Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Impressoes ao dirigir
Fiat Idea
Agosto 2010

Fiat Idea

Para estrear os motores E.torQ 1.6 e 1.8, a Fiat preparou roupas novas para sua minivan

Por Paulo Campo Grande | Fotos: Marco de Bari
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

O segmento de minivans representa cerca de 6% do mercado de automóveis no Brasil, atualmente. É um volume aproximado de 12 000 unidades vendidas por mês. Mas, apesar de sua importância, são raros os lançamentos nessa área. Nos últimos tempos, a maioria das novidades se resume a atualizações leves, principalmente entre as minivans maiores, Chevrolet Zafira, Citroën Picasso e Renault Scénic. Agora a Fiat resolveu arregaçar as mangas e dar uma chacoalhada no segmento, com a remodelação da Idea. A minivan que chega às lojas este mês não é um carro inteiramente novo. Mas, para se ter uma ideia (ops!) de quão profundas foram as mudanças, a Fiat informa que seu projeto consumiu 24 meses de desenvolvimento e 200 milhões de reais. Ou seja: metade do valor investido na primeira versão da minivan. Em 2005, a Fiat precisou de 36 meses e 400 milhões para fazer a Idea no Brasil, à imagem e semelhança da Idea italiana.

Começando pelo design, a Idea ganhou frente inteiramente nova. O destaque são os faróis, que parecem olhos incisivos. Eles estão instalados em posição inclinada e mais elevada em relação à versão anterior. Cada conjunto tem parábolas contíguas e vários elementos de estilo, como aletas localizadas acima das luzes indicadoras de direção. O capô tem dois vincos profundos em forma de V e a grade ficou igual à do Punto. Na traseira, a principal inovação são as lanternas estilizadas à la Lancia Musa (a minivan fabricada pela Lancia, marca de luxo do Grupo Fiat, na Itália), cuja iluminação mistura lâmpadas incandescentes convencionais (para a ré e os indicadores de direção) e leds (para as luzes de posição e os freios). Segundo a fábrica, é a primeira vez que um carro nacional usa leds nas lanternas.

A tampa traseira também mudou. Agora a área envidraçada vai até a extremidade da carroceria e a lataria ficou mais plana, limpa, com o local destinado à placa transferido para o para-choque. Pena que, em benefício da forma, a maçaneta tenha sido suprimida. Há um pequeno recorte na base da tampa que é insuficiente para o encaixe dos dedos. Também não existe ponto para a fechadura. O porta-malas deve ser aberto pelo comando da chave (de série) ou por meio de um botão no painel.

Nas laterais, a novidade fica por conta dos espelhos retrovisores, que ficaram maiores e receberam indicadores de direção com leds. Mas cada versão tem suas particularidades. A Adventure, por exemplo, ganhou novas molduras para os para-lamas e faixas laterais redesenhadas.

O número de versões, aliás, é outra boa notícia. Quando estreou, a Idea foi apresentada em duas versões, ELX 1.4 e HLX 1.8, ganhando a Adventure 1.8 um ano depois. Agora conta com quatro versões: Attractive 1.4, Essence 1.6 16V, Adventure 1.8 16V e Sporting 1.8 16V. Ao todo, são sete configurações diferentes, uma vez que o câmbio automatizado Dualogic está disponível para todas as versões, com exceção da Attractive 1.4.

A Fiat aproveitou a chegada dos motores FPT 1.6 16V e 1.8 16V para aumentar a gama de opções. A maior curiosidade é a Sporting, uma versão esportiva on-road, com saias aerodinâmicas, aerofólio e rodas escuras de aro 16, enquanto as outras versões têm rodas de aro 15.

Na apresentação oficial da família, a Fiat não mostrou a versão Attractive 1.4, até porque essa versão repete o estilo, o acabamento e o conteúdo de série da versão Essence e seu motor é o antigo 1.4 Fire de 81 cv (o Fire Evolution permanece exclusivo do novo Uno). Veja na próxima página, as diferenças de conteúdo de cada versão.

Ao volante, o comportamento da minivan não mudou. A Idea é um carro fácil de manobrar e estável, mesmo com o centro de gravidade elevado. Nas curvas, a carroceria rola, mas, uma vez apoiada, mantém-se assim, transmitindo segurança ao motorista. No entanto, a versão Adventure é a mais bem assentada, graças à suspensão mais firme, que entre outras características incorpora barra estabilizadora na traseira, item ausente nas outras versões. A Sporting tem o visual mais agressivo, característica que fica restrita ao campo da aparência. Não fosse pelo motor 1.8 16V de 132 cv, seu comportamento seria igual ao da Essence, equipada com um 1.6 16V de 117 cv, uma vez que todos os seus sistemas têm ajustes semelhantes. O motor 1.6 16V, por seu turno, tem bem mais fôlego que o extinto 1.4. E isso fica evidente pelo menor número de vezes que o motorista precisa reduzir uma marcha, para vencer um aclive ou fazer uma ultrapassagem. Mas seu desempenho é apenas adequado para o dia a dia.

No interior, cada versão adota visual próprio, diferenciando-se pelos revestimentos dos bancos, pelos grafismos dos painéis e por um ou outro equipamento exclusivo, como a bússola e os inclinômetros da Adventure. O painel é o nosso velho conhecido, trazido do Palio 2004. De acordo com a Fiat, a troca desse componente encareceria demais o projeto, até porque a substituição da peça moldada implicaria diversas mudanças nos diferentes sistemas, chegando inclusive à parte elétrica. Mas os bancos são novos. Eles ficaram mais confortáveis e envolventes e com maior movimentação vertical, o que permite mais liberdade no ajuste da altura. O volante também é regulável, mas somente em altura – em profundidade ele permanece fixo. Sentimos falta dos vidros laterais laminados, um item que havia no lançamento da Idea, em 2005, e que foi suprimido com o tempo. Apesar da importância para a segurança e o isolamento térmico e acústico da cabine, o vidro laminado é daqueles recursos caros que são pouco notados e menos ainda valorizados pelos consumidores e, por isso, os primeiros a sair de cena, quando as fábricas decidem rever os pacotes de equipamentos.

Até o fechamento desta edição, a Fiat ainda não havia divulgado todos os preços da nova família Idea. Mas já antecipava que a versão Adventure não sofreria aumento, apesar das mudanças. Ou seja: vai custar 56 900 reais. A Attractive deve ficar um pouco mais cara que a atual. Algo por volta de 43 000 reais. Em relação às novas versões, a Essence 1.6 16V ficará em torno de 46 000 reais e a Sporting 1.8 16V chegará por cerca de 55 000 reais.

 

 

 



LISTA DE EQUIPAMENTOS

ATTRACTIVE 

A Attractive traz de série direção hidráulica, travas e vidros elétricos dianteiros, computador de bordo, volante e banco do motorista com regulagem de altura, Follow Me Home, três encostos de cabeça no banco traseiro, banco traseiro bipartido, abertura elétrica do porta-malas, console no teto e chave canivete com telecomando.

ESSENCE
Traz os mesmos itens da versão Attractive, mas oferece alguns itens opcionais a mais, como bancos de couro, descansa-braço para o motorista, banco dianteiro do passageiro dobrável, airbags laterais, teto solar Skydome, sensores crepuscular e de chuva, retrovisor interno eletrocrômico e subwoofer.

Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, flex
Cilindrada: 1 598 cm3
Diâmetro x curso: 77,0 x 85,8 mm
Taxa de compressão: 10,5:1
Potência: 115/117 cv a 5 500 rpm
Torque: 16,2/16,8 mkgf a 2 250 rpm
Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira
Dimensões: largura, 170 cm; comprimento, 400 cm; entre-eixos, 251 cm
Volumes: porta-malas, 380 litros; tanque de combustível, 48 litros
Pneus: 195/60 R15

SPORTING
Tem o mesmo pacote da Attractive mais ar-condicionado, faróis de neblina, rádio CD/MP3, rodas de liga, retrovisores elétricos e descansa-braço para o motorista. Opcionais: bancos de couro, banco dianteiro dobrável, airbags dianteiros, airbags laterais, freios ABS, rádio-CD Connect MP3, sensor de ré, entre outros.

Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, flex
Cilindrada: 1 747 cm3
Diâmetro x curso: 80,5 x 85,8 mm
Taxa de compressão: 11,2:1
Potência: 130/132 cv a 5 250 rpm
Torque: 18,4/18,9 mkgf a 4 500 rpm
Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira
Dimensões: largura, 170 cm; comprimento, 400 cm; entre-eixos, 251 cm
Volumes: porta-malas, 380 litros; tanque de combustível, 48 litros
Pneus: 195/55 R16

ADVENTURE
Inclui o conteúdo da Sporting, acrescida de airbag duplo, ABS, faróis de profundidade, barras no teto, bússola, inclinômetros, protetor de cárter, porta-objetos no assoalho do porta-malas. Opcionais: os mesmos oferecidos na versão Sporting (com exceção do itens acima), mais bloqueio de diferencial Locker e volante de couro.

Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, flex
Cilindrada: 1 747 cm3
Diâmetro x curso: 80,5 x 85,8 mm
Taxa de compressão: 11,2:1
Potência: 130/132 cv a 5 250 rpm
Torque: 18,4/18,9 mkgf a 4 500 rpm
Câmbio: manual, 5 marchas, tração dianteira
Dimensões: largura, 175 cm; comprimento, 421 cm; entre-eixos, 251 cm
Volumes: porta-malas, 380 litros; tanque de combustível, 48 litros
Pneus: 205/70 R15 

 





» FOTOS


Publicidade