Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Lançamentos
Peugeot 508 THP
Agosto 2012

Peugeot 508 THP

O sedã traz a marca de volta ao segmento de luxo, dominado pelos asiáticos

Por Péricles Malheiros | foto: Marcos Camargo
Lista de matÉrias por data:

TAMANHO DA LETRA  

Kia e especialmente a Hyundai dominaram nos últimos anos o segmento dos carros de luxo com sedãs de linhas arrebatadoras. Nas ruas, hoje é difícil encontrar alguém que se mantenha indeferente aos Kia Optima e Cadenza e Hyundai Sonata e Azera - em sua nova geração, claro. É com eles que o Peugeot 508 quer brigar. Curiosamente, a marca francesa contra-atacará com armas distintas. O design é sóbrio e a motorização 1.6 16V turbo abre mão da força bruta em nome de eficiência e boa dirigibilidade.

A mecânica é a mesma dos recentes lançamentos da marca, como o crossover 3008, o sedã 408, o cupê RCZ e, em breve, o hatch 308. Trata-se do 1.6 16V turbo de 165 cv com injeção direta desenvolvido em parceria com a BMW, que tem uma calibração mais apimentada (184 cv) no Mini Cooper S. O câmbio também é o mesmo automático de seis marchas. A boa novidade são as borboletas atrás do volante, recurso ausente nos demais Peugeot.

Como esperado, na pista o 508 obteve resultados próximos aos do 408 THP, testado em fevereiro. Pudera: eles têm apenas 117 kg de diferença no peso. Mas, ao contrário do que o porte avantajado leva a crer, o 508 é o mais leve - 1410 ante 1527 kg. Numa comparação com seu irmão caçula, o 508 tem 10 cm a mais de comprimento (4,79 ante 4,69 metros).

Dinamicamente, o 508 é gêmeo do 408, o que é um ponto positivo, pois o modelo mais simples foi elogiado pelo bom fôlego nas provas de aceleração e retomada, pelo consumo de gasolina e também pelo acerto da suspensão, capaz até de imprimir alguma esportividade sem comprometer o conforto a bordo.

É em conteúdo que o 508 desgarra do irmão. Para começar, ele traz telas e comandos (alavancas de luzes e limpador e botões de som e piloto automático) que não são compartilhados com os modelos de entrada da marca. O head- up display exibe informações coloridas e suas teclas ficam agrupadas num compartimento escamoteável à esquerda do volante. A qualidade do acabamento é elevada, o que colabora para o silêncio na cabine. Para quem gosta de luxos, o 508 não decepciona. Tem chave presencial (partida do motor por botão à esquerda do volante), sistema auxiliar de estacionamento com medidor de vagas, ar-condicionado de quatro zonas, tela multimídia com GPS, faróis de xenônio direcionais, leds diurnos e controles de estabilidade e tração.

O maior problema do Peugeot 508 está no preço. Por 119990 reais, ele custa pouco mais que o Azera, que sai por 114 924 reais, e muito mais que o Sonata, que vale 97 250 reais.



VEREDICTO


Lançado em 2010 na Europa, só agora o 508 chega ao Brasil, num segmento onde hoje os coreanos são a referência.





» FOTOS


Publicidade