Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Comparativos
Picapes pequenas
Setembro 2009

Picapes pequenas

A Saveiro da quinta geração enfrenta Fiat Strada e Chevrolet Montana

Por Péricles Malheiros | Fotos: Christian Castanho
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

3º Strada Trekking 1.4

Dar a lanterna do comparativo à picape cujo número de vendas é maior que os de todas as outras somados parece ser como remar contra a corrente. Não é. A Strada é a mais picape dos três modelos avaliados, a começar por sua suspensão traseira com feixe de molas, mais indicada para uso fora do asfalto e transporte de cargas que o sistema de suas concorrentes, com molas helicoidais. Mas essas qualidades conspiram contra ela própria na proposta do comparativo, que é definir qual a melhor opção para uso urbano. Apesar de macia, a Strada se entende menos com as imperfeições do asfalto e sacode mais, tornando a direção cansativa. Os pneus de uso misto estão em sintonia com a suspensão, mas, de novo, jogam contra na cidade. Têm a mesma medida dos da Montana (175/70 R14), mas geram mais ruído de rolagem no asfalto e não agarram tão bem nas curvas.

Com pouca desvantagem em relação à segunda colocada – não vou estragar a surpresa, vire a página e descubra quem é –, a Strada tem no visual aventureiro o ponto alto. Ainda que mais discreta que a versão Adventure, a Trekking é imponente. O pacote de equipamentos de série é magro, mas este é um mal que acomete as três picapes avaliadas. De significativo, traz direção hidráulica e computador de bordo. Em contrapartida, é a única a oferecer teto solar (manual) como opcional, a 1 098 reais.

Em outubro de 2007, avaliamos uma Strada 1.4, mas desde então a Fiat fez algumas alterações no motor e, por isso, a picape foi novamente testada em nossa pista, em Limeira (SP). As mudanças foram providenciadas para que o modelo se adaptasse às normas antipoluição e incluíram novos coletores de escape (de aço tubular, em substituição ao de ferro fundido) e de admissão (com dutos aumentados de 30 para 33 mm), pistões retrabalhados e sede de válvulas com novo tratamento de superfície para melhorar a vedação. Entretanto, se essas alterações prejudicaram menos o ar, o mesmo não se pode dizer do consumo urbano, que piorou de 7,6 para 6,4 km/l.

Se a caçamba espaçosa não for suficiente para suas necessidades, dá para comprar um suporte (opcional, por 176 reais) e levar o estepe na cabine, atrás do banco do motorista.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
Suave, a direção propicia conforto inigualável nas manobras e tem boa resposta em velocidade.
★★★★

MOTOR E CÂMBIO
Andar menos que a Saveiro 1.6 era de se esperar, mas o 1.4 da Fiat também levou a pior no consumo.
★★★

CARROCERIA
A versão Trekking é para quem acha a Adventure radical e cara demais. Os plásticos externos são muito sensíveis a riscos.
★★★★

VIDA A BORDO
Computador de bordo, direção hidráulica e mais nada. Em contrapartida, tem opcionais livres, o que permite ao consumidor comprar apenas o que deseja.
★★★

SEGURANÇA
Levou a melhor nota das três por oferecer ABS e airbag duplo a um preço justo, 2 827 reais.
★★★

SEU BOLSO
O bolso deve ser cuidado antes e depois da compra. O carro tem bons atributos, mas é duro conviver com um motor gastador.
★★★

Motor: diant. / transv. / 4 cil. / 8V / 1 368 cm3
Diâmetro x curso: 72 x 84 mm
Taxa de compressão: 10,35:1
Potência (cv a rpm) (A/G): 86/85 a 5 750
Torque (mkgf a rpm) (A/G): 12,5/12,4 a 3 500
Câmbio: manual / 5 / dianteira
Direção: hidráulica / 2,8 voltas
Suspensão: Dianteira: McPherson, independente
Traseira: eixo rígido, feixe de molas
Freios: disco ventilado (diant.) / tambor (tras.)
Pneus: 175/70 R14

 

 



2º Saveiro Trooper 1.6

Pois é, a estreante sucumbiu à experiente e enxuta Montana. A nova Saveiro cumpriu o que se esperava dela no design, afinal ela acaba de ser lançada e tinha a obrigação moral de encher mais os olhos e de ser, de fato, mais moderna. Mas o motor EA111 VHT, sempre tão elogiado, não deu à picapinha da Volks o fôlego que o Econo.Flex X14YFH empresta à Montana. E isso também era uma “promessa”, afinal se trata de uma briga de um 1.6 contra um 1.4.

A Saveiro perdeu por pouco da Montana no 0 a 100 km/h (12,3 contra 12 segundos cravados), mas levou um passeio em retomada: para acelerar de 80 a 120 km/h, em quinta marcha, a Volkswagen precisou de 3,3 segundos a mais (22,1 ante 18,8 segundos). Boa parte dessa culpa pode ser atribuída à relação muito longa da quinta marcha. A 100 km/h, o motor da Saveiro girava a apenas 2 600 rpm – na Montana e na Strada, o conta-giros apontava, respectivamente, 3 000 e 3 200 rpm. A eficiência do motor 1.4 da GM fica mais evidente ainda se levarmos em conta que, mesmo com rotação mais elevada, o consumo rodoviário foi mais contido que o da Saveiro (9,8 contra 9,3 km/l).

Revigorada, a picape VW é mais amigável. A cabine tem vários e práticos porta-objetos, inclusive nas laterais da extensão da cabine. Pena o conjunto de equipamentos de série ser tão modesto, como já citado na matéria anterior a essa. O brakelight da Trooper (opcional na 1.6 e na Trend) tem também a função de iluminar a caçamba – o botão fica no console central e a luz só é ativada se o motor estiver desligado. Destravada, a tampa traseira se mantém entreaberta, pois há uma mola a gás que controla seu curso. Se o sistema trouxe um ar de requinte a todas as versões, por outro pode aumentar os custos de reparação em caso de colisão traseira. Toda aberta, a tampa se nivela em relação ao piso da caçamba, sem formar degrau, facilitando a acomodação de cargas pesadas.

Estranhamente, a Volkswagen não deu à versão Trooper a opção de rodas de liga leve: sai de série com rodas de aço pintadas de cinza-escuro, aro 15, calçadas com pneus 205/60.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
A direção é a mais direta das três, o que torna a condução esportiva mais interessante. O acerto de suspensão é parecido com o da Montana, com funcionamento suave e progressivo. Os pneus largos garantem frenagens seguras.
★★★★

MOTOR E CÂMBIO
A caixa MQ200 ainda é referência, com seus engates rápidos e precisos. No entanto, o conjunto precisa evoluir para fazer frente ao trem de força da GM, com números de desempenho e consumo melhores em um carro mais pesado.
★★★★

CARROCERIA
A traseira da Saveiro é mais larga que a dianteira e isso lhe dá um ar agressivo. A tampa da caçamba abre suave, auxiliada por mola a gás.
★★★★

VIDA A BORDO
Mesmo a Trooper, topo-de-linha, sai de fábrica pouco equipada, apenas com direção hidráulica.
★★★

SEGURANÇA
Se a VW mantiver os mesmos preços de equipamentos do Gol, o ABS custará 3 040 reais e o airbag duplo, 2 170 reais. Muito caro.
★★★

SEU BOLSO
A se confirmarem os preços estimados, a Saveiro não terá no valor de tabela um grande aliado.
★★★

Motor: diant. / transv. / 4 cil. / 8V / 1 598 cm3
Diâmetro x curso: 76,5 x 86,9 mm
Taxa de compressão: 12,1:1
Potência (cv a rpm) (A/G): 104/101 a 5 250
Torque (mkgf a rpm) (A/G): 15,6/15,4 a 2 500
Câmbio: manual / 5 / dianteira
Direção: hidráulica / 3 voltas
Suspensão: Dianteira: McPherson, independente Traseira: barra de torção, molas helicoidais
Freios: disco ventilado (diant.) / tambor (tras.)
Pneus: 205/60 R15

 

 



1º Montana Conquest 1.4

No meio caminho entre a cabine simples e a estendida, a Montana se sagrou vencedora por uma questão de compromisso. Acomoda, sem amassar com os bancos, umas três ou quatro mochilas e tem, disparado, a maior caçamba: 1 143 litros, contra os 800 litros transportados pela Strada e 734 litros da Saveiro. Até na comparação com as versões de cabine simples das rivais a Montana ganha em volume de caçamba.

Se na pista a Chevrolet superou a Saveiro e seu motor 1.6, contra a Strada 1.4 promoveu um verdadeiro massacre. Na aceleração de 0 a 100 km/h, 12 contra 14,1 segundos; na retomada em quinta marcha (80 a 120 km/h), 18,8 frente a 23,1 segundos. E, de novo, cobrou menos para entregar mais: consumiu, na estrada, 9,8 km/l de álcool, contra 8,8 da Strada. Parece pouca vantagem, mas é o suficiente para garantir uma autonomia 39 km maior (549/510 km), mesmo com um tanque 2 litros menor (56/58 litros).

Uma das poucas coisas que incomodam (muito) na Montana é a maneira como a GM vende os equipamentos. Quer um vidro elétrico? Tem, sim senhor, desde que leve também ar-condicionado, direção hidráulica e uma porção de outros itens menores. Nas “categorias de base” a situação é quase tão crítica quanto a verificada na Saveiro 1.6: brake-light e ar quente são opcionais – ao menos na Montana, as rodas saem com calotas. Espartana, não vem com direção hidráulica, como suas rivais, mas isso não é problema, pois o pacote que inclui o item eleva a conta para 32 056 reais. Completa, sai por 36 659 reais, menos até do que a Saveiro Trooper cabine simples básica deverá custar. Agora, se você só investe seu dinheiro em carro com segurança ao extremo, desista da picape Chevrolet: ela é a única que não oferece ABS e airbag sequer como opcionais.

Racional, cheia de vitalidade e ainda com um charme capaz de disfarçar a idade, a Montana surpreendeu na pista e levou o comparativo derrotando a campeã do segmento e a estreante tida como favorita. É, o mundo das picapes é mesmo uma caçamba de surpresas.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
Sem ABS, o freio só apresentou maior tendência ao travamento nos testes feitos a partir de velocidades mais elevadas.
★★★★

MOTOR E CÂMBIO
Andou mais e consumiu menos que as rivais. Isso é sinal de um conjunto bem acertado na concepção e na calibração. Só não levou cinco estrelas por ser o mais ruidoso.
★★★★

CARROCERIA
A cabine é suficiente para levar mochilas de academia. Separe um dinheirinho para mandar pintar os para-choques na concessionária.
★★★★

VIDA A BORDO
Básica, não trata direito seu dono, mas na versão completa ela custa pouco e entrega requintes exclusivos, como vidros elétricos tipo um-toque com função antivácuo.
★★★★

SEGURANÇA
ABS e airbag não constam nem na lista de opcionais. Pior: o brake-light só está disponível no pacote mais completo.
★★

SEU BOLSO
Elegante, acolhedora e com pique de garotona, a experiente Montana é também humilde ao reconhecer que não tem o carisma da Strada nem o poder de sedução da Saveiro: cobra um preço justo pelo que entrega.
★★★★

Motor: diant. / transv. / 4 cil. / 8V / 1 389 cm3
Diâmetro x curso: 77,6 x 73,4 mm
Taxa de compressão: 12,4:1
Potência (cv a rpm) (A/G): 105/99 a 6 000
Torque (mkgf a rpm) (A/G): 13,4/13,2 a 2 800
Câmbio: manual / 5 / dianteira
Direção: hidráulica / 3 voltas
Suspensão: Dianteira: McPherson, independente Traseira: barra de torção, molas helicoidais
Freios: disco ventilado (diant.) / tambor (tras.)
Pneus: 175/70 R14

 

 



VEREDICTO

A Strada ficou em último, com pouca desvantagem em relação à Saveiro, mas, se você vive transportando coisas pesadas e está sempre circulando por trechos não asfaltados, saiba que ela pode ser a melhor opção das três. Soberana nos números, a Montana fez bonito na pista e, ainda charmosa, não faz feio por onde passa. Não chega a ser um objeto de desejo – e é aí que entra a Saveiro, recémlançada e muito evoluída, mas que dificilmente voltará a ter o brilho dos velhos tempos. Para uso urbano, não restou dúvida, a Montana tem o melhor custobenefício.

 





» FOTOS


Publicidade