Qual a diferença entre farol de parábola simples e o de dupla?

Nem sempre o formato mais complexo ilumina melhor que o mais simples

Qual a diferença entre o farol de parábola simples e o de dupla? – Gustavo Busarello, por e-mail.

Ao contrário do que a maioria pensa, nem sempre blocos ópticos de parábola dupla iluminam mais do que os simples, já que às vezes eles têm seu uso determinado por razões mais estéticas que técnicas.

No de parábola simples, a mesma lâmpada é responsável pelos faixo baixo e alto

No de parábola simples, a mesma lâmpada é responsável pelo faixo baixo e alto (Marco de Bari)

No farol simples há um só refletor parabólico, em cujo foco está o filamento da luz alta da lâmpada halógena. Assim, os raios de luz emitidos pela lâmpada são convergidos para formar um único feixe paralelo ao eixo da lâmpada, no caso do farol alto. Para a situação de farol baixo, a mesma lâmpada tem um segundo filamento, que fica ligeiramente deslocado em relação ao foco (10 mm à frente e 3 mm acima), que formará um facho de luz mais difuso e de menor intensidade.

No de parábola dupla, há blocos ópticos separados para o farol baixo e o alto

No de parábola dupla, há blocos ópticos separados para o farol baixo e o alto (Marco de Bari)

Quando o automóvel utiliza a dupla parábola, há um segundo bloco óptico que tem uma lâmpada com um só filamento, que vai complementar a iluminação do bloco com dois filamentos. Neste caso, teoricamente é possível obter um facho de luz mais amplo quando o farol alto está ativado.

Entre os proprietários, a opinião geral é a de que o farol de dupla parábola consegue ser mais eficiente. Na prática, porém, tal regra não deve ser levada ao pé da letra. Ambos os conceitos podem gerar faróis que iluminam bem e de acordo com as normas existentes.

O que realmente vai determinar a diferença de iluminação, além do número de parábolas, é principalmente a qualidade da lâmpada, o tamanho do refletor e seu formato.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Monoparabola pode ser melhor que o biparabola, verdade, existem excessões porém 99% das vezes não. Em farol baixo podem até ser parecidos em vários casos mas quando trava no alto então nem se fala, mono no alto é horrível! Escurece a pista e ilumina o horizonte, nada a ver com o biparabola que joga a luz alta em cima do baixo, ou seja, você complementa o farol baixo.
    O biparabola só deixa de ser muito melhor quando o sistema elétrico do carro é simplório como as antiga S10 que desligava o farol baixo quando ligava o alto aí ficava um farol alto muito difuso.
    Basta ser técnico, quando trava o farol no alto (estrada vazia a noite) no monoparabola se tem 120w de luz, no biparabola tem os 110w do baixo e soma mais em geral 110w, quase o dobro de luz.

  2. Luis Fabiano Ambiel

    Concordo com toda certesa! Tive carros com os dois tipos de farol, biparabola e muito melhor! Bom ha casos como o da s10 2013 p ca que conheço donos de s10 que reclamam que nao é bom! (Mesmo sendo biparabola). Ja o farol de um palio fire 2002 que tive, ate hoje nao encontrei farol melhor!

  3. Gabriel Medeiros

    Saindo de um Sandero 2013 com parábola simples para um New Fiesta 2017 com parabola dupla, o Sandero incrivelmente iluminava mais. Eu me assustei ao comparar. E o facho era perfeito, com minimo ofuscamento.