A versão LX 1.6 conta com um atrativo a mais: o teto solar. .

* Reportagem publicada na edição de janeiro de 2003
da revista QUATRO RODAS





» FOTOS


Publicidade