Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | testes
Fiat Strada Cabine Dupla
Julho 2009

Fiat Strada Cabine Dupla

A fórmula inédita da pequena picape traz opção de cabine dupla para até quatro pessoas

Por Péricles Malheiros | Fotos: Christian Castanho
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Para quem achava que, em se tratando de aventureiros urbanos, não havia nenhum mistério entre o céu e a terra, eis que surge um objeto (e oportunidade) nunca antes identificado. O coelho saiu da cartola da matriarca dessa espécie, a Fiat. A montadora italiana apresenta a Strada Adventure com cabine dupla e capacidade para transportar quatro pessoas. Desde 1999, quando lançou a Palio Adventure, a marca firmou-se diante da concorrência como a fábrica que mais entende do riscado. A Volkswagen e a Ford, respectivamente com CrossFox e EcoSport, enfrentam como podem a família Adventure, composta por Idea, PalioWeekend, Doblò e Strada. A escola francesa (Citroën C3 XTR, Peugeot 207 Escapade e Renault Sandero Stepway), por sua vez, não passa de coadjuvante nesse lucrativo segmento de carros de imagem.

Confesso que cheguei ao evento de lançamento com alguns preconceitos. Cabine dupla numa picape pequena com apenas duas portas e sem aumento de entre-eixos? Aos poucos, porém, o projeto foi me convencendo. As linhas externas são agradáveis, embora eu ainda ache o perfil da cabine estendida mais harmonioso. Para acessar a traseira, puxo a alça lateral do banco: ele desliza em direção ao painel, voltando, em seguida, à posição original, como nos Palio duas portas. Exige certo contorcionismo chegar lá atrás, mas tudo bem: quem escolhe uma picape cabine dupla de suspensão alta para o dia a dia na cidade é jovem, assim como seus convidados eventuais. Ao ser invadida pela cabine, a caçamba teve seu volume disponível reduzido em 30%, caindo de 830 para 580 litros – a capacidade de carga em quilos, porém, caiu apenas 5%, de 685 para 650 kg. Problema? Nem tanto. Esse é o tipo de picape mais utilizado como carro de passeio que como um utilitário com pretensões off-road. Ou seja, espaço na caçamba, ainda que importante, deixa de ser crucial.

Strada duplicada
A carroceria com cabine dupla estará disponível inicialmente apenas na versão Adventure, mas Cledorvino Belini, presidente da Fiat, assume a possibilidade de a nova configuração ser estendida à versão Trekking. “Se notarmos que o mercado pede a novidade também na Trekking, não há por que não fazê-la.” Mas voltemos ao lançamento. O sistema de bloqueio eletrônico do diferencial, o Locker, que na cabine estendida é de série, foi parar na lista de opcionais da cabine dupla, por 1 500 reais, sob a justificativa de a dupla ter uma pegada mais urbana, segundo a fábrica. Na realidade, a estratégia visa estabelecer um degrau de preço em relação à cabine estendida. Em meados de junho, novamente com o mercado encoberto pelas nuvens sobre a continuidade da isenção de IPI, a Fiat liberou o preço: 46 440 reais, ante 44 540 da estendida – sem o Locker, é bom lembrar. Ar-condicionado, direção hidráulica e travas e vidros elétricos já estão inclusos no preço. ABS e airbag duplo são vendidos num único pacote, por 2 845 reais.

Com plásticos revestindo as laterais quase que do chão ao teto, o espaço traseiro nem de perto lembra uma adaptação. Um par de cintos retráteis e de encostos de cabeça define o número de pessoas que podem viajar ali. A janela, fixa, é mais ampla que a da estendida e permite curtir a paisagem. Se você tem mais de 1,80 m, convém fazer um test-drive para verificar se o carro está à sua altura. Com o banco todo recuado, a utilização da porção traseira da cabine fica comprometida tanto para passageiros (há pouco espaço para as pernas) quanto para bagagem (o assento bascula para a frente, mas não permanece na vertical). Em resumo, este lançamento da Fiat é indicado para quem abria mão da Strada apenas porque, mesmo que esporadicamente, deparava com a necessidade de transportar mais de um convidado. A perua Palio Adventure? Sim, seria uma alternativa mais confortável, porém não oferece a versatilidade da caçamba e o carisma das picapes, além de ser bem mais cara – 53 040 reais.

A fim de dobrar o espaço para ocupantes, a engenharia da Fiat alongou a cabine apenas 20 cm em relação à estendida. A medida exigiu um novo santantônio e um rack de teto mais longo. Carlos Eugênio Dutra, diretor de produto, comenta as mudanças mecânicas: “Apesar de o acréscimo de peso ter sido de apenas 35 kg, recalibramos todos os amortecedores. Na traseira, as molas estão mais flexíveis, privilegiando o conforto”. Fontes ligadas à fábrica contam que uma versão com entre-eixos alongado chegou a ser cogitada. Esse projeto permitiria a inclusão da cabine dupla sem perda de espaço na caçamba, mas acabou descartado por exigir um investimento muito alto.

Botão sem volume
Algumas falhas de DNA podem ser notadas no lançamento da Fiat. Com leitor de MP3 e viva-voz Bluetooth, o rádio (opcional) é rico em recursos, mas pobre em praticidade. Com o carro em movimento, não é raro desligar o aparelho sem querer, ao tentar mudar o volume. Culpa do botão muito curto. Abra o porta-luvas e encontre a entrada USB e um “berço” para acomodar seu iPod – dependendo do modelo do Apple, abdique de colocá-lo ali, pois o espaço é insuficiente, assim como o comprimento do cabo. Mas a herança genética também trouxe vantagens. A tampa traseira é facilmente removível e você não encontrará problemas para amarrá-la na caçamba, repleta de ganchos e protegida por um plástico resistente.

Alguns pequenos detalhes são curiosos. O estepe da cabine dupla vai junto à janela traseira, no centro, enquanto na estendida ele fica à esquerda. No interior, o inclinômetro traz apenas o desenho da estendida. Para finalizar, a cabine dupla oferece duas alças de segurança no teto, enquanto a estendida oferece porta-óculos no lado do motorista.

Ao volante, o novo rebento da família Adventure mostrou que é muito mais que um rostinho bonito para se destacar na cidade. Com a cabine dupla, rodamos por terra, lama, buracos, pedras, água, areia. Enfim, terrenos nos quais a maior parte dos aventureiros urbanos jamais passará. Em todo caso, se um dia você precisar sair do asfalto, é bom saber que a Strada vai se comportar bem. O teste foi feito ao longo e nas proximidades da Estrada Real, uma rota criada há mais de 300 anos pela coroa portuguesa para ligar Diamantina (MG) ao litoral do Rio de Janeiro (RJ). Na rota histórica, a suspensão foi o grande destaque. Entre saltos e depressões, raramente a suspensão revelou o fim do curso, proporcionando uma direção precisa e proteção às partes vitais da picape. Já no asfalto, reencontramos o modelo avaliado em Limeira, interior de São Paulo, na pista da TRW, onde são feitos todos os testes de QUATRO RODAS.

Com 1 195 kg, a Strada Adventure Cabine Dupla praticamente empata em peso com a perua Palio Adventure (1 198 kg), avaliada em julho de 2008. Não por acaso, os números do teste foram muito semelhantes. Cumpriu o 0 a 100 km/h em 12,9 s, a frenagem de 80 km/h a 0 em 26,6 s e a retomada de 40 a 80 km/h em 7,6 s – na mesma ordem, a station cravou 12,6, 27,5 e 7,3 s.

A Fiat estima uma venda mensal entre 1 000 e 1 500 unidades da cabine dupla e sabe que uma parte dos compradores migrará da versão estendida. Mas a marca está de olho mesmo é em clientes vindos de outras marcas e, principalmente, de outras categorias.

 


 

OS RIVAIS


Strada Adventure Cab. Estend.
Nem emergencialmente leva quatro pessoas. Tem Locker de série e custa 1 900 reais menos.


Palio Adventure
É espaçosa para passageiros e bagagem, mas é mais cara que as picapes. Custa 53 040 reais.

 


 

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
A Fiat sabe que a picape roda a maior parte do tempo na cidade. Por isso, a suspensão é bem macia. No off-road leve, não demonstrou medo dos buracos.
★★★

MOTOR E CÂMBIO
O casamento é feliz, mas o motor 1.8 flex bebe exageradamente sempre que o motorista pede um pouco mais de desempenho.
★★★

CARROCERIA
Como um legítimo Adventure, tem design matador. Internamente, porém, é o mesmo Palio de sempre. Um sistema que abaixasse um pouco o vidro para facilitar o fechamento da porta seria muito bem-vindo. A caçamba é pequena para levar motos e bicicletas, mas é maior que o já enorme porta-malas da Palio Weekend.
★★★★

VIDA A BORDO
Ar, direção e travas e vidros elétricos são de série. Rádio, opcional. Alarme, acessório. Num dia ensolarado, o teto solar sem proteção contra a luminosidade pode castigar quem vai no banco traseiro.
★★★

SEGURANÇA
Com o centro de gravidade elevado por causa da suspensão alta, a carroceria inclina demais nas frenagens. Ao menos o ABS deveria ser de série.
★★★

SEU BOLSO
A diferença de preço em relação à estendida é justa. Cabine e caçamba não fazem milagres, mas resolvem a maiorparte das situações.
★★★

 


 

VEREDICTO

Se a ideia é comprar uma picape bonita para rodar na cidade, a novidade é uma boa opção. Tem uma caçamba maior que o porta-malas da Palio Adventure e leva, ainda que com certo aperto, duas pessoas atrás.





» FOTOS


Publicidade