Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Impressões ao dirigir
Peugeot 5008
Junho 2012

Peugeot 5008

Com a chegada prevista para o Salão, a 5008 vai brigar com a Grand Picasso

Por Joaquim Oliveira | fotos: divulgação
Lista de matÉrias por data:

TAMANHO DA LETRA  

O Grupo PSA tinha uma norma interna que evitava a concorrência entre modelos de suas duas marcas, quando possível. Por isso a Peugeot focava nas peruas (como a 307 SW) e a Citroën investia nos monovolumes (como a Picasso). Só que o segmento de minivans ganhou tanta importância no mundo que essa trégua acabou agora, com o nascimento do Peugeot 5008. Produzido sobre a base da C4 Picasso/Grand C4 Picasso, ele oferece sete lugares em 4,53 metros. Apesar de a plataforma também ser a mesma do crossover 3008, ele se diferencia por uma grade mais conservadora, para-choques pintados e integrados à carroceria e altura do solo menor. No resto, a dianteira é semelhante, enquanto o perfil e a traseira são exclusivos, dando-lhe um ar de perua mais alta. Ele é 3 cm mais curto que Renault Grand Scénic e 6 cm que a Grand Picasso, levando sete ocupantes (também há versão para cinco) por cortesia da Citroën, que cedeu o sistema de bancos da segunda e terceira filas.

Seus méritos são conhecidos: os assentos centrais são individuais e de mesmo tamanho, podendo avançar ou recuar 13 cm e ser rebatidos num simples movimento (tal como os da última fila), para criar uma grande área de carga - 2506 litros com dois lugares ou 678 com cinco. O encosto do passageiro dianteiro pode ser colocado na horizontal para levar um objeto longo (como uma prancha de surfe) até um máximo de 2,56 metros. Sob o piso do porta-malas há alçapões para pequenos objetos (até 60 litros de volume). Há também recursos que tornam mais fácil viajar com crianças, como as cortinas que protegem contra sol e um pequeno retrovisor para vigiar os filhos pequenos atrás. Estes ainda podem se distrair apreciando o céu pelo amplo teto panorâmico de vidro (opção em quase todas as versões).

A regulagem em altura do banco do motorista e da direção (também ajustável em profundidade) permite achar a posição de dirigir ideal. Há um enorme porta-objetos entre os bancos da frente, com tampa corrediça, mas o porta-luvas desagrada, com a tampa que cai ao abrir (quando deveria descer suavemente) e o interior de revestimento pobre.

Na fileira do meio, o espaço para pernas é suficiente, oscilando de 73 (quando mais recuada) a 60 cm (mais avançada). Os dois bancos da terceira fila são como os da Zafira: descem e desaparecem totalmente no assoalho, onde também há uma lantern recarregável, ganchos para prender sacos e argolas para fixar uma rede. Porém há aqui menos altura que na Grand Scénic: nessa fila, os ocupantes não devem exceder 1,70 metro de altura e suas pernas sempre ficarão mais dobradas, pois o piso é mais alto. A gestão do espaço para joelhos (58 a 68 cm) terá de ser negociada com quem vai na fila do meio.

Na cabine, destaque para o airbag lateral que protege as três filas, bem como (nas versões mais equipadas) o sistema multimídia bem integrado ao veículo, com fones sem fio, monitores embutidos nos dois encostos de cabeça e dois canais diferentes, permitindo que um assista a um filme enquanto outro se diverte com o videogame. Há ainda o head-up display igual ao do 3008, em que a informação é projetada numa placa de plástico, não no para-brisa.

Na estrada, o 5008 mostra-se mais estável que seus rivais, principalmente porque as molas de suspensão são mais firmes. Apesar da suspensão traseiro de eixo de torção, ele consegue ser confortável na maior parte dos pisos. O câmbio de seis marchas é um pouco barulhento no momento das trocas, sendo possível optar pelo automático de seis velocidades.

O motor é o elogiado 1.6 turbo de 156 cv desenvolvido pela BMW e que equipa 3008, RCZ e 408. Refinado, tem energia de sobra desde as rotações mais baixas. Segundo a marca, vai de 0 a 100 km/h em 9,6 segundos e atinge 195 km/h sem penalizar o consumo, que no ciclo europeu é de 13,7 km/l.

Os brasileiros poderão conhecer todas essas qualidades em outubro, quando o Peugeot 5008 será exibido no Salão do Automóvel.



VEREDICTO


Num mercado sem muitas opções, o 5008 só terá como rival direto a Grand C4 Picasso, que perde em motor. Mas é o preço que vai definir mesmo qual delas será a melhor compra.





» FOTOS


Publicidade