Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | testes
Renault Clio 1.6
Dezembro 2004

Renault Clio 1.6

Com o sistema Flex desenvolvido na matriz, o Clio no passa fome em lugar nenhum

Por Marcelo Moura | fotos Marco de Bari
Lista de matrias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Difcil haver carro mais mente aberta que o Renault Clio com motor 1.6 16V Hi-Flex. O que est mais barato na bomba do posto lcool ou gasolina? No importa, ele encara qualquer um. Voc quer cair na estrada e dirigir fora do Brasil? V em frente, ele nosso primeiro flex a encarar uma dieta base de nafta (gasolina livre de lcool) sem engasgar.

O teste do primeiro Clio bicombustvel feito com um olho no retrovisor. Mais exatamente no comparativo de carros hatch flex, entre Fiat Palio 1.8, Chevrolet Corsa 1.8, Ford Fiesta 1.6 e Volkswagen Fox 1.6, publicado na edio de outubro. Se estivesse l, o pequeno Renault ficaria bem colocado nas provas de acelerao e retomada (atrs apenas do Palio) e tambm nos testes de consumo. O Renault o mais econmico quando abastecido com lcool e fica em segundo, pouco atrs do Fox, ao queimar gasolina. Jorge Luiz, nosso auxiliar de testes, voltou animado do campo de provas: "Esse Clio tem um pulmo!"

E pensar que, quando tirei o Clio para o primeiro passeio, ele estava em situao digna de letra de bolero: dormira ao relento, na sarjeta, com o tanque cheio de lcool. O visor laranja do computador de bordo marcava 7 e meia da manh, 14 oC. E no que o Clio acordou sem bocejar? S o sereno no vidro lembrava que a madrugada tinha sido fria. Tudo que ouvi foi o rudo curto da bomba da partida a frio, como um gole de caf amargo. Segundo a Renault, a cafeteira do Clio tem gasolina para mais de 100 partidas. Sei no... O carro s recorre ajuda de vez em quando (em partidas abaixo de 18 oC, com mais de 85% de lcool no tanque) e o combustvel estraga em quatro meses (leia mais a respeito no Correio Tcnico). Quem mora em lugares quentes pode ter problemas com tamanha autonomia.

Nada mau para um motor iniciado no lcool por uma equipe de engenharia sem tradio nesse assunto. Em vez de encomendar o sistema bicombustvel a algum fornecedor no Brasil (como a Magneti Marelli, que faz a injeo do Clio 1.0 e a do pioneiro Gol Total Flex), a Renault despachou para a Frana gales e mais gales de etanol. Resolveu tudo nos laboratrios de l, em 18 meses. "O lcool uma tendncia mundial, ento a matriz quis aproveitar a oportunidade para dominar a tecnologia", diz Antonio Megale, diretor de marketing da Renault no Brasil. Mas a empresa no esperava que, durante o aprendizado, o bicombustvel virasse um sucesso de pblico to expressivo. Segundo nmeros da prpria Renault, os flex tomaram 30% do mercado de carros pequenos acima de 20000 reais e continuam crescendo. "Se fosse pensar por hoje, ns teramos procurado uma soluo mais rpida", diz Megale.

O preo do Clio flex ficou no mesmo patamar do modelo antigo: 39010 reais por este modelo Privilge, o mais caro, e 28490 reais pela verso 1.6 16V mais barata, a Authentique. Para marcar a novidade, a Renault lana uma srie especial intermediria, chamada Hi-Flex. O motor bicombustvel chega agora ao Clio Sedan e, no meio de 2005, ser adotado tambm na Scnic. O motor 1.6 sofrer modificaes antes de chegar minivan. Ter mais potncia, provavelmente.

Os engenheiros franceses entraram no mundo do flex com uma receita conservadora, mantendo a taxa de compresso do motor em 9,7:1. A potncia com o uso da gasolina continua nos antigos 110 cavalos - o Fiesta, por exemplo, aproveitou para ganhar 7 cavalos. A Renault diz que no precisava ir mais longe. Afinal o Clio j era nosso hatch mais potente e, com lcool, passa a render 115 cavalos. Nos carros pequenos, s o Polo Sedan 2.0 (a gasolina, no existe flex) rende mais: 116 cavalos. Ao manter a taxa de compresso baixa, no foi preciso investir em novos sensores de detonao para monitorar o motor. E surgiu a possibilidade de rodar com gasolina pura.

O Clio funciona sem aspereza alguma nos dois combustveis. Pena que a paz do motor seja abalada pelo acelerador eletrnico, adotado agora na verso 1.6. Na teoria, ele est ali para suavizar os movimentos do motorista, mas isso acaba no acontecendo. Voc cutuca o pedal, mesmo de leve, e o carro responde com um tranco. Nessas horas a alavanca de cmbio, que nunca gostou de ficar parada, sacode a cabea como um cantor de heavy metal.

Tratado com carinho, o motor 1.6 16V retribui com bom desempenho. O motorista no precisa trocar marchas o tempo todo. O vigor do carro na cidade no vem de um cmbio curto, mas de um motor com bastante torque em giro alto ou baixo. O Clio vive seus melhores momentos acima de 3000 rpm e, na estrada, anda a 100 km/h em silncio, sem estar esgoelado. A suspenso macia pode decepcionar motoristas que gostam de tomar as curvas no brao, mas em compensao tornam a viagem tranqila. Os faris iluminam muito bem, so dos melhores que temos. Os bancos parecem timos, com seu tecido atoalhado, mas a espuma macia faz o corpo cansar em viagens mais longas.

O problema do Clio a cabine. Os materiais empregados so bons, mas o projeto antigo. Ao planejar a ergonomia, a Renault partiu do princpio de que as pessoas so baixinhas, tm braos bem compridos e pernas curtas. Esportivos italianos clssicos eram assim, mas isso no l um elogio. Temos ajuste de altura do volante, dos cintos de segurana e do banco, mas eles mudam pouco a posio de dirigir. Perto do Clio, o Fox parece um terno feito em alfaiataria. Abaixo para apertar o boto do vidro eltrico do tipo um toque, frente do cmbio, mas a janela no responde. Por qu? Alguns segundos de suspense e, pop!, o acendedor de cigarros pula, me trazendo a resposta. Apertei o lugar errado. As falhas de ergonomia existem desde a estria, em 1999, no mudaram com a reestilizao de 2003 e no mudaro agora. Em alguma coisa este Clio, um carro to flexvel, tinha de ser cabea dura.

> Avaliao

Ficha tcnica

Motor
Dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 vlvulas
Cilindrada: 1598 cm3
Dimetro x curso: 79,5 x 80,5 mm
Taxa de compresso: 9,7:1
Potncia: 110 cv (G)/ 115 cv (A) a 5750 rpm
Torque: 15,2 mkgf (G)/ 16,0 mkgf (A) a 3750 rpm

Cmbio
Manual de 5 marchas, trao dianteira.
I. 3,36; II. 1,86; III. 1,32; IV. 1,03; V. 0,82. R, 3,54; Diferencial, 4,07.
Rotao do motor a 100 km/h em 5 - 3000 rpm

Carroceria
Hatch, 4 portas, 5 lugares
Dimenses:
Comprimento, 377 cm; largura, 163 cm; altura, 142 cm; entreeixos, 247 cm
Peso: 1005 kg
Peso/potncia: 9,13 kg/cv (G)/ 8,74 kg/cv (A)
Peso/torque: 66,11 kg/mkgf (G)/ 62,81 kg/mkgf (A)
Volumes:
Porta-malas, 255 l; tanque de combustvel, 50 l

Suspenso
Molas helicoidais e amortecedores hidrulicos
Dianteira: McPherson, com tringulo inferior e barra estabilizadora
Traseira: Barra de toro, com barra estabilizadora

Freios
Disco ventilado na dianteira, tambor na traseira e ABS (opcional)

Direo
Hidrulica, do tipo pinho e cremalheira;
dimetro de giro, 10,3 metros;
2,8 voltas entre batentes

Rodas e pneus
Liga leve, aro 15; Firestone Firehawk 700 185/60 R14

Principais equipamentos de srie
Airbag duplo, ar-condicionado, computador de bordo, direo hidrulica, faris de neblina, volante e manopla de cmbio forrados com couro, CD com comando na coluna de direo, rodas de liga leve, travas eltricas com controle remoto, travamento automtico de portas a 6 km/h, volante com regulagem de altura

Principais equipamentos opcionais
Freios ABS

garantia
1 ano sem limite de quilometragem

Preo
39010 reais





» FOTOS


Publicidade