Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | testes
Ford F-250 Cabine Dupla XLT
Setembro 2003

Ford F-250 Cabine Dupla XLT

Por fora você só vê o tamanho e a cara de má. A força você imagina. Mas não se assuste: lá dentro há um grande coração.

Por Paulo Campo Grande / Fotos: Marco de Bari
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Uma volta às aulas. É disso que você vai precisar antes de dirigir uma F-250 Cabine Dupla, a maior picape já produzida por aqui. São 6,25 metros de comprimento, 2,03 metros de largura e 1,95 metro de altura. Se você não se deixou intimidar com as medidas, saiba que é preciso ter carteira de habilitação categoria C para pilotar a picape, a mesma que é exigida dos motoristas de caminhão para dirigir suas carretas, devido a seu peso de 2850 quilos que, somados aos 1140 quilos de capacidade de carga, dão um peso bruto total de 3990 quilos.

Pode parecer exagero comparar a F-250 a grandes caminhões, mas o fato é que sua condução exige os mesmos macetes utilizados na direção deles. A primeira regra é aumentar o raio da curva para não raspar a roda traseira na guia. Também não pense que, na hora de mudar de faixa, você vai acionar o pisca, dar aquela rápida olhada no retrovisor e ir adiante. As ações têm de ser planejadas. A picape leva tempo para deslocar seu corpanzil, ainda que demonstre agilidade inesperada para seu porte, como você verá adiante. Mas a visibilidade ajuda: são mais de 3 metros quadrados de área envidraçada, e o motorista ainda tem a ajuda de dois generosos retrovisores.

A mudança de hábitos imposta pela mãe das picapes nacionais transcende a direção. Se você freqüenta cinemas e faz compras em shopping centers, esqueça esse tipo de programa. Ainda que tenha espaço de sobra na caçamba para levar um telão de 72 polegadas, vai ser difícil acomodá-la numa vaga. A frente da picape fica cerca de 1,50 metro para fora. Eu fiz a experiência e esperei 30 minutos na companhia de um segurança que tentava, pelo rádio, localizar vaga em outro andar. Tudo bem, sabemos que boa parte dos 100 carros que a Ford pretende vender por mês devem rodar no interior do país, onde falta de espaço não é problema.

Em compensação, não há aperto na cabine. Seis adultos (três na frente e três atrás) viajam bem, sem disputas de território ao longo do caminho. Pudera, com a cabine dupla a picape ganhou 90 centímetros, totalizando 3,97 metros de entre-eixos - é maior que um Ka, com 3,62 metros de comprimento. Mas sobra ruído no interior. Desprovido de modéstia, o motor vai gritando aos quatro ventos enquanto realiza seus feitos, no velho estilo dos diesel. Não foram poucas as pessoas que andaram na picape e disseram que o ronco era típico de caminhão. Com o câmbio em ponto-morto, nada menos que 51 decibéis chegam aos ouvidos dos passageiros. Nesse mesmo regime, um Fit emite 34,9 decibéis.

Você está curioso para saber como anda o monstro? Surpreenda-se, como nós. Ela levou 14,3 segundos para ir de 0 a 100 km/h, número melhor que de modelos 1,0 litro e páreo para uma Meriva 1.8, (edição de junho de 2003). Mas é nas ultrapassagens que a F-250 revela fôlego exuberante. Foram 6,3 segundos para ir de 40 a 80 km/h em terceira marcha, oito décimos mais lenta que um Golf GTi VR6, que tem 200 cavalos e câmbio de seis marchas (março 2003). Essa lepidez toda vem da combinação do motor turbodiesel, de seis cilindros em linha e 180 cavalos, com a proposta da picape. Basta lembrar que o motor, projetado para carregar quase 4 toneladas de peso total nas costas, roda um bom tempo com apenas parte de sua carga máxima.

A suspensão recebeu alterações que visam diminuir as oscilações e a ressonância da carroceria. Além de utilizar molas e amortecedores mais rígidos, por conta dos 490 quilos extras da cabine dupla, a engenharia mexeu na posição dos amortecedores traseiros. Antes, eles eram fixados na parte interna das longarinas do chassi. Agora passaram para fora e estão cerca de 40 centímetros mais distantes entre si. Tal alteração minimiza a movimentação angular do eixo traseiro. Na prática, seria uma menor oscilação da roda, ao passar por uma lombada. E, ao invés de estarem para trás do eixo traseiro, foram para a frente, limitando seu deslocamento vertical e diminuindo os pulos em pisos irregulares. Essas mudanças serviram, segundo a Ford, para dar à carroceria um comportamento mais estável em curvas que a versão anterior. Versão anterior? Sim, pois a Ford já produzia a F-250 cabine dupla desde 2001 e a exportava para a Austrália.

Se você não se assustou com o tamanho nem com a cara de má da F-250, saiba que ela será vendida em duas versões: a XL, menos equipada, por 85990 reais, e a XLT, que custa 97990 reais e oferece alguns itens de luxo, como vidros, espelhos e travas elétricas e CD player, além da grade - importada do utilitário Excursion - e dos pára-choques cromados. De brinde, você ganha o respeito dos outros motoristas. É comum ver os carros abrindo caminho, por livre e espontânea vontade, diga-se. É a vantagem de se andar com a maior da turma.

> Avaliação

Ficha técnica

Motor
Dianteiro, longitudinal, 6 cilindros em linha, 18 válvulas
Cilindrada: 4198 cm3
Diâmetro x curso: 93,0 x 103,0 mm
Taxa de compressão: 17,8:1
Potência: 180 cv a 3200 rpm
Torque: 50,9 kgfm a 1600 rpm

Câmbio
Manual de 5 marchas, tração traseira;
I. 5,08;
II. 2,60;
III. 1,53;
IV. 1,00;
V. 0,77.
Ré 4,66;
Diferencial 4,10;
Rotação do motor a 100 km/h em 5ª marcha - 2250 rpm

Carroceria
Dimensões:
Comprimento, 625 cm;
largura, 203 cm;
altura, 195 cm;
entre-eixos, 397 cm
Peso: 2850 kg
Peso/potência: 15,8 kg/cv
Peso/torque: 56,0 kg/kgfm
Volumes:
Capacidade de carga, 1140 kg;
tanque de combustível, 98 l

Suspensão
Dianteira: Independente, do tipo Twin-I-Beam com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos
Traseira: Feixe de molas com amortecedores hidráulicos

Freios
Disco ventilado na dianteira e tambor com
ABS na traseira

Direção
Tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica; diâmetro de giro 16,4 metros; 4 voltas entre batentes

Rodas e pneus
Liga leve, aro 16; Goodyear LT 265/75 R16

Principais equipamentos de série
Ar-condicionado, ABS na traseira, banco do motorista regulável em altura, barras de proteção laterais, CD player, conta-giros, direção hidráulica, duplo airbag, grade dianteira e pára-choques cromados, rodas de liga leve, vidros, travas e espelhos elétricos, volante com regulagem de altura

garantia
2 anos ou 50000 quilômetros

Preço
97990 reais





» FOTOS


Publicidade