Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Corolla
  • Up
  • Logan
  • HB 20
  • Prisma
  • Novo Ka
  • Golf VII
  • Focus
  • Tracker
  • New Fiesta
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Carros | Comparativos
Classic x Logan x Prisma x Siena x Voyage
Maio 2010

Classic x Logan x Prisma x Siena x Voyage

É hora de ver como fica o equilíbrio de forças entre os sedãs 1.0

Por Péricles Malheiros | Fotos: Marco de Bari
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Para você escolher bem seu sedã 1.0, é importante conhecer a si próprio e definir suas prioridades. Há modelos mais racionais, em que o espaço para pessoas e bagagens é vasto, mas o design fica em segundo plano. Outros apertarão a família, mas andam mais que carros com motor 1.4. Também há opção para quem quer um pouco de tudo, ainda que isso signifique ser mais caro que todos e não ser o melhor em quase nada – tampouco o pior.

Agora é ver como as novidades se saem diante da concorrência. Dentro dos limites da categoria, cada um deles tem boa dose de personalidade.

 



VW Voyage 1.0 8V

Gosto cada um tem o seu, mas, dos carros chamados para este comparativo de sedãs de entrada, quase todo mundo concorda que o Voyage é o que tem estilo mais atual – mais até que os recém-remodelados Classic e Logan. Sua cabine e porta-malas não têm a amplidão do Logan, seu motor não tem o pique do 1.0 de Classic e Prisma e seu preço oficial sugerido (32 320 reais) é o mais alto da turma. Ainda assim, o Voyage ficou atrás somente do Logan – empatado com o Classic, ambos na segunda posição –, mas com uma vantagem mínima diante de Prisma e Siena, também empatados, na quarta colocação.

Os 3630 reais que separam o Voyage do Logan são pesados, mas eles miram consumidores distintos. Quem está de olho num sedã pequeno e valoriza design (interno e externo) e qualidade de materiais, e está disposto a pagar por isso, encontrará no VW um produto mais adequado. A lista de equipamentos é extensa, sendo possível até “transformar” a versão: o pacote Trend, de 940 reais, inclui diversos itens estéticos, como frisos e lanternas escurecidas. A lista de equipamentos opcionais do Voyage é rica, atraente e democrática como a de nenhum outro: oferece volante multifuncional, pacotes a preço justo (ABS mais airbag por 2088 reais) e opções livres e conjuntas, permitindo uma seleção bastante personalizada.

Com média de consumo rodoviário de 11,8 km/l de álcool e com o terceiro maior porta-malas do comparativo (de 480 litros, contra 510 do Logan e 500 do Siena), o Voyage é uma boa opção para quem gosta de pegar a estrada com a família nos fins de semana. Só não abuse da velocidade: sem ABS, o sedã registrou as piores marcas da turma, com tendência ao travamento das rodas. Nas medições de ruído, o 1.0 8V fez bonito: só não foi o melhor na aferição em marcha-lenta.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
Bom nível de conforto sem comprometer a dirigibilidade, que, aliás, é a melhor dos cinco sedãs comparados.
★★★★

MOTOR E CÂMBIO
O Voyage entrega ao motorista um câmbio de engates precisos e o melhor nível de consumo, mas faltou fôlego para andar junto dos Chevrolet.
★★★

CARROCERIA
O desenho tem boa proporção. Elegante, o Voyage tem status de carro mais caro que os concorrentes.
★★★

VIDA A BORDO
De série, oferece banco do motorista com regulagem de altura, espelhos nos para-sóis e iluminação no porta-malas.
★★★

SEGURANÇA
A unidade testada não tinha ABS, mas ele consta da lista de opcionais.
★★★

SEU BOLSO
Custa mais caro, mas é mais carro. É espaçoso e econômico.
★★★

 

 



Fiat Siena Fire 1.0 8V

Se você decidiu comprar um sedã pequeno da Fiat, fique atento na hora de fazer o pedido: aquele Siena bonitão, com traseira cujas lanternas lembram as dos Alfa Romeo, custa a partir de 32 510 reais (versão EL). Para este comparativo, chamamos o modelo de entrada, popularmente conhecido como Siena Fire, de 29 470 reais. Ele faz parte da velha estratégia da Fiat de manter o mesmo carro em duas gerações distintas. Apesar da defasagem de estilo, ele ainda mostra bastante fôlego, com atributos que lhe permitiram empatar com o Prisma e ficar na cola dos vice-líderes Voyage e Classic.

Macio como o Prisma, porém mais equilibrado nas curvas, o Siena Fire derrapou na pista. A unidade avaliada contava com opcionais de pneus 175/65 R14 e ABS, o que dava ao modelo vantagem teórica nas provas de frenagem. Mas essa tese esbarrou no peso exagerado: 1 040 kg. Corpulento, também penou um pouco nas retomadas – ao menos foi melhor que o Logan.

O Siena tem algumas qualidades que podem passar despercebidas – até que você se beneficie delas. Em tempos de tanquinhos de partida a frio, é comum abrir o capô. Só o Siena tem a lingueta de destravamento da tampa do cofre que se ejeta do meio da grade, além de revestimento plástico da vareta de sustentação. São itens que não mudam a vida de ninguém, mas evitam queimaduras e denotam a preocupação com detalhes.

Equivalente ao vencedor Logan em desempenho e espaço para porta-malas, o Siena ficou distante do Renault nesta disputa por dois motivos principais: seu design carece de novidades e os passageiros não viajam tão folgados.

Nos equipamentos, o Siena age como o Voyage, oferecendo opcionais individuais e em kits. O pacote HSD, com airbag duplo e ABS, custa 2 401 reais – 15% mais que no Voyage.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
O ajuste macio da suspensão agrada a quem busca conforto.
★★★★

MOTOR E CÂMBIO
O câmbio do Siena não tem a precisão de engate da caixa MQ 200 do Voyage e o motor Fire não rendeu tão bem quanto o VW em desempenho e consumo.
★★★

CARROCERIA
O entre-eixos curto, de apenas 2,37 m, é o menor do segmento. Ainda assim, a cabine é mais espaçosa que a do Classic, bem como o porta-malas.
★★★

VIDA A BORDO
A lista de equipamentos de série não vai além de desembaçador do vidro traseiro e portas com revestimento de tecido.
★★★

SEGURANÇA
Não abra mão do ABS, pois mesmo com o auxílio eletrônico o Siena é ruim de parar.
★★★

SEU BOLSO
Confortável, o Siena tem preço de tabela mais alto que Logan e Classic, mas atende melhor quem busca maciez de rodagem.
★★★

 

 



Chevrolet Prisma 1.0 8V

O empate entre Prisma e Siena na quarta colocação é um replay da dupla Voyage e Classic na segunda posição. Prisma e Voyage buscam a preferência de quem, apesar do perfil racional, não abandona a preocupação com a imagem. Na pista, o sedã do Celta se comportou quase tão bem quanto seu irmão Classic. Nem podia ser diferente, afinal ambos são movidos pelo mesmo motor 1.0 8V de 78/77 cv e têm pesos parecidos (921 kg o Prisma e 905 kg o Classic).

Com um perfil um pouco mais estradeiro que o Classic, o Prisma acelera e retoma em tempos ligeiramente maiores, consome os mesmos 7,6 km/l de álcool na cidade e vai melhor no consumo rodoviário – faz 11,1 km/l, contra 9,2 km/l do irmão pobre. Como alternativa ao Classic para quem valoriza espaço e status, o Voyage é melhor que o Prisma, apesar de exigir um investimento maior e não andar tão bem. Por quê? Simples: o VW oferece dirigibilidade mais refinada, melhor consumo urbano e rodoviário, porta-malas mais amplo e acabamento de qualidade superior.

A suspensão do Prisma tem acerto que prioriza o conforto. Macia, poupa os ocupantes do maltratado asfalto brasileiro tão bem quanto o sistema do Classic, mas não segura com a mesma eficiência a carroceria nas curvas sob condução agressiva. A ausência de ABS e airbag duplo na lista de opcionais é um grande vacilo e reflete a despreocupação da GM com seus sedãs: o três-volumes mais barato da marca a oferecer os dois dispositivos simultaneamente é o Vectra Elite – Celta, Classic, Prisma, Astra Sedan e Corsa Sedan formam o cardápio nacional.

Na comparação direta com o Siena, seu vizinho de quarta colocação, o Prisma ganha em aceleração, retomada e frenagem, empata em consumo urbano e perde em espaço de porta-malas.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO
Como o Classic, destaca-se pelos freios bem calibrados. A suspensão, porém, permite que a carroceria se incline demais.
★★★

MOTOR E CÂMBIO
Troque as marchas acima das 4500 rpm e tenha desempenho de 1.4 com consumo de 1.0.
★★★★

CARROCERIA
Como alternativa ao Classic, deveria oferecer mais espaço para pessoas e bagagem.
★★★

VIDA A BORDO
Cintos traseiros laterais são retráteis. Os porta-objetos estão entre os melhores da turma.
★★★

SEGURANÇA
Preza pela segurança no seu sedã familiar? Esqueça o Prisma, que não tem ABS e airbags entre os opcionais. Menos mal que os freios são bem dimensionados e eficientes.
★★

SEU BOLSO
Ar e direção são os únicos opcionais. Juntos, eles somam 3 944 reais à conta.
★★★

 

 



RENAULT LOGAN E CHEVROLET CLASSIC

Confira como o Logan 1.0 16V se saiu nos testes

Confira como o Classic LS 1.0 se saiu nos testes

__________________________________________________________________________________

VEREDICTO

O Logan ficou em primeiro pelo bom compromisso geral. Do Renault para trás, é um bolo só, com a dupla Classic e Voyage à frente de Siena e Prisma por uma vantagem mínima. Mais que o equilíbrio do segmento, esse empate técnico pode (e deve) ser desfeito ao se levarem em conta as necessidades e expectativas particulares e familiares.

 





» FOTOS


Publicidade