Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Auto-serviço | Autodefesa
Suspensão da Mitsubishi L200 Triton
Janeiro 2010

Suspensão da Mitsubishi L200 Triton

Donos reclamam que concessionárias não resolvem problema de desgaste irregular dos pneus e suspensão torta

Por Waldez Carmo Amorin
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

Quando o assunto é durabilidade de pneu, os números sempre variam. Dependendo da marca de pneu, do modelo de carro e da cidade onde rodam, eles podem durar de 30 000 a 60 000 km, em média. Foi por isso que alguns proprietários de L200 Triton não gostaram nada quando viram que seus pneus estavam chegando ao fim antes dos 15 000 km.

“Com 12 000 km rodados vi que os pneus, no centro da banda de rodagem, já estavam na marca de desgaste TWI, segundo a medição do técnico de uma revenda Pirelli. Aos 16 000 km eu me assustei quando vi que o centro estava totalmente liso”, afirma o empresário Luís Antônio Assis, de Salvador (BA), proprietário de uma L200 Triton diesel 2009. “Em duas concessionárias da Mitsubishi no Nordeste me disseram que atenderam uns cinco casos como esse e que é normal os pneus não durarem muito. Minha picape agora está com quase 21 000 km e eles já acabaram.”

Além do desgaste irregular dos pneus originais Pirelli STR 265/70 R16, a picape apresenta dificuldades para alinhar a direção e diferença de altura na suspensão, conforme relato do advogado Dilermando Cruz Oliveira, de Mogi das Cruzes (SP). “Comecei a notar o problema quando vi que a parte traseira esquerda estava mais baixa que a direita. Aos 500 km fizeram rodízio, alinhamento e balanceamento por causa do desgaste irregular dos pneus. Mas o carro continuou fazendo curva sozinho. Depois arquearam o feixe de molas da suspensão traseira e não resolveu. Levei o carro quatro vezes à autorizada em seis meses. Disseram que os quatro pneus foram condenados pelo representante técnico da Pirelli.

Para piorar, a falta de uma solução definitiva para o caso obriga que os proprietários façam constantes visitas às concessionárias. “Uma semana após comprar a picape, levei para alinhar. Depois retornei mais de dez vezes à concessionária e sempre me dizem que está resolvido, mas o carro volta do mesmo jeito”, afirma o despachante Wagner Rosa Torres, de Guarulhos (SP).

Segundo Camila Bezerra, gerente da Chassi Force, oficina especializada em chassi, monobloco e suspensão, em São Paulo (SP), para resolver o problema da L200 Triton é recomendável um alinhamento técnico. “No caso das picapes, é preciso mexer na barra de torção que regula a altura da carroceria para alinhá- la, e muitas vezes, no momento da montagem, ela não fica bem ajustada. O alinhamento técnico exerce uma pressão sobre a suspensão para colocá-la na medida de fábrica”, diz Camila. O alinhamento técnico custa de 550 a 650 reais.



O POVO RECLAMA

“Com 60 km minha L200 apresentou diferença de altura na suspensão. Fui seis vezes à autorizada em três meses e fiquei mais de 20 dias sem carro. Disseram que não tinha conserto.
Luis Augusto Freire Teotônio, juiz de direito, Ribeirão Preto (SP)

“Como levei a picape à oficina mais de dez vezes em seis meses e não resolveram o problema, decidi vendê-la.”
Alexandre Ferraz, engenheiro civil, São Paulo (SP)



RESPOSTA

Para a Mitsubishi, a solução passa provavelmente por regulagem e manutenção adequadas da pressão dos pneus. Mas a marca diz que vai contatar todos os sete donos levantados pela QUATRO RODAS para analisar cada caso e depois comunicar a conclusão.



CONTE-NOS SEU PROBLEMA

Seu carro tem algum defeito de fabricação ou de projeto que o deixa irritado? Ouviu falar de problema que mereça um recall? Passou por uma situação em que seus direitos de consumidor foram violados? Então escreva para nós: 4rodas.abril@abril.com.br






Publicidade