Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Impressoes ao dirigir
Toyota Hilux 3.0 SRV
Junho 2006

Toyota Hilux 3.0 SRV

Relação simbiótica - Estreando motor mais ecológico e potente, ganha desenho moderno e mais conforto

Por Paulo Campo Grande / fotos: Marco de Bari
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Ficou para trás o tempo em que robustez e resistência eram os principais diferenciais entre as picapes. Hoje, quando elas disputam espaço na cidade e compradores no mercado com sedãs de luxo, preocupações como espaço interno, estilo, tecnologia e conforto ao rodar são itens cada vez mais "obrigatórios" em seu projeto. A chegada da nova Hilux é uma demonstração prática dessa nova fase simbiótica. Trata-se de uma surpreendente evolução em relação à geração anterior.

A Hilux desde sempre carregou a fama de ser eficiente no fora-de-estrada, sinônimo de robustez entre picapes médias. No entanto, a versão anterior andava defasada em relação às rivais, tanto em design quanto em motor. Agora o jogo mudou e a Toyota ganhou pontos significativos naqueles que antes eram seus pontos fracos. E também em conforto. Mas, como não existe almoço grátis, no fora-de-estrada a Hilux teve de ceder algum terreno. Seu ângulo de entrada, que era de 35 graus, passou para 30. O de saída manteve-se nos 26 graus. E a altura mínima em relação ao solo baixou de 220 para 212 milímetros.

Essa ligeira perda de desenvoltura longe do asfalto não deverá assustar seu público, no entanto. A Hilux chega com um belo desenho concebido pelo Centro de Design da Toyota no Japão. Depois de pronta, a picape foi submetida a um conselho mundial, envolvendo todos os países onde ela é produzida - Argentina, Tailândia, África do Sul e Indonésia. Somente depois de passar por esse crivo é que sua produção foi autorizada. Visualmente, o ponto alto da picape é a frente, marcada pela grade dianteira cromada e saliente e pelos grandes faróis, com os refletores aparentes. A traseira é mais comportada, mas conta com um brake-light embutido na tampa traseira, garantindo a visão da terceira luz de freio mesmo com o veículo carregado. Parte da imponência do visual também vem do aumento das dimensões da picape. Ela ganhou 36 centímetros de comprimento - 22 deles foram para a distância entre eixos - totalizando 5,25 metros. Cresceu 12 centímetros na largura, por causa da proteção plástica nos pára-lamas, e 5 centímetros de altura.

SALA DE ESTAR - As novas dimensões proporcionam mais conforto para os ocupantes da Hilux, quando se compara com a versão anterior. O espaço traseiro está longe de oferecer o mesmo conforto de um sedã, mas os passageiros desfrutam de mais espaço para as pernas e de uma vista privilegiada - já que o banco é ligeiramente mais alto que o dianteiro. O desenho do painel acompanha o visual externo, com linhas retas e vincadas e acabamento sem rebarbas. Boa parte dos comandos, como os do rádio e do ar-condicionado, fica no console, que abriga dois pequenos porta-trecos aparentes - que funcionam bem para um molho de chaves. Os mostradores lembram os da Frontier, por serem "fundos" e redondos. Da esquerda para a direita estão o conta-giros, o velocímetro e os marcadores de combustível e temperatura. A iluminação é em uma suave tonalidade de azul.

Mas o melhor da picape só se revela para quem estiver ao volante. A começar pelo motor, que foi inteiramente desenvolvido pela Toyota. E traz todos os ingredientes que a nova geração de motores precisa ter para atingir os índices de emissões determinados pela Euro III. Com cabeçote de 16 válvulas, injeção direta de diesel (common-rail), turbo de geometria variável e intercooler, o motor 3.0 D4-D (Direct 4-Stroke Diesel Turbo Common Rail) desenvolve 163 cavalos - a mesma potência da Ranger. Apesar de andar tão bem quanto a rival, que vem equipada com o motor Power Stroke 3.0 da International, a Hilux trabalha com níveis de ruídos bem menores que os da Ford. E palmas para o câmbio automático de quatro marchas - disponível apenas para a versão SRV, a top de linha da Hilux -, que efetua as trocas de maneira suave e sem trancos.

Outro item que diferencia a Hilux das rivais é a suspensão. A picape inaugura a utilização de rodas independentes com molas helicoidais e amortecedores no eixo dianteiro - até então as barras de torção prevaleciam nas picapes. A intenção do fabricante foi melhorar a dirigibilidade e o conforto na cidade. Na traseira, foram mantidos os tradicionais feixes de molas e, conseqüentemente, os solavancos proporcionados por buracos superados em velocidade mais alta.

No total, a Hilux chega em dez diferentes versões ao mercado brasileiro, combinando tração, cabine, motor e equipamentos. Os preços começam em 65020 reais, para a versão com cabine simples e motor 2.5 diesel de 102 cavalos - que também já atende às normas Euro III - e podem chegar até os 101730 reais, na SRV 3.0 Automática 4x4, o modelo utilizado por nós nesta avaliação. A Ranger Limited, sem o câmbio automático, sai por 98100 reais. Com a nova Hilux, a Toyota deverá movimentar o segmento das picapes. E essa disputa está só no começo. Em agosto é a vez de a Frontier se juntar à nova geração de picapes no Brasil.

Ficha técnica

Motor
Dianteiro, longitudinal,4 cilindros em linha, 16 válvulas, sobrealimentado, intercooler
Cilindrada: 2982 cm3
Diâmetro x curso: 96 x 103 mm
Taxa de compressão: 17,9:1
Potência: 163 cv a 3400 rpm
Torque: 35 mkgf a 1400 rpm

Câmbio
Automático, de 4 marchas, tração 4x2 e 4x4

Carroceria
Peso: 1840 kg
Peso/potência: 11,3 kg/cv
Peso/torque: 52,6 kg/mkgf
Volumes: Caçamba, 1036 l; tanque de combustível, 80 l

Suspensão
Dianteira: Independente, braços duplos triangulares, molas helicoidais
Traseira: Eixo rígido, com molas semi-elípticas de duplo estágio

Freios
Hidráulicos, com discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS

Direção
Hidráulica, do tipo pinhão e cremalheira

Rodas e pneus
Liga leve, aro 15; 255/70 R15

Principais itens de série
Ar-condicionado, ABS, airbag duplo, banco do motorista com regulagem de altura, brake-light, desembaçador traseiro, estribos laterais, piloto automático, porta-óculos no teto, rádio com CD changer para seis discos, rodas de liga leve, vidros, travas e espelhos elétricos, volante com regulagem de altura

Itens opcionais
Não tem

Preço
10.1730 reaisO Teste de Quatro Rodas





Publicidade