Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Usado do mês
Chevrolet Astra Sedan
Março 2009

Chevrolet Astra Sedan

Com mecânica robusta e confiável, ele agrada quando o assunto é equipamento. Mas seu consumo é alto

Por Fernando Garcia
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Você está atrás de um carro confortável, espaçoso e bem equipado por um preço menor que o de um popular zero? Por que não optar pelo Astra Sedan? Saiba que ele ainda oferece o benefício da mecânica robusta, confiável e fácil de reparar, que tem origem no Monza. A grande vantagem é que por menos de 25 000 reais* é possível encontrar modelos com ar, freios a disco nas quatro rodas com ABS, teto solar e computador de bordo. Tudo empurrado por um forte motor 2.0. Porém, se você se preocupa com a economia, ele vai decepcioná-lo: não é difícil achar motoristas que fazem a média de 7 km/l na cidade, com álcool.

O sedã foi lançado em fevereiro de 1999 nas versões GL 1.8 (110 cv), GLS 2.0 (112 cv) e GLS 2.0 16V (128 cv). A mais simples era tão espartana que nem conta-giros oferecia. Já a GLS vinha com trio elétrico, rodas de alumínio e direção eletro-hidráulica – apesar de ter como opcional até teto solar, ABS e airbag.

Em 2001, o GL ganharia conta-giros e volante com regulagem de altura e profundidade, enquanto o GLS 2.0 16V passaria a 136 cv. A série Advantage (baseada na GLS 2.0 16V) chegou no mesmo ano, com farol de neblina, computador de bordo e ar-condicionado. Logo viria a linha 2002, que ofereceu opção de câmbio automático de quatro marchas para o GLS 2.0 8V (com 4 cv a mais), deixando o 1.8 apenas para o álcool, destinado a táxis. O Expression veio pouco depois, trazendo ar, trio, faróis de neblina e rodas de liga.

A reestilização viria na linha 2003, com novo design na dianteira e na traseira. Só teria motor 1.8 álcool e 2.0 8V gasolina – este ganhou a versão CD (no lugar da GLS), com airbag lateral, ar e piloto automático. Em 2004 estreia o 2.0 FlexPower (127,6 cv na gasolina e 121 cv no álcool), já como linha 2005. As versões são rebatizadas para Comfort, Elegance e Elite, todas com ar, direção e trio. Mas airbags laterais, ABS com EBD, CD player e bancos de couro eram exclusivos da Elite. Em 2006, surge a Advantage e, no ano seguinte, saem de linha Comfort e Elite.


FUJA DA ROUBADA

Não compre as versões mais peladas do Astra, ainda mais sem ar-condicionado, pois a revenda é difícil. O mesmo vale para cores vibrantes como o vermelho (Radar e Carena), verde (Esquadra e Regata) e amarelo (Cais).


NÓS DISSEMOS
NOVEMBRO DE 2002

"O Astra 2003 evoluiu consideravelmente em relação à versão anterior (...) O que nos chamou a atenção foi o conforto. A alavanca de câmbio muito leve supera a do Peugeot 206 (...). A direção também não demanda esforço e, em conjunto com a suspensão macia, torna o Astra alvo fácil de quem quer sombra, água fresca e carro suave. Quem gosta de um pouco mais de adrenalina, no entanto, pode se decepcionar. Apesar de leve, o câmbio não é amigo de trocas rápidas. (...) A suspensão é macia demais, e por isso compromete a dirigibilidade."


PREÇOS DOS USADOS (EM MÉDIA)*

2004
2.0 CD: R$ 31 014

2005
2.0 flex Comfort: R$ 32 705
2.0 flex Elegance: R$ 34 176
2.0 flex Elite: R$ 39 855
2.0 flex Elite aut.: R$ 41 647
2.0 CD: R$ 36 401

2006
2.0 flex Comfort: R$ 34 223
2.0 flex Elegance: R$ 38 285
2.0 flex Elite: R$ 43 858
2.0 flex Elite aut.: R$ 45 489

2007
2.0 flex Comfort: R$ 35 834
2.0 flex Elegance: R$ 41 577


PREÇOS DAS PEÇAS*

Para-choque dianteiro
Original: R$ 270
Paralelo: R4 204

Farol completo (cada um)
Original: R$ 889
Paralelo: R$ 470

Disco de freio (par)
Original: R$ 390
Paralelo: R$ 250

Pastilha de freio dianteira (jogo)
Original: R$ 205
Parelelo: R$ 120

Retrovisor (cada um)
Original: R$ 488
Paralelo: R$ 213

Amortecedor diant./tras. (cada um)
Original: R$ 222/102
Paralelo: R$ 211/127


PENSE TAMBÉM EM UM...
VW Polo Sedan

Para quem não gosta muito do estilo conservador e comportado do Astra, o Polo agrada pelo projeto mais atual. O bom desempenho, aliado a um consumo menor, principalmente com o ar-condicionado ligado, é outra das características elogiadas pelos donos. Perde um pouco em espaço interno e no porta-malas, com 432 litros (28 menos que no Astra), mas ganha em desvalorização e o seguro é mais barato que o do sedã da GM. O Polo também atrai quem curte uma direção mais esportiva, graças ao câmbio de trocas justas e precisas e à suspensão mais rígida.


ONDE O BICHO PEGA


Direção eletro-hidráulica
- Oferecida até o ano de 2001, foi substituída pela hidráulica pelo alto custo e pela menor robustez. Se for necessário comprar um kit novo, saiba que uma nova custa 4 500 reais na autorizada.

Portas e porta-malas - Nas primeiras unidades, fabricadas em 1999, é fácil encontrar problemas nas fechaduras das portas e do porta-malas, que costumam não abrir. A dica é aplicar algum óleo desengripante. Se o problema persistir, talvez o miolo da fechadura esteja quebrado.

Computador de bordo - Pode haver falha no visor, por conta da queima dos leds, dificultando a leitura dos caracteres. O preço da troca do visor numa concessionária sai por cerca de 2 000 reais, mas no mercado paralelo fica entre 250 e 350 reais.

Suspensão - Alguns donos reclamam de ruídos que podem vir da bieleta (ou tirante da suspensão), peça de termoplástico que conecta o amortecedor à barra estabilizadora e que com o tempo pode apresentar folgas ou trincas. A solução em alguns casos é trocá-la por uma bieleta de metal, mais resistente.

Motor - Pode superaquecer por problemas na válvula termostática, bomba d’água ou sensor de temperatura. Há casos em que uma simples limpeza ou adição de líquido no radiador resolve.


A VOZ DO DONO

O QUE EU ADORO
"Seu porta-malas acomoda bastante bagagem e o espaço interno também é muito bom, podendo levar três adultos atrás com folga. E é bem completo de equipamentos."
Felipe Renê de Souza, 23 anos, auxiliar administrativo, Araquari (SC)

O QUE EU ODEIO
"Acho a manutenção cara se comparada aos outros sedãs. Só de embreagem, quando precisei trocar disco e platô, gastei mais de 1 000 reais, com a mão-de-obra inclusa."
Guilherme Cipriano, 21 anos, policial, Rio de Janeiro (RJ)

*Preços em meados de fevereiro de 2009






Publicidade