Hyundai HB20 1.0 x 1.6
Na ponta do lápis e na ponta dos cascos: 1.0 ou 1.6, qual HB é a melhor escolha?
Por Paulo Campo Grande | fotos: Marco de Bari | 11/11/2012
Confira a galeria de fotos
TEXTO  

Se você está pensando em comprar o novo Hyundai HB20, há duas coisas que precisa saber. A primeira é que não adianta ter pressa: se fechar negócio hoje, você só vai receber o carro no ano que vem. Em meados de outubro, a previsão apontava entrega para fevereiro. A segunda é que a espera pode ser maior ainda se você optar por um carro branco. A fábrica diz que a procura por essa cor foi acima do esperado e pede aos vendedores que ofereçam as outras sete do catálogo: Preto Phantom, Azul Ocean e Marron Clay (perolizadas), Prata Metal e Cinza Titanium (metálicas) e Preto Onix e Vermelho Tropic (sólidas). Diante disso, o mais sensato é aproveitar o tempo para conhecer melhor o carro e analisar todas as opções. Aqui, damos nossa contribuição, alinhando as opções 1.0 e 1.6.

O HB20 é apresentado em nove versões. Além dos motores, há quatro pacotes de acabamento e a opção de câmbio automático para os modelos 1.6. As unidades mostradas aqui são as mais completas de cada motorização: 1.0 Comfort Style e 1.6 Premium. Mas, para efeito de comparação, vamos considerar o padrão Comfort Style para as duas, uma vez que a análise se focará nos motores.

Os carros alinhados são iguais no que toca a sistemas de freios, direção e suspensão. Seus motores têm blocos e cabeçotes de alumínio e comandos variáveis na admissão, além de serem flex. O 1.0 tem três cilindros e 12 válvulas e gera 80 cv a 6200 rpm e 10,2 mkgf a 4500 rpm. O 1.6 tem quatro cilindros e 16 válvulas e produz 128 cv a 6 000 rpm e 16,5 mkgf a 4 500 rpm, quando abastecidos com etanol.

Enquanto o 1.0 Comfort Style custa 37995 reais, o 1.6 Comfort Style sai por 42 995 reais. A diferença é de exatos 5000 reais. Com o mesmo nível de equipamento, os dois modelos trazem freios ABS, duplo airbag, ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos, computador de bordo, rodas de liga leve, faróis de neblina e alarme, entre outros itens.

Consumo

A escolha do padrão Comfort Style não foi aleatória nem teve a única finalidade de equiparar os rivais no comparativo. Fizemos essa opção depois de chegarmos à conclusão de que essas versões são as que oferecem melhor custo-benefício. No caso da motorização 1.0, esse pacote é o único que inclui ABS, que no 1.6 é de série em todos os níveis. O pacote Comfort Style contempla recursos interessantes como vidros e travas elétricos, alarme, rodas de liga leve e sistema de som, entre outros, que não são itens de série na versão de entrada. A versão básica traz airbags, ar-condicionado e direção hidráulica entre os destaques. Em relação à versão Premium, que é a top para o motor 1.6, o comprador abre mão de sensores crepuscular e de estacionamento, além de itens de acabamento como painel de duas cores. Mas a economia compensa: o HB 20 1.6 Premium custa 44 995 reais.
Falando ainda de custos, o preço do seguro oferecido pela fábrica é de 1 300 reais para a versão 1.0 e de 1600 reais para a 1.6. E o total gasto nas seis revisões periódicas, programadas a cada 10 000 km até atingir 60000 km, é de 1624 reais para a 1.0 e de 1756 reais para a 1.6. Além dessas despesas, o consumo de combustível é outro fator que pesa no bolso. Mas na pista de testes não encontramos diferença substancial entre o consumo dos dois modelos. Nas medições no ciclo urbano, o 1.0 fez 8,3 km/l e o 1.6 conseguiu 8,0 km/l. E, na estrada, o 1.0 rodou 11,8 km/l, contra 11,3 km/l do 1.6.

A diferença foi maior nas provas de desempenho. Nos ensaios de aceleração, o Hyundai equipa- do com motor 1.0 ficou na saudade diante do 1.6. Ele fez de 0 a 100 km/h em 15,4 segundos, enquanto o 1.6 obteve o tempo de 10,2 segundos. Nas retomadas, de novo a vantagem do 1.6 foi maior. Nas passagens de 60 a 100 km/h, em quarta mar- cha, por exemplo, o HB 1.0 gastou 14,3 segundos, enquanto o 1.6 precisou de 10,5 segundos.

No dia a dia, o 1.0 se comporta bem no trânsito. Ele exige que o motorista troque de marchas mais vezes que ao volante do 1.6, mas o pequeno responde bem, principalmente se comparado a outros hatches 1.0. O Gol 1.0, por exemplo, fez de 0 a 100 km/h em 16,6 segundos e retomou de 60 a 100 km/h em 16,8 segundos na pista de testes.

Em relação ao nível de ruído, o motor 1.6 se mostrou mais silencioso. Mas o 1.0 tem um ronco com timbre de esportivo, que lembra os motores dos Alfa Romeo. Nos demais aspectos do comportamento dinâmico, como calibragem de suspensão, respostas e peso da direção, o HB é sempre o mesmo carro. As duas versões rodam com suavidade e têm comandos que dispensam os motoristas de maiores esforços.

Na hora de fechar a conta, a diferença de preço de 5000 reais do motor 1.0 para o 1.6 fala mais alto que o desempenho na pista. O alto valor não se justifica nem mesmo sob o argumento de consu- mo semelhante. Até porque o 1.0 pode não ser exuberante, mas é mais que cumpridor.



VEREDICTO


Custando 5 000 reais a menos que a versão 1.6 e com o mesmo pacote de equipamentos, o HB20 1.0 apresenta-se como a opção mais vantajosa, apesarde ter ficado para trás nas provas de desempenho.

>> Confira a Ficha Técnica do HB20

PUBLICIDADE

  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |

PUBLICIDADE