O que é mais seguro: carga pesada no porta-malas ou no reboque?

Levar bagagens com peso excessivo demanda cuidados tanto no porta-malas quanto em carretinhas

Quando meu carro está carregado, a suspensão fica muito baixa. Se em vez de encher o carro com bagagem pesada eu a colocasse num reboque, seria melhor para o veículo? – Luciano Bomfim Azambuja, por e-mail.

Tudo depende do peso da carga e da capacidade máxima do modelo do seu veículo, indicada no manual do proprietário (lembrando que os passageiros precisam ser incluidos nessa conta).

Se o peso da carga + passageiros for maior que a capacidade do carro, a carretinha é a opção mais segura. Mas em primeiro lugar, verifique no manual do proprietário para ver se há algum comentário ou especificação quanto a trailers ou qualquer outro tipo de reboque. Por exemplo, no manual do Honda Fit há uma instrução específica proibindo essa prática.

Caso não haja impedimentos, lembre-se de que parte do peso da carreta e sua carga serão absorvidos pelo eixo traseiro do carro, especialmente nas frenagens, deixando a frente mais leve (portanto mais instável) e menos aerodinâmica.

Outro cuidado é na hora de frear. Há reboques com e sem freio autônomo, e mesmo aqueles que têm podem entrar em “tesoura”, quando o reboque avança e empurra a traseira do carro para o lado, formando entre ambos um ângulo em V fechado.

Por isso, é importante reduzir a velocidade e frear de maneira progressiva e com mais antecedência quando for puxar um reboque – não apenas por segurança, mas também porque um carro puxando um reboque é classificado como “veículo pesado”, com limites de velocidade geralmente abaixo dos carros de passeio.

Além disso, ter uma carretinha demanda uma série de procedimentos, como a documentação providenciada no Detran local, com placa e luzes de sinalização. Em casos de reboques acima dos 3.500 quilos, também é necessária uma habilitação do tipo C.

Se você optar por levar tudo dentro do carro (sem exceder a carga máxima indicada no manual), tenha o cuidado de não exagerar no peso concentrado no porta-malas, principalmente quando apenas o motorista está a bordo, pois isso pode alterar a distribuição do peso entre os eixos dianteiro e traseiro.

Por fim, para quem optar pelo uso do bagageiro no teto, também é importante não colocar ali as cargas mais pesadas – a concentração de peso no teto alterará o centro de gravidade do veículo, e fará o carro balançar mais em curvas e mergulhar mais em frenagens, exigindo uma direção ainda mais cautelosa do motorista.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s