Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Up
  • Onix
  • Duster
  • HB 20
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Golf
  • Focus
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Comparativos
Fiat Punto 1.6 16V x Fiat Punto 1.8 16V
Agosto 2010

Fiat Punto 1.6 16V x Fiat Punto 1.8 16V

Com a nova safra de motores 1.6 e 1.8, o Punto ganhou em desempenho e economia

Por Paulo Campo Grande | Fotos: Marco de Bari
Lista de matrias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Aqui vai uma dica para aqueles que acompanham os movimentos das fábricas a fim de ter combustível para as discussões nas rodas de amigos: o Fiat Punto 2011 foi o primeiro modelo da marca a receber os novos motores E.torQ 1.6 16V, de 115/117 cv, e 1.8 16V, de 130/132 cv. Outros modelos já estão equipados com esses motores, como a linha Palio, a minivan Idea e o sedã Siena.

Os motores E.torQ foram desenvolvidos pela FPT Technologies, empresa do Grupo Fiat, a partir dos motores Tritec, que eram produzidos em Campo Largo (PR), frutos de uma parceria entre BMW e Chrysler e que equipavam Mini Cooper e PT Cruiser, no início da década. Segundo a FPT, que assumiu o controle da Tritec Motors em março de 2008, os motores que chegam agora ao mercado foram aperfeiçoados em mais de 70%. Entre os novos componentes, estão pistões com saias assimétricas, mais leves e com menor área de atrito; bielas sinterizadas, forjadas e fraturadas, que garantem maior resistência e precisão na montagem, e coletor de admissão de plástico, que melhora o fluxo dos gases.

Com os novos motores, a linha Punto 2011 terá sete versões, resultado da combinação de três padrões de acabamento (Attractive, Essence e Sporting), três motores (1.4 Fire, 1.6 16V e 1.8 16V) e dois tipos de transmissão (manual e automatizada). Mais a versão T-Jet, que vem equipada com motor 1.4 16V Turbo importado da Itália, e estilo e acabamento próprios. Aqui nós alinhamos as duas versões inteiramente novas: Essence 1.6 16V e Sporting 1.8 16V.

Ao volante, o comportamento do Punto não mudou, uma vez que os sistemas de direção, suspensão e freios sofreram apenas os ajustes necessários à alteração de peso dos motores. Logo, o Punto continua o mesmo carro gostoso de dirigir, que oferece ao motorista posição esportiva, com bancos que apoiam bem o corpo e volante que permite empunhadura firme. A direção é direta, sem exigir esforço. E a suspensão privilegia o conforto, mas não isola o motorista das reações do carro.

Para comparar o rendimento dos motores, usamos as marcas obtidas na pista durante esta avaliação e as confrontamos com os números conseguidos pelas versões 1.4 ELX e 1.4 T-Jet, em testes anteriores. Nas provas de desempenho, como as acelerações de 0 a 100 km/h, os resultados ficaram dentro do esperado. O Punto 1.4 obteve o tempo de 14,8 segundos, o 1.6 16V precisou de 11,9 segundos e o 1.8 16V fez de 0 a 100 km/h em 10,5 segundos – todos rodando com álcool. O T-Jet, que só bebe gasolina, consumiu 9,3 segundos nessa prova. As surpresas vieram nas medições de consumo.

O motor 1.4 apresentou um rendimento inferior ao do 1.6 16V. Ele ficou com as médias de 6,6 km/l na cidade e 8,5 km/l na estrada, enquanto o motor maior conseguiu 7,2 e 10,4 km/l, respectivamente. O 1.6 16V, por sua vez, terminou tecnicamente empatado com o 1.8 16V, que conseguiu 7,4 km/l na cidade e 10,5 na estrada.

Conclusão: ao fazer o Punto andar mais e consumir menos, o motor 1.8 16V revelou-se o mais adequado para o carro. O 1.4 8V da versão Attractive pode ser mais econômico em outra aplicação, como em um carro como o Palio, que pesa 986 kg. Mas no Punto, com seus 1150 kg, ele consumiu mais. O T-Jet, com gasolina, conseguiu as médias de 8,7 km/l no ciclo urbano e 11,3 no rodoviário.

A diferença de preços entre as quatro versões é grande. A 1.4 Attractive (antiga 1.4 ELX) é vendida por 39 290 reais. A 1.6 16V Essence custa 44 190 reais. A 1.8 Sporting sai por 51 200 reais. E a T-Jet chega a 64 670 reais. Cada uma tem um pacote de equipamentos específico. A Attactive é a mais simples, mas, mesmo assim, vem bem equipada, com direção hidráulica, computador de bordo, sistema Follow Me Home, limpador e desembaçador traseiro e vidros e travas elétricos, entre outros recursos. Ar-condicionado é opcional, nessa versão, mas vem de fábrica nas demais. E sistemas como ABS e airbags são itens de série apenas nas versões equipadas com motor Sporting.

Para quem acha que o 1.8 16V Sporting a 51 200 reais é caro, existe a alternativa do Essence 1.8 16V, que sai por 46 250 reais. O comprador perde o estilo esportivo e equipamentos importantes como o ABS e o duplo airbag de série, mas encontra uma relação custo-benefício interessante. Se você pensa num Punto, pense nisso.

 



1.4 8V

 



Motor: flex, 4 cilindros, 1 368 cm³, 8V, 86/85 cv a 5 750 rpm, 12,5/12,4 mkgf a 3 500 rpm
Câmbio: 5 marchas
Dimensões: peso, 1 150 kg; peso/ potência, 13,4/13,5 kg/cv; peso/torque, 92/92,7 kg/mkgf
Teste QR: 0-100 km/h, 14,8 s; 60-100 km/h em 4ª marcha, 16,4 s; consumo urbano, 6,6 km/l; rodoviário, 8,5 km/l
Preço: 39 290 reais

 



T-JET

 



Motor: gasolina, 4 cilindros, 1 368 cm³, 16V, 152 cv a 5 500 rpm, 21,1 mkgf a 2 250 rpm
Câmbio: 5 marchas
Dimensões: peso, 1 230 kg; peso/ potência, 8 kg/cv; peso/torque, 58,2 kg/mkgf
Teste QR: 0-100 km/h, 9,3 s; 60-100 km/h em 4ª marcha, 7,2 s; consumo urbano, 8,7 km/l, rodoviário, 11,3 km/l
Preço: 64 760 reais

 

 



VEREDICTO

Com a nova linha, o Punto atende a mais gostos e bolsos. Partindo dos 39 290 reais do 1.4 Attractive aos 64 760 reais do T-Jet, manteve o estilo de direção esportiva que fez sua fama, apesar da suspensão voltada ao conforto. Porém, no mercado desde setembro de 2007, já estava na hora de sofrer uma reestilização.

 

 


 

» Clique aqui para ver os números do teste

» Clique aqui para ver os dados técnicos





» FOTOS


Publicidade