QUATRO RODAS - Pistões desafinados
Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Auto-serviço | Autodefesa
Pistões desafinados
Julho 2006

Pistões desafinados

Ruídos no motor VHC atormentam donos de Celta, Corsa e Classic mesmo quando novos. A GM diz que há falha nas peças

Por Alexandre Ule Ramos
Lista de matérias por data:

ALTERAR O TAMANHO DA LETRA  

O Celta 1.0 2004 do gaúcho Marcos Heck mal completou seu segundo ano de vida e já teve que fazer quatro visitas forçadas às oficinas autorizadas de Porto Alegre. Ninguém consegue descobrir a causa do estranho barulho no motor. "Disseram na concessionária que esse motor não foi dimensionado para seus 70 cavalos, apresentando desgaste prematuro de anéis e pistões." Após a troca de bielas, velas, sonda lambda e junta do motor, além dos anéis e pistões, Heck desistiu e resolveu vender o carro. "O curioso é que as próprias concessionárias desvalorizaram o carro devido ao barulho no motor, quando manifestei a vontade de trocá-lo por um Classic novo."

Heck ainda não sabia, mas ele é uma das várias vítimas dos problemas que os motores 1.0 VHC estão enfrentando. Uma conhecida reclamação de donos de Celta, Corsa e Classic com esses motores é um barulho metálico que se manifesta principalmente quando o motor está frio e submetido a uma carga maior, como com o veículo carregado ou subindo ladeiras acentuadas. Isso acontece tanto em modelos mais rodados como em veículos recém-saídos da concessionária.

O paulista José Henrique Rodrigues também sofreu com o mesmo defeito em seu Celta, que teve os pistões trocados três vezes. "Ocorria sempre pela manhã, quando saía da garagem com o carro cheio e o motor frio. Numa dessas vezes, o motor quebrou", afirma ele, que também vendeu o carro depois de ficar mais de um mês a pé. Essa já é uma situação conhecida há mais de um ano por quem trabalha no meio. Um consultor técnico de uma rede de concessionárias Chevrolet de São Paulo, que não quer se identificar, explica que atende mais de 20 carros por mês. "Até em carro zero já verificamos esses sintomas", afirma. "A GM nos orienta a descobrir a origem do problema e trocar dentro da garantia pistões, anéis e juntas."

Entre os mecânicos de concessionárias e oficinas independentes, há duas explicações para esse problema. Uma seria a chamada "batida de pino", nome popular para a pré-ignição. É quando há a explosão espontânea da mistura no interior da câmara, antes da ignição da vela. Com isso, ocorrem as duas queimas de combustível, que se chocariam e reverberariam no bloco e nos pistões, causando o ruído metálico. Outra fonte do barulho estaria em alguma folga interna indesejável, que por sua vez seria provocada por falhas de montagem ou na fabricação das peças.

O curioso é que a própria General Motors do Brasil admite a existência do problema no motor VHC. Segundo Vicente Lourenço, diretor de engenharia de powertrain da empresa, a causa do ruído não seria a pré-ignição, mas sim falhas nos pistões. "Na verdade, temos a suspeita de que existem problemas de tolerância nos pistões, que teriam sido feitos abaixo das especificações. Com isso, em determinadas situações, ele 'bate saia', ocorrendo o ruído metálico."

Lourenço afirma que "em breve" a GM fará modificações no motor para dar fim os ruídos. "Estamos trabalhando no projeto de um novo pistão, mais robusto, com parede mais espessa e novo material. Com isso os barulhos sumirão de uma vez por todas." E a batida de pino? "Em nossos testes não foram detectados problemas de pré-ignição", diz Lourenço.

A orientação oficial da GM para os ruídos é simples: aos primeiros sinais do defeito, nos veículos em garantia, deve-se levá-lo a uma concessionária autorizada para um diagnóstico. Já nos que estão fora da garantia, o jeito é arcar com o prejuízo, que pode passar dos 1000 reais.


O povo reclama

"Meus problemas começaram desde a retirada. O barulho metálico nunca parou. Levei o carro inúmeras vezes à concessionária e a oficinas paralelas." José Carlos Paschoal Filho, Curitiba (PR)

"O motor fazia muito barulho, até que teve problemas nos pistões, que foram trocados. Depois substituíram os pinos e os anéis. O ruído continua, mas desisti de correr atrás." Mário de Almeida Pereira, São Paulo (SP)

"Fui a algumas concessionárias, mas sempre disseram que o ruído era normal. Ainda faz barulho, mas, como vou trocá-lo logo, resolvi não esquentar mais a cabeça." Márcia Figueiredo dos Santos, São Paulo (SP)






Publicidade