Ford Fusion 2.5 Flex
Versão "básica" do Fusion tem equipamento e preço na dose certa
Por Paulo Campo Grande | Fotos: Marco de Bari | 25/03/2013
Confira a galeria de fotos
TEXTO  

Desde 2003, ano de lançamento da primeira geração do EcoSport, não se tinha notícia de haver fila para comprar um carro da linha Ford no Brasil. Bons carros como Focus e New Fiesta não chegaram a mobilizar multidões. Coube à versão top do novo Ford Fusion, a Titanium 2.0 AWD, ao preço de 112990 reais, a proeza de submeter seus pretendentes à espera, num segmento em que tal ousadia não costuma ser tolerada. Agora chega o modelo equipado com o motor 2.5 flex, menos equipado, por 92 990 reais. O melhor da novidade é que, apesar de anunciada como básica, a nova versão é bem equipada e não exige grandes renúncias de seu proprietário.

A nova versão traz todos os principais itens encontrados em um Civic 2.0 EXR (topo de linha) ou mesmo em um Audi A4 2.0 Attraction (básico). Ela vem com câmbio automático de seis marchas, bancos de couro, rodas de alumínio aro 17, sistema multimídia Sync (com tela touch e comando de voz), ar- condicionado digital, piloto automático, ESP, assistente de partida em ladeira, oito airbags, sistema de som, GPS e câmera de ré, entre outros recursos. A versão mais cara, a Titanium 2.0 AWD, apresentada em novembro de 2012, é equipada por sua vez com esses mesmos itens acima mais sensores que detectam pontos cegos, alertam mudanças involuntárias de faixa, medem espaços para estacionar e avisam sobre o risco de colisão, além de tração integral.

Você pode ter estranhado o fato de a versão topo de linha ser a 2.0 e a básica, a 2.5. Embora seja menor, o motor 2.0 é mais sofisticado e potente. Ele gera 240 cv (com gasolina), enquanto o 2.5 rende 175 cv (com etanol). O 2.0 é da família EcoBoost, com turbocompressor e injeção direta de combustível. O 2.5, da linha Duratec, é o mesmo que equipa a picape Ranger, mas foi remapeado e traz aprimoramentos técnicos, como comando de válvulas de admissão variável. Ele pode não ser tão moderno quanto o EcoBoost, mas está longe de ser ultrapassado. Assim como acontece com o conteúdo do carro, o motor da versão 2.5 não decepciona.

Na pista de testes, o Fusion 2.5 foi mais lento que o 2.0. Nas acelerações de 0 a 100 km/h, ele obteve o tempo de 10,7 segundos, contra os 7,4 segundos conseguidos pelo 2.0. Mas na comparação com o Civic, que realizou a mesma prova em 10,9 segundos, o Fusion 2.5 se defende bem. No consumo, o 2.5 leva a melhor. Ele ficou com as médias de 7,3 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada, com etanol, enquanto o 2.0 fez 7,9 e 11,1 km/l, com gasolina, respectivamente. Considerando que o litro de etanol é vendido a 1,83 real e o de gasolina sai por 2,72 reais (preços médios, em fevereiro, na cidade de São Paulo), o custo do quilômetro rodado do Fusion 2.5 é menor que o do 2.0. Na ponta do lápis, rodar com o Fusion 2.5 custa 0,251 real/km na cidade e 0,177 real/km na estrada, enquanto que com o 2.0 esses custos vão para 0,344 e 0,245 real/km.

O câmbio é automático sequencial nos dois carros, mas apenas o 2.0 dispõe de paddle-shift no volante, recurso que permite um modo de condução mais esportivo. No 2.5, as trocas no modo manual devem ser feitas por meio de um botão +/- na alavanca, limitação que destoa do conjunto. O 2.0 tem tração integral, que lhe garante maior equilíbrio nas curvas e estabilidade nos dias de chuva, além de proporcionar ao motorista a sensação de maior controle sobre o carro. O 2.5 tem força só nas dianteiras, característica comum aos carros de sua categoria.

Os demais sistemas são os mesmos para as duas versões, com as adequações de praxe ao peso de cada um.Visualmente, para distinguir um do outro, os únicos sinais são as rodas (aro 17 no 2.5 e 18 no 2.0) e as saídas de escapamento (dupla no 2.0). Por dentro, há diferença de materiais nos apliques do painel, mas nada que comprometa: lá estão os frisos e o console vazado nas laterais, à laVolvo. Os bancos de couro têm visual próprio e o som do 2.0 é da Sony, enquanto o do 2.5 é Ford (sem marca aparente).

O Fusion é um carro confortável. Seu espaço interno é amplo. Cinco pessoas se acomodam sem aperto. A cabine é bem isolada acusticamente e o ar-condicionado, com ajustes independentes para os dois lados da cabine, tem saídas para os bancos traseiros. A suspensão proporciona rodar suave, absorvendo as irregularidades do piso, mas segurando a carroceria nas curvas, frenagens e arrancadas. Na dianteira, ela está ancorada em um subchassi, fixado com o auxílio de coxins, para impedir que as vibrações da rodagem cheguem à carroceria. O resultado é muito bom, mas os mais atentos notarão ruídos e estalos próprios de estruturas que usam braços de liga de alumínio, como é o caso do Fusion. Outro senão diz respeito à altura da carroceria. Em nossa avaliação na cidade, tivemos que tomar cuidado extra para evitar que a dianteira atuasse como plaina em quebra-molas e valetas.

Agora a família Fusion tem três versões: 2.5,Titanium 2.0 FWD (4x2) e Titanium 2.0AWD (4x4). Mas a linha não termina aqui. Até o fim deste semestre, chega a híbrida Titanium 2.0 Hybrid. E cabe também uma quinta opção, mais simples e menos equipada, com preço ainda mais interessante. Mas essa, pelo que se sabe, não está nos planos da Ford. Quem disse que para fazer sucesso é preciso ser popular?



DIREÇÃO, FREIOE SUSPENSÃO

A direção é diretae precisa. Os freios, competentes. E a suspensão é confortável, sem deixar o carro solto.


MOTOR E CÂMBIO

O conjunto mecânico garante economiae é satisfatório.


CARROCERIA

O design é bonito e o acabamento, de boa qualidade.


VIDA A BORDO

O Fusion é confortável e bem equipado.O botão para as trocas de marcha manuais, na alavanca, convidam o motorista a deixar o câmbio em Drive.


SEGURANÇA

ESP, oito airbags, sensores de pressão nos pneus e cintos de três pontos para todos, de série.


SEU BOLSO


O Fusion tem preço atraente, três anos de garantia e seguro relativamente barato: 3 365 reais, quando contratado com a fábrica (Ford/Mapfre).



OS RIVAIS

Hyundai Sonata


É bem equipado e seu visual, moderno. tem motor 2.4e câmbio de seis marchas. Sai por 99 300 reais.

Honda Accord

Tem a boa reputação da Honda, mas é tímido nas vendas. traz motor 2.0 e câmbio de cinco marchas. Custa 99 800 reais.



VEREDICTO


O Fusion 2.5 tem tudo para satisfazer o comprador de sedãs grandes. É espaçoso e bem equipado e tem bom desempenho e baixo consumo. Seu preço é convidativo e ele aindaé flex, coisa que seus rivais (importados) não são.

>> Confira a Ficha Técnica do carro

PUBLICIDADE

  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |

PUBLICIDADE