Vida útil de um motor turbo com injeção direta

Injeção direta

Na injeção direta, o bico pulveriza a gasolina direto na câmara

As elevadas pressões nos novos motores turbo com injeção direta a gasolina podem reduzir a vida útil e aumentar o custo de manutenção, se compararmos com motores tradicionais? – Gianluca Fedele, Ribeirão Preto (SP)

Não há esse risco, apesar de as pressões máximas de combustão serem mais elevadas. Esses motores são desenvolvidos de forma a suportar as cargas previstas em projeto e obtidas posteriormente em testes. O conceito dessa tecnologia é injetar o combustível não no coletor de admissão a uma pressão de cerca de 4 bars, como acontece no sistema tradicional, mas diretamente na câmara de combustão, a 150 bars na média. Com pressões tão elevadas, é possível pulverizar o combustível a ponto de formar partículas microscópicas, que permitem uma queima mais eficiente, gerando mais economia e potência. Mas não pense que essa tecnologia é tão nova assim. O Mercedes-Benz 300SL de 1955 (“Asa de Gaivota”) foi o primeiro carro de série a usar esse conceito, desenvolvido pela Bosch.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s