QUATRO RODAS - Citroën Xsara Picasso
Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Usado do mês
Citroën Xsara Picasso
Novembro 2004

Citroën Xsara Picasso

Quer desfilar com um usado que tem cara de carro zero? E ainda quer equipamento? Aqui está

Por Alexandre Ramos
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

A desvantagem da Picasso zero-quilômetro é seu grande atrativo quando ela vira um usado: o design, inalterado desde seu lançamento, em 2001. Como o modelo novo é praticamente igual ao de segunda mão, torna-se a preferida do motorista que busca o status de rodar com uma minivan zero-quilômetro mas não tem dinheiro para tanto. A diferença visual é sutil: a partir do modelo 2003, as maçanetas das portas passaram a ser pintadas na cor da carroceria, a parte central do painel ganhou a cor prata e a buzina - antes instalada na alavanca do pisca - foi parar no volante.

No entanto, não é só o status de carro novo que atrai seus compradores. Eles também são seduzidos pelo excelente nível de conforto e pacote completo de equipamentos. Já na versão de entrada GLX há ar-condicionado com saída independente na traseira, direção hidráulica, trio elétrico, airbag duplo frontal e lateral e computador de bordo. Na Exclusive, completa-se o conjunto com rodas de liga leve e bancos de couro.

O motor é um 2.0 16V de 118 cavalos. Mas vale atentar para a mudança em 2004, com a adoção de embreagem hidráulica, acelerador eletrônico e motor de 138 cavalos. E ainda houve alteração dos nomes: GLX virou GXS e Exclusive se tornou EXS. O problema é que essa nomenclatura só existe no documento. Portanto, se a escolha recair num 2004, mais potente, não deixe de verificar o certificado. Os maiores problemas da Picasso são o surgimento de ruídos internos e a manutenção

A voz do dono - "Minha Picasso GLX 2002 está com 55000 quilômetros. O que me aborrece mesmo são os barulhos internos, principalmente dos plásticos nas portas e painel de instrumentos. As suspensões também são ruidosas e, mesmo após trocar buchas e fazer reapertos, os barulhos voltam. Apesar disso, estou satisfeito com o carro, que é espaçoso e bonito. Outra vantagem dela é que a Citroën não tem feito muitas mudanças. Assim fica difícil, para quem olha uma na rua, saber de que ano é."
Natal de Souza, 37 anos Belo Horizonte (MG)

Nós dissemos - "A transição de um sedã para uma minivan pode ser mais tranqüila se a opção for a Picasso, pois ela oferece a acomodação mais amigável ao volante.É como sentar-se no banco do motorista de uma perua, com a vantagem de estar em posição elevada. (...) O acabamento é caprichado e há soluções bem-vindas. Cinco passageiros viajam com conforto em bancos individuais (...). Há idéias notadamente inspiradas na Scénic, como o banco traseiro central que desliza sobre trilhos."
Quatro Rodas, Maio de 2001

A peça que faltava - Segundo mecânicos e proprietários, o maior receio de quem já teve uma minivan Picasso são preço das peças e facilidade de encontrá-las. Michele Francisco de Lima, de 36 anos, conta que sua Picasso ficou duas semanas na concessionária apenas para trocar um anel sincronizador do câmbio, que estava em falta. E ainda teve de pagar 3500 reais para fazer o conserto e revisão do câmbio. A Citroën explica que os pedidos feitos pelas concessionárias num raio de 500 quilômetros de São Paulo são atendidos em até 24 horas. Para as demais regiões, o período deveria variar de dois a cinco dias. Quanto ao preço, a montadora diz que faz pesquisas que comprovam que "estão alinhados com os praticados pela concorrência".

* Reportagem publicada na edição de novembro de 2004
da revista QUATRO RODAS





» FOTOS


Publicidade