Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | testes
Aquaplanagem
Julho 2006

Aquaplanagem

Na hora de passar acelerado sobre a água, ninguém conseguiu ser o melhor nas duas medidas

Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Você nunca passou por uma poça de água na estrada e teve aquela sensação de que faltou o chão sob as pernas? Esse tipo de ocorrência é o que se chama de aquaplanagem. É um momento em que a água empoçada na pista se interpõe entre o asfalto e o pneu, fazendo o carro perder o contato com o piso. Um vacilo que pode resultar em acidente grave. A aquaplanagem tem relação direta com a velocidade do carro, mas também depende do comportamento dos pneus. No Brasil, onde qualquer chuva transforma certas rodovias em plantação de arroz, o risco de um carro aquaplanar é grande. Às vezes, basta um fio de água cortando a pista para fazer o estrago. Pela lei de Murphy, essas armadilhas estão sempre escondidas depois de curvas, justamente quando o motorista precisa de mais tração.

Na nossa prova, foi criada uma lâmina constante de água com 6 milímetros de espessura e 400 metros de extensão (maravilhas de uma pista feita para testar pneus). As passagens iniciaram a 70 km/h e progrediram em intervalos de 3 km/h até que ocorresse a aquaplanagem. Os melhores pneus deveriam entregar os pontos em velocidades maiores que os rivais.

Assim como nos testes de aderência, a medição objetiva da velocidade foi complementada pelas impressões do piloto. Alguns pneus demoram a perder o contato com o asfalto, mas quando isso ocorre, um abraço: o motorista vira passageiro ao sabor das leis da física. Enquanto outros, mais progressivos, aquaplanam em doses homeopáticas, dando oportunidade de o motorista reagir.

Os especialistas ensinam que, para se dar bem na prova, ou o pneu é estreito ou tem um desenho que convive bem com a água. Ser estreito é bom, mas traz problemas em outras situações, como nas frenagens. O ideal mesmo é ter um desenho que facilite a entrada da água nos sulcos bem no momento em que o pneu atinge a poça e drene o máximo no instante seguinte, para evitar que a borracha perca contato com o piso.

Entre os pneus que equiparam o Gol e seu aro 13, o Continental foi o que mais agradou. Além de demorar para aquaplanar, avisou quando ia perder contato com o chão. Firestone e Goodyear também foram bem, ao passo que Pirelli e Michelin cumpriram tabela. Na vez dos aros 15 do Marea, quem pensou que ia ver uma reprise, se surpreendeu. Na medida maior, o Michelin se deu bem e o Continental foi mal, assim como o Pirelli. Firestone e Goodyear mantiveram-se na média.

AQUAPLANAGEM
Na pista, com uma lâmina de água controlada, o carro passava em velocidades crescentes, até os pneus perderem contato com o piso. O piloto anotava a velocidade em que isso ocorria e avaliava o comportamento do pneu.

 


 

 

Os testes:

> Aderência
> Frenagem
> Aquaplanagem
> Impacto
> Consumo
> Ruído

Voltar





» FOTOS

Publicidade